Como quebrar mais exemplos de texto

ūüė≥ūüĎČūüŹĽūüĎąūüŹĽ

2020.09.10 23:51 Helamaa ūüė≥ūüĎČūüŹĽūüĎąūüŹĽ

a car√™ncia t√° imoral e eu t√ī procurando uma namoradinha, se vcs conhecerem alguma mina que tenha esses requisitos, me avisem redpillada channer, dogoleira, wgtow, ancap, , jogadora de poker, bv, virgem, sem amigos, crente, f√£ da UDR,magrela, footlet,escuta Chico Buarque, weeabo, hikkimori, otaku, gameri, hetero,federal,trader de bitcoin,hacker, defacer, cubista, penspinner, recordista de memoriza√ß√£o de baralhos, timida, m√£e de pet, hidratada, n√£o consumidora de a√ßucar, saud√°vel, youtuber, netolover, pooper, cambista, shitposter, anarquista, materialista, roquista, travesquista, mono talon vlogger, blogueira, e-girl, intolerante a lactose, intolerante a gluten, grinder e hipn√≥loga, fiel, niilista existencialista, metaleira, headbanguer, pelo no suvaco, patriota, masoquista, ballbuster, jogadora de minecraft, buceta fedida, que n√£o tenha medo de chuta minhas bolas pelo amor de deus eu nao consigo encontrar uma menina pra chutar minhas bolas por favor deus eu imploro nao agusnto mais isso nao eh um meme porque voces tem medo de me chutar no saco. Ra√ßa: n√≥rdica Altura: 170cm+ Pele: 1 ou 2 (Fitzpatrick) Olhos: 7+ (Martin) Cabelos: qualquer cor, mas apenas lisos ou ondulados (FIA) Nariz: reto ou virado para cima Cr√Ęnio: dolico ou mesocef√°lico √ďculos: n√£o Aparelhos: n√£o Queixo furado: n√£o Covinhas: n√£o Orelha presa: n√£o Orelha de abano: n√£o Franja em V: n√£o Pelos no corpo: muito pouco Tatuagem: n√£o Gradua√ß√£o: apenas cursos voltados √† pesquisa Faculdade: apenas bem conceituadas Habilidades matem√°ticas: sim Idiomas: flu√™ncia em ingl√™s e mais outro idioma √Ālcool, cigarro, drogas: n√£o, nenhum Personalidade: introvers√£o Cultura: europeia ocidental RELIGI√ÉO: Crist√£ Ortodoxa Gostar de escutar rog√©rio skylab:
Para ser sincero, voc√™ precisa ter um QI muito alto para entender Rog√©rio Skylab Para ser sincero, voc√™ precisa ter um QI muito alto para entender Rog√©rio Skylab. O humor √© extremamente sutil e, sem uma compreens√£o s√≥lida de filosofia moderna, a maioria das piadas vai passar despercebida pelo telespectador m√©dio. H√° tamb√©m a vis√£o niilista de Rog√©rio, que est√° habilmente tecida em sua caracteriza√ß√£o - sua filosofia pessoal se baseia fortemente na literatura de Nododaya Volya, por exemplo. Os f√£s entendem essas coisas; eles t√™m a capacidade intelectual para realmente apreciar a profundidade dessas piadas, para perceber que elas n√£o s√£o apenas engra√ßadas - elas dizem algo profundo sobre a VIDA. Como conseq√ľ√™ncia, as pessoas que n√£o gostam de Rog√©rio Skylab s√£o verdadeiros idiotas - √© claro que eles n√£o apreciariam, por exemplo, o humor no bord√£o existencial de Rog√©rio "Chico Xavier √© viado e Roberto Carlos tem perna de pau", que √© uma refer√™ncia cript√≠ca para o √©pico Pais e Filhos do russo Turgenev. Estou sorrindo agora mesmo imaginando um desses coitados simplistas co√ßando a cabe√ßa em confus√£o enquanto as m√ļsicas se desenrolam na tela de seu computador. Que tolos‚Ķ como eu tenho pena deles. E sim, a prop√≥sito, eu tenho uma tatuagem do Rog√©rio Skylab. E n√£o, voc√™ n√£o pode v√™-la. √Č s√≥ para os olhos das damas. E mesmo elas, precisam demonstrar de antem√£o que possuem um QI com diferen√ßa absoluta de no m√°ximo 5 pontos do meu (de prefer√™ncia para baixo).
Rotina, Habitos e interesses: Nofap + Banho Gelado + comer carne crua + comer virado pra parede + biohack + dormir no ch√£o + Jordan Peterson + mewing + HBD + PUA + jelq + dormir 5 horas por dia + caf√© gelado sem a√ß√ļcar + hipismo + compila√ß√£o mitadas En√©as + alho cru + podcast do Joe Rogan + redpill + Brain Force + Jejum + medita√ß√£o iasd + m√ļsicas para concentra√ß√£o, foco e intelig√™ncia + teste de QI da internet + grupos de linhagem viking do facebook + ficar longe do poste de internet 4G + youtube do varg vikernes + ess√™ncia de morango da turma da m√īnica no narguil√© + jogar vape na cara de todo mundo que tentar entrar no bloco da faculdade + 5 segundos de calistenia no deserto do atacama + darkcel + √≥culos do a√©cio na foto de perfil + ler quotes do nietzsche no brainy quote + criar galinha no quarto sem os pais saberem + Alho cru + uma colher de azeite quando acorda e outra antes de dormir + jejum de 24hrs a cada 72hrs + assistir VT no premiere logo que chega do est√°dio + canal Ultras World + LibreFighting + Operation Werewolf + comprar os artigos do Paul Waggener + Centhurion METHOD + humilliation exposure com a finalidade de criar uma crosta na sua mente capaz de desenvolver uma resili√™ncia que resiste √† humilha√ß√£o como se ela fosse nada + tomar banho descal√ßo em chuveiro de academia com ch√£o mijado + muscula√ß√£o caseira + hackear o sono + Empreender + 10 livros de auto ajuda por m√™s + PUA + Selo super f√£ da f√ļria e tradi√ß√£o + Biokinesis + 432hz music + Mexer o pau sem piscar o c√ļ + medita√ß√£o transcendental + veganismo + minoxidil para cultivar uma barba + filmografia Jason Stataham + assistir vikings + redpill + ir no cinema sozinho + treino saitama + coach qu√Ęntico + enema de caf√© + dieta lair ribeiro + agua alcalina + O M√©todo de Wim Hof + sabedoria hiperb√≥rea + artigos da Nova Resist√™ncia + Biblioteca do D√≠dimo Matos + dormir virado pra patede assoviando no escuro pra espantar o curupira + dar 3 pulinhos toda vez que levantar da cama + dizer am√©m quando um 1113 azul passar por voc√™ na rua + 100 flex√Ķes por dia + 6 meses de jelq + injacula√ß√£o guiada + sociedade thule + energia vril + chap√©u de alum√≠nio para se proteger das armas psicotronicas emitidas pela CIA + caderno de anota√ß√Ķes smiliguido + pedir a b√™n√ß√£o ao carteiro toda segunda de manh√£ + 3 horas de academia + 4 horas de corrida + mascar caf√© + exerc√≠cios penianos do Dr. Rey + maratona saga Rocky + trilha sonora saga Rocky + trilogia Mercen√°rios + filmes do Jason Statham + assoviar o hino do Palmeiras de ponta-cabe√ßa + intro do Canal do Nicola em loop + palestras do Antonio Conte + v√≠deos do Rodrigo Baltar + dicas do Gustavo Gambit + aulas de italiano + dormir ouvindo Ultraje a Rigor + ler Walden pelado na mata atl√Ęntica de madrugada + ouvir m√ļsicas em velocidade aumentada + canto gregoriano √°rabe + ensinar hino do botafogo pra calopsita + fritar comida com banha de porco + assistir videos de situa√ßoes de risco com a finalidade de se preparar para o perigo + Terapia Holistica com formandos da UFPR no Jardim Bot√Ęnico + Radiestesia para harmonizar vibra√ß√£o da casa + Metatron 432HZ no YouTube entoando a ora√ß√£o EU SOU + ler O C√≥digo da Vinci + Jesus Qu√Ęntico + Barra Fixa na pra√ßa de madrugada escutando audiolivro do Jordan Peterson na voz do cara dos Fatos Desconhecidos + grupo POPEYE AFIANDO A PIKA + MyInstants AEEE KASINAO + Memes do Fausto Silva + ler O Evangelho dos Animais + stories do Copini no Instagram + Canal SocialGames7 com Gustavo Gambit e CIA + textos de Raphael Machado (Nova Resist√™ncia) + ser ex-membro do grupo Comunismo Ortodoxo + Monja Coen + Fazer origami com papel do bis + perder dinheiro com maquina de pegar ursinho + fumar palheiro com o av√ī + quebrar palito de dente no meio depois que usar + rezar Pai Nosso em aramaico + tentar se comunicar com o ashtar sheran + virar catequista e passar Pl√≠nio Salgado para as crian√ßas + Limpeza de 21 dias de S√£o Miguel Arcanjo + arrancar a fimose comendo cu apertado de galinha caipira + Regata branca WifeBeater com cal√ßa jeans clara e bota marrom + Ingressar na legiao estrangeira + Comprar toras de eucalipto pra reproduzir o centurion method mas nunca come√ßar o treinamento + vender m√°quina de cart√£o de cr√©dito + ler os escritos do Unabomber + Escutar a discografia do Paul Waggener + ler todos os livros do Pavel Tsatsouline + ouvir rap eslavo de cunho pol√≠tico suspeito + caf√© com um cubo de manteiga dentro precedendo a primeira refei√ß√£o do dia + beber 2L de leite por dia + Stronglifts 5x5 + Dieta Cetog√™nica + Canal Jason PROJETO GIGA + Cd do TRETA + comprar torre de chopp no prensad√£o + 2 c√°psulas de Tadalafellas antes do sexo + s√≥ comprar comida japonesa importada pra dieta + comer arroz sem sal com peixe cru sem tempero enrolado em folha do fundo do mar + memes da p√°gina Dollynho Puritano + Deus Vult na capa do Facebook + acessar o dogolachan pelo computador da escola pra postar fanfic gay do Gilberto Barros + Trollar atendentes do mcdonalds no habbo hotel + ligar para o Motel Ast√ļrias perguntar quando custa a bolacha Bauducco que aparece no site + Mandar entregar pizza na Rua dos Tamoios casa n¬į18 com port√£o vermelho + cosplay de russo no Omegle pedindo pra mostrarem a bunda + Dormir imaginando uma linha pra fazer viagem astral + recitar Homero pra mendigo + tomar antibi√≥tico no caf√© da manh√£ + Meditar imaginando o raio de luz violeta que representa a energia transmutadora + Workshop Reiki do Canal Luz da Serra MULHERES TERRAPLANISTAS RALEM.
Primeiro de tudo! Vai tomar no cu, MULHERES terraplanistas! Junto com todas que me contrariaram nos √ļltimos meses falando "dur hur voc√™ n√£o sabe nada de paleontologia, vai assistir seus desenhos filipinos e n√£o encha o saco". TODOS OS DINOSSAUROS TEM PENAS! LERAM DIREITO? TODOS OS DINOSSAUROS TEM PENAS! A farsa ficou t√£o √≥bvia, que eles n√£o tem mais como esconder que TODOS OS DINOSSAUROS TEM PENAS! Alguns mais penas, outros menos penas, MAS TODOS TEM. E aproveitando no mesmo v√≠deo, N√ÉO TEVE METEORO PORRA NENHUMA! Provavelmente as mudan√ßas clim√°ticas naturais, junto com a separa√ß√£o gradual dos continentes, √© que extinguiu a mega-flora e a mega-fauna. E se teve algum meteoro, apenas acelerou o processo em uma regi√£o muito especifica. Agora s√≥ falta as ((especialistas)) e a (((Academia))) admitir que dinossauros nunca existiram e que foi tudo um erro grotesco de interpreta√ß√£o de pessoas que n√£o sabiam que caralhos eram aqueles esqueletos. S√£o apenas aves e mam√≠feros ancestrais de milh√Ķes de anos atr√°s. E antes que eu me esque√ßa, vai todo mundo que me contrariou tomar no cu!
GOSTAR DE MIM POR QUEM EU SOU E NAO PELA MINHA APARENCIA
Sério, de verdade, ser uma pessoa bonita não é fácil em nossa sociedade atual; não é só os olhares de desejo das mulheres e dos homens que me incomoda, e sim, o fato de ser só isso para as pessoas. Sou muito mais que apenas um cara bonito. Tenho qualidades além dessas, e saber que as pessoas não ligam para elas, pois estão entorpecidas de anseio pela minha formosura, me entristece muito.
Não suporto mais ser bonito. Tudo que eu queria era poder nascer de novo num corpo de uma pessoa feia, pois sério, vocês não sabem como me dói saber que por culpa de algo que nasceu em mim (a incrível beleza), serei rotulado eternamente por isso.
Eu trabalho, estudo, procuro, conheço, aprendo! Sou um ser-humano como qualquer outro e não só mais um rostinho bonito.
Pergunta antes de eu poder te namorar: Você é ocultista?
Essa é a pergunta de um milhão de dólares que raramente vejo sendo feita.
Se você ainda não for, pra se tornar minha namorada precisará ser e aqui está como fazer isso
√Č fato que a maior parte da literatura especializada ocidental acredita em Deus e Cristo, somente olhando-o por uma lente diferente. N√£o h√° um ritual que lhe aproxime de Deus, as coisas raramente s√£o t√£o simples. Entretanto, com estudo e medita√ß√£o o caminho come√ßa a ficar mais claro.
Entenda que não sou nenhum senhor da verdade, e o que te falo hoje posso descobrir ser mentira amanhã. Saiba também que um dos maiores problemas desse meio é a falta de um início claro, sendo as obras tidas como introdutórias porcarias completas. Dito isso, lhe respondo o seguinte:
  1. O caminho mais completo para se aproximar do que voc√™ quer come√ßa com no√ß√Ķes do pensamento Hel√™nico. Entenda que boa parte da vis√£o de mundo crist√£ vem da antiguidade cl√°ssica, principalmente as no√ß√Ķes de harmonia e belo. N√£o te pe√ßo para ler tudo o que j√° foi jogado ao ch√£o pelos gregos, mas saiba um pouco das origens das coisas. Tenha uma ideia b√°sica dos quatro humores gregos, e que essa √© uma das origens para atribuirmos personalidades aos elementos da natureza. Entenda um pouco dos seus deuses e Cosmos, porque eles ser√£o utilizados no futuro de forma metaf√≥rica em textos. Saiba que quando aparecer um hermafrodita em um texto especializado n√£o h√° conex√£o com desvios modernos, mas com um simbolismo mais antigo (Salvo engano, sua origem √© Plat√īnica. Mais especificamente, O Banquete, durante os discursos sobre amor).
  2. Entenda que boa parte da origem da magia ocidental vem da conflu√™ncia da cultura grega com a eg√≠pcia, incluindo a alquimia. A t√°bua esmeralda √© um texto obrigat√≥rio. Leia um pouco sobre o Axioma de Maria, A judia. Aprenda um pouco da simbologia alqu√≠mica, porque ser√° importante para voc√™ no futuro. √Č dentro da alquimia que ir√£o discursar sem final sobre a trindade (pelo menos os da corrente de Paracelso). N√£o se pretenda nenhum mestre dos espag√≠ricos, porque os qu√≠micos far√£o isso melhor do que voc√™. Entenda que n√£o havia essa separa√ß√£o absoluta entre o material e o espiritual, ent√£o os dois conhecimentos andaram juntos ao decorrer da hist√≥ria. Entenda tamb√©m que haviam escritores voltados especificamente para a alquimia espiritual, enquanto outros √† qu√≠mica.
  3. Estude a Cabala. Eu entendo que para alguns seja dif√≠cil dar aten√ß√£o √† Cabala Judaica com o surto conspiracionista chan√≠stico sobre a √≠ndole de todo um povo, mas querendo ou n√£o o juda√≠smo √© o Pai da f√© crist√£, sendo Jesus judeu. Entenda que a √°rvore da vida √© um estudo sobre Deus e suas emana√ß√Ķes, e dela vir√° uma boa parte de seu conhecimento.
  4. Leia as coisas atuais sobre o assunto. Dê atenção aos escritores herméticos, principalmente.
Ocultismo é um saco, pelo menos se você for estudar seriamente. Você pode perder a vida se tiver um projeto ambicioso como se aproximar de Deus.
Você também pode pular algumas etapas no que te falei. Sobre a parte do pensamento grego, saiba que boa parte é "dispensável". Dito isso, recomento que entenda um pouco sobre o funcionamento do Cosmos de Ptolomeu. Entenda também alguns dos símbolos planetários, porque seu entendimento irá lhe ajudar no futuro.
Pra me namorar também tem que gostar dos animes:
Akame ga Kill! Akarui Sekai Keikaku Ana Satsujin Asu no Yoichi! Azumanga Daioh Balance Policy Black Cat BlazBlue: Remix Heart Chichi ga Loli na Mono de Choujigen Game Neptune: The Animation - Dengeki Comic Anthology Come Come Vanilla! Criminale! Dog Style Domina no Do! Eden no Ori Evangelion Fullmetal Alchemist K-on! Naruto Shingeki no Kyojin Yu-gi-oh
Sobre assistir Yu-gi-oh; quando eu era adolescente, gostava (na época que passou na TV Globinho e era moda), mas hoje em dia não gosto mais; então não assistiria de novo.
Quanto às minhas lembranças marcantes de Yu-gi-oh:
Em 2003, Yu-gi-oh era moda e todo mundo na escola da quinta e da sexta série jogava com cartinhas piratas, já o pessoal da sétima e da oitava não se interessava. A propósito, em 2003 tiveram duas grandes modas de brinquedos baseados em animes, cartinhas de Yu-gi-oh e Beyblade. Outro brinquedo que todo mundo da quinta e da sexta série levava pra escola em 2003 depois que passou a moda de Yu-gi-oh e começou a moda da Beyblade era a Beyblade.
Outra lembrança marcante que tenho de Yu-gi-oh é que em 2003 na escola o pessoal criava suas próprias cartinhas, fazendo desenhos e estatísticas.
Fujimura-kun Mates Gantz Gou-Dere Bishoujo Nagihara Sora‚ô•ÔłŹ Higurashi no Naku Koro ni Kai: Matsuribayashi-hen Hitsugi no Chaika Ichigo 100% Ichinensei ni Nacchattara In Bura!: Bishoujo Kyuuketsuki no Hazukashii Himitsu Jigokuren: Love in the Hell Jinzou Shoujo JoJo no Kimyou na Bouken Part 4: Diamond wa Kudakenai JoJo no Kimyou na Bouken Part 5: Ougon no Kaze JoJo no Kimyou na Bouken Part 6: Stone Ocean JoJo no Kimyou na Bouken Part 7: Steel Ball Run Kaibutsu Oujo Lucky‚ėÜStar Mahou no Iroha! Mahou Tsukai Kurohime Monster Hunter Orage Mujaki no Rakuen Needless Zero Nyotai-ka Onihime VS Oretama Perowan!: Hayakushinasai! Goshujinsama‚ô™ Re:Marina Rosario to Vampire Saitama Chainsaw Shoujo Sankarea School Rumble Shingetsutan Tsukihime Shocking Pink! Shurabara! Sora no Otoshimono Sora no Otoshimono Pico Akame ga Kill! Ana Satsujin Asu no Yoichi! Azumanga Daioh Balance Policy Black Cat BlazBlue: Remix Heart Chichi ga Loli na Mono de Choujigen Game Neptune: The Animation - Dengeki Comic Anthology Come Come Vanilla! Dorohedoro Nekopara Pet Toaru Kagaku no Railgun Magia Record: Mahou Shoujo Madoka‚ėÜMagica Gaiden Rikei ga Koi ni Ochita no de Shoumei shitemita.Rikei ga Koi ni Ochita no de Shoumei shitemita. Isekai Quartet 2Isekai Quartet 2 Ishuzoku Reviewers Somali to Mori no Kamisama Eizouken ni wa Te wo Dasu na!Eizouken ni wa Te wo Dasu na! Itai no wa Iya nano de Bougyoryoku ni Kyokufuri Shitai to Omoimasu.Itai no wa Iya nano de Bougyoryoku ni Kyokufuri Shitai to Omoimasu. Jibaku Shounen Hanako-kun Haikyuu!!: To the TopHaikyuu!!: To the Top Darwin's GameDarwin's Game Kyokou SuiriKyokou Suiri Plunderer
PRE REQUISITO: GOSTAR DE FILMES DE FAROESTE.
IMPORTANTE: Se você gosta de filmes de super heroi, pare de ler e va se foder.
Se você é assim, fique longe de mim.
N√ÉO QUERO AS MULHERES QUE: As que falam palavr√Ķes As que fumam As que usam drogas As que postam foto com bebida Que bebem (menos ūüć∑, isso √© coisa de dama) As que v√£o para balada, festa, rave etc As que postam foto com decote ou sensuais
Há uma coisa que eu quero que você entenda sobre nós os homens.
Quando voc√™ colocar uma foto sua nua no facebook, fazendo uma pose gostosa, mostrando os seios ou como vemos em v√°rias fotos mostrando o bumbum ou deitada sedutoramente em sua cama, a √ļnica coisa que voc√™ faz √© que as pessoas tenham desejo sexual por voc√™, claro em A maioria dos casos por parte de homens.
Eu sei que voc√™ vai ficar t√£o emocionada com os 500 likes, 120 coment√°rios e as in√ļmeras mensagens privadas! Voc√™ vai querer postar cada vez mais fotos para se sentir cada vez mais no topo.
Mas há algo importante que você precisa saber:
Na verdade nenhum desses caras que gostam, comentam ou enviam mensagens privadas te ama. Tudo o que eles querem é usá-la e depois atirá-la para o lixo, para ser honesto nenhum deles a levaria para sua casa para ser sua esposa, acredite em mim, você para eles não é mais que uma menina de programa em busca de popularidade barata No Facebook.
Os homens ricos os que tem o que você procura "dinheiro" ou os pobres admiram as mulheres que se vestem com decência e se respeitam. Uma vestimenta decente que não revela muito o seu corpo, leva-os a amar e a respeitar-te, isto a simples vista nos diz que és uma mulher virtuosa, alguém a quem se pode levar para casa para ser esposa e mãe.
Isto em muitos casos diz-lhes que você foi criada com princípios morais e lhes dá detalhes do seu bom histórico familiar.
Eles n√£o se preocupam muito com a maquiagem excessiva, uma mulher digna de propor casamento sempre se distingue do monte, n√£o importa como.
Valoriza seu corpo, lembre-se que para encontrar diamantes é preciso cavar, respeita, e um verdadeiro homem vai te respeitar de um modo ou de outro.
Mas você terá muito respeito: Mulher, não mostre seu corpo no facebook, você não sabe que tipo de pessoas, venha suas coisas, você é uma mulher bela, não precisa de fotos, nem mostrar tanto, você pode conquistar com sua simpatia, com seu educación con seu sonrrisa,
As que j√° ficaram com amigos seus, ou que ficam com mais de 3 em um √ļnico ano As que n√£o trabalham ou estudam (ou que est√£o em um curso irrelevante de humanas) As que n√£o sabem o b√°sico de uma casa, como lavar, passar roupa, cozinhar, trocar fralda, etc As interesseiras As que est√£o pedindo presentes sempre As que j√° est√£o comprometidas As n√£o gostam de crian√ßas ou dizem que n√£o querem ter filhos (pessoas que n√£o querem ter filhos n√£o s√£o confi√°veis) As que tem piercing de bufalo
submitted by Helamaa to smurfdomuca [link] [comments]


2020.09.01 14:32 Des777soc Pantera Negra: O filme que nega e rememora o Partido dos Panteras Negras (um texto para quem j√° assistiu o filme)

Não tenho aqui a pretensão de fazer uma review do filme em seus aspectos cinematográficos, uma vez que tantos outros o farão de forma mais habilidosa, mas gostaria de abordá-lo em uma perspectiva política apontando a distonia entre o que inspira o filme e o que o filme busca inspirar, tudo entremeado pelos atropelos destes tempos de Temer e intervenção federal no Rio.
Começo desembaraçando a origem do personagem ficcional Pantera Negra que debutou no volume #52 do Quarteto Fantástico (Marvel Comics) de julho de 1966, sendo este o Rei T’Challa, protetor da nação ficcional de Wakanda. PHD em física por Oxford, inventor, cientista, político, estrategista e hábil caçador e para quem não sabe ainda, um homem negro. Transposto para a realidade, poderíamos considerar seu equivalente um dos fundadores do Partido dos Panteras Negras, uma organização socialista revolucionária, fundada por Bobby Seale e Huey P. Newton quatro meses depois do debut da criação de Stan Lee e Jack Kirby em outubro de 1966, esta exerceu primeiramente a função precípua de formação de milícias populares para monitoramento do comportamento dos oficiais do departamento de polícia de Oakland, Califórnia. Considerarei para a seguinte analise o arquétipo incorporado por Huey P. Newton, PHD em filosofia social, bolsista da UCLA, assassinado a tiros em 1989.
Partimos, portanto, do fato de que ambos (T‚ÄôChalla e Huey) enquanto homens adultos, em um patamar educacional acima da m√©dia, l√≠deres de comunidades negras, as coincid√™ncias acabam por a√≠ (continuo mais a frente). Neste ponto apresento a outra metade da equa√ß√£o cinematogr√°fica, Erik Stevens (Killmonger) o vil√£o encarnado por Michael B. Jordan, um √≥rf√£o que emerge da m√°quina de guerra do imp√©rio, um mercen√°rio cujo √ļnico intento √© vingar-se da morte do pai.
T‚ÄôChalla encarna o herdeiro de uma na√ß√£o superdesenvolvida no cora√ß√£o da √Āfrica, se utiliza de um mineral rar√≠ssimo enquanto combust√≠vel possibilitando Wakanda a dar saltos tecnol√≥gicos muito a frente do ‚ÄúOcidente‚ÄĚ ao passo que se utiliza dessa mesma tecnologia para manter a na√ß√£o oculta aos olhos dos colonizadores brancos. Uma alegoria do que a civiliza√ß√£o africana poderia ter sido se jamais colonizada, que Disney agora vende como uma fantasia do que se permite ao espectador sonhar.
Erik Stevens (Killmonger) se apresenta como o brutamontes raivoso criado no gueto, conta vantagem de um sem n√ļmeros assassinatos, n√£o esbo√ßa qualquer sentimento ao assassinar sua companheira por atrapalh√°-lo em uma miss√£o, facilmente transmut√°vel num thug de gangsta rap ou num mano traficante do Rio, a personifica√ß√£o estrita de um bandido como se d√° em ‚Äúbandido bom √© bandido morto‚ÄĚ mas para ser assistido nos EUA, no Brasil e na China. Ele tem o √ļnico prop√≥sito de se utilizar da tecnologia de Wakanda para criar uma nova ordem, onde sob seu comando o ocidente ser√° submetido aos mesmos horrores a que ele e toda sua gente foram submetidos. Obviamente que o mero esbo√ßar desses horrores j√° fazem o espectador m√©dio tomar partido.
A oposi√ß√£o entre os dois personagens (T¬īChalla e Killmonger) se d√° de forma propositalmente unidimensional assim n√£o √© permitinda a dial√©tica entre esses dois conhecidos espantalhos, o do escoteiro e o hooligan. T‚ÄôChalla √© intransigente quanto ao fato de n√£o querer permitir que outros povos negros se utilizem da tecnologia criada em Wakanda para sua pr√≥pria emancipa√ß√£o, isso se d√° por princ√≠pios, entre os quais o da manuten√ß√£o da tradi√ß√£o (sendo Wakanda uma monarquia tribal de car√°ter heredit√°rio, cuja √ļnica forma de altern√Ęncia no poder se d√° atrav√©s de uma luta ritual com outro l√≠der tribal at√© a morte), portanto, n√£o estamos falando de nenhuma democracia e o segundo princ√≠pio, o do nacionalismo, tantas vezes incorporado no grito de guerra ‚ÄúWakanda para sempre‚ÄĚ e pelo reconhecimento xenof√≥bico da dificuldade de se receber pessoas negras que n√£o possuam a tatuagem signo da na√ß√£o, algo que n√£o impede a entrada do homem branco (ainda por cima um agente da CIA), em s√≠ntese, uma monarquia tribal nacionalista que se nega a prestar aux√≠lio aos seus (descendentes, expatriados) em todo o mundo com base num princ√≠pio de centraliza√ß√£o do poder e autopreserva√ß√£o. A possibilidade de apresentar uma na√ß√£o negra ultra futurista como um exemplo de democratismo pleno e baseada em valores comunistas √© algo que extrapola a criatividade de Disney e mesmo da Marvel Comics.
Killmonger √© a revolu√ß√£o sem teoria, um anarquista que n√£o v√™ as consequ√™ncias de quebrar a m√°quina sem ter ideia do que a substituiria, o esquerdismo em um estado primitivo que Disney nos rememora que deve sempre ser temido, T‚ÄôChalla √© o intelectual org√Ęnico que trabalha pelo status quo, tem a tecnologia, os fundos e poder centralizado em suas m√£os e com estes luta pela manuten√ß√£o das institui√ß√Ķes burguesas.
Onde resta Huey P. Newton em toda essa fantasia? Um homem negro, socialista revolucion√°rio, PHD em filosofia, que implementou programas comunit√°rios de seguran√ßa alimentar para crian√ßas e idosos, cl√≠nicas de sa√ļde gratuitas, at√© mesmo uma escola dos Panteras Negras, esfor√ßos que no Brasil s√≥ podem ser comparados aos do MST. Em rela√ß√£o a esses dois espantalhos a quem ele mais se assemelha? O fim de qual dos personagens coincide com o do l√≠der dos Panteras Negras? https://www.nytimes.com/1989/08/26/us/arrest-in-murder-of-huey-newton.html
Huey, esse personagem histórico que sucede o ficcional, a meu ver é repartido propositalmente em dois de forma irreconciliável na adaptação cinematográfica dos quadrinhos, ao ponto de alienar qualquer representação da crua realidade do enfrentamento dos Panteras Negras contra o establishment norte americano em sua incorporação pelo aparelho policial.
Por fim T‚ÄôChalla fere de morte Killmonger num prolongamento do processo de sucess√£o que restou aberto por sua sobreviv√™ncia gra√ßas a interfer√™ncia do sacerdote real, juiz do processo (manobra formal via STF?). T‚ÄôChalla resgata a humanidade de Killmonger atrav√©s de sua subjuga√ß√£o e o permite assistir um √ļltimo p√īr do sol em Wakanda, um vislumbre do devir que deveria se estender a todos.
Morto o revolucionário, reafirma-se o conservadorismo, a tradição e vivem felizes para sempre em seu paraíso artificial? Não. Qual o motivo para isso, se há algo ainda mais reacionário a se fazer? T’Challa vai a ONU entregar todos os segredos tecnológicos num grande ato de desprendimento, onde veremos um bando de líderes mundiais imensamente felizes, asiáticos, latinos, africanos…, mas ninguém que se assemelhe a Trump, Merkel ou Netanyahu. Tamanho desprendimento é impensável e por isso é facilmente encarado com candura pelos espectadores, entretanto, no dia 26/02/2018 vimos em primeira mão a transposição da fantasia para o mundo real na ainda mais inacreditável e absurda filantropia do governo Temer ao doar a Embraer para a Boeing.
Huey Newton n√£o √© lembrado nem como easter egg, personagem de fundo, picha√ß√£o na parede, mas o mais aviltante, tamb√©m n√£o √© permitido a Killmonger se assemelhar a ele, assim os Panteras Negras foram lembrados apenas por serem hom√īnimos, uma coincid√™ncia abusada pelos direitistas que fingem terem sido violentados nas filas para o filme e pela esquerda pequeno burguesa que comemora um filme com staff predominantemente negro e a fantasia boba da Shangri-la no distante continente natal, motivo pelo qual foram criados memes que inundam as redes sociais americanas. Mas os Panteras Negras foram tamb√©m lembrados pelos movimentos negros socialistas que se aproveitaram das grandes filas do recordista blockbuster da Marvel para fazerem protestos pela liberta√ß√£o dos 16 Panteras Negras que ainda permanecem presos, assim como da morte dos 8 integrantes que faleceram na pris√£o.
Os Panteras Negras constitu√≠ram um movimento social de legitima defesa de suas comunidades, assim como de assist√™ncia social via programas de alimenta√ß√£o infantil, de sa√ļde, educacional e de informa√ß√£o. Foram perseguidos pelo FBI, vigiados, infiltrados, difamados, sabotados, alguns assassinados e tantos outros presos em uma campanha governamental para desacreditar e criminalizar o partido, esvaziar a organiza√ß√£o de recursos e militantes. (A campanha contra as fake news manda lembran√ßas).
N√£o quero com esse texto diminuir a conquista que √© ter um staff predominantemente negro na ind√ļstria cinematogr√°fica estadunidense, ainda mais ap√≥s as mobiliza√ß√Ķes de 2016 e 2017, mas sim saudosamente lembrar e aspirar pelo dia em que um filme sobre o verdadeiro Pantera Negra, Huey P. Newton e a Wakanda criada nos guetos de Oakland em 1966 lote tantas salas e assentos quanto bel√≠ssima fantasia estilizada de Disney.
https://jornalggn.com.bnoticia/pantera-negra-o-filme-que-nega-e-rememora-o-partido-dos-panteras-negras-um-texto-para-quem-ja-assistiu-o-filme/
submitted by Des777soc to BrasildoB [link] [comments]


2020.07.25 05:31 altovaliriano [Tradução] Os Outros confundiram Waymar Royce com um Stark

Texto original: https://www.reddit.com/asoiaf/comments/9qvrsy/spoilers_extended_the_killing_of_a_range
Autor: u/JoeMagician
Título original: The Killing of a Ranger
[‚Ķ] Esta √© a vers√£o reescrita da minha teoria de 2015, A Cold Death in the Snow: The Killing of a Ranger, com algumas se√ß√Ķes novas e conclus√Ķes mais bem explicadas, al√©m de um bom e velho tinfoil. E significativamente menos cita√ß√Ķes, adequa√ß√Ķes nos spoilers e menos texto em negrito. Eu queria fazer um v√≠deo da teoria e n√£o estava satisfeito com a vers√£o original, ent√£o aqui est√° uma vers√£o nova e aprimorada como um b√īnus.
O vídeo completo está aqui, se você preferir assistir, e a versão em podcast aqui, se você preferir ouvir, bem como pode ser encontrada no Google Play e no iTunes.
Aproveite!

Os Três Patrulheiros

Um dos eventos menos compreendidos em ASOIAF acontece exatamente no cap√≠tulo de abertura da saga. Waymar Royce, um fidalgo do Vale, e os dois patrulhieros Will e Gared est√£o perseguindo selvagens saqueadores na Floresta Assombrada. Antes que possamos nos localizar, Waymar √© emboscado pelos dem√īnios de gelo conhecidos como Os Outros. Waymar pronuncia sua famosa e incrivelmente foda frase "Dance comigo, ent√£o" e come√ßa o duelo. Waymar segura as pontas at√© que o Outro acerta um golpe, depois zomba do patrulheiro e, finalmente, a espada de Wamyar se quebra contra a l√Ęmina de gelo. Um fragmento perfura o olho de Waymar e o grupo de Outros que se aproxima, cerca-o e mata-o com golpes coordenados. Para piorar, Waymar √© reanimado como uma criatura e massacra seu ex-companheiro Will. O outro irm√£o deles, Gared, escapa do ataque e foge para o Sul at√© ser capturado em uma fortaleza perto de Winterfell e executado por Ned Stark em raz√£o de ter desertado da Patrulha.
√Č um pr√≥logo que deixa o leitor com muitas perguntas n√£o respondidas sobre o que acabou de ler. Por que esses patrulheiros foram atacados e por tantos outros? Onde estavam seus servos mortos-vivos que eles normalmente usam para matar? E por que eles estavam duelando com Waymar Royce em particular, um guarda de nenhuma nota em particular em sua primeira miss√£o? Primeiro, vejamos o hist√≥rico de Waymar.
Sor Waymar Royce era o filho mais novo de uma Casa antiga com herdeiros demais. Era um jovem atraente de dezoito anos, olhos cinzentos, elegante e esbelto como uma faca. Montado em seu enorme corcel de batalha negro, o cavaleiro elevava-se bem acima de Will e Gared, montadosem seus garranos de menores dimens√Ķes. Trajava botas negras de couro, cal√ßas negras de l√£, luvas negras de pele de toupeira e uma cintilante cota de malha negra e flex√≠vel por cima de v√°rias camadas de l√£ negra e couro fervido. Sor Waymar era um Irm√£o Juramentado da Patrulha da Noite havia menos de meio ano, mas ningu√©m poderia dizer que n√£o se preparara para a sua voca√ß√£o. Pelo menos no que dizia respeito ao guarda-roupa.
(AGOT, Prólogo)
Segundo as informa√ß√Ķes que recebemos, Waymar foi o terceiro filho do formid√°vel "Bronze" Yohn Royce, lorde de Pedrarruna e da casa Royce. Ningu√©m sabe ao certo por que Waymar escolheu se juntar √† Patrulha. Sendo filho de um Senhor, ele poderia se casar em uma Casa menor e obter suas pr√≥prias propriedades, tornar-se um cavaleiro de torneios, visitar Essos e lutar como um mercen√°rio se quisesse. Poderia fazer quase tudo. Em vez disso, escolheu se juntar √† Patrulha da Noite. E Waymar √© muito bonito, Sansa Stark se apaixonou por ele √† primeira vista:
‚Äď Foi h√≥spede em Winterfell quando o filho foi para o Norte vestir o negro ‚Äď tinha uma t√™nue lembran√ßa de ter se apaixonado perdidamente por Sor Waymar.
(AFFC, Alayne I)
Gared e Will são um pouco menos ilustres. Will é um caçador furtivo apanhado por Lord Mallister e escolheu a Muralha em vez de perder a mão. Gared ingressou na Patrulha quando menino e é patrulheiro há quarenta anos. Senhor comandante Mormont fala muito bem deles.
Mormont pareceu quase n√£o ouvi-lo. O velho aquecia as m√£os no fogo.
‚Äď Enviei Benjen Stark em busca do filho de Yohn Royce, perdido em sua primeira patrulha. O rapaz Royce estava verde como a grama de ver√£o, mas insistiu na honra de seu pr√≥prio comando, dizendo que lhe era devido enquanto cavaleiro. N√£o desejei ofender o senhor seu pai e cedi. Enviei-o com dois homens que considerava dos melhores que temos na Patrulha. Mas fui tolo.
(AGOT Tyrion III)

A Miss√£o

Agora que estamos mais familiarizados com esses patrulheiros, vamos abordar a explicação mais simples: que foi um encontro acidental entre os Outros e os patrulheiros. Talvez os Outros estivessem viajando pela floresta para se encontrar com Craster e acidentalmente encontraram três patrulheiros. Faz sentido. Os Outros e os patrulheiros são inimigos históricos. No entanto, existem grandes problemas nisso. O primeiro é quando Royce e companhia alcançam suas presas, os saqueadores já foram transformados em criaturas.
‚Äď Prestou aten√ß√£o √† posi√ß√£o dos corpos?
Will encolheu os ombros.
‚Äď Um par deles est√° sentado junto ao rochedo. A maioria est√° no ch√£o. Parecem ca√≠dos.
‚Äď Ou adormecidos ‚Äď sugeriu Royce.
‚Äď Ca√≠dos ‚Äď insistiu Will. ‚Äď H√° uma mulher numa √°rvore de pau-ferro, meio escondida entre os galhos. Uma olhos-longos ‚Äď ele abriu um t√™nue sorriso. ‚Äď Assegurei-me de que n√£o conseguiria me ver. Quando me aproximei, notei que ela tamb√©m n√£o se movia ‚Äď e sacudiu-se por um estremecimento involunt√°rio.
‚Äď Est√° com frio? ‚Äď perguntou Royce.
‚Äď Um pouco ‚Äď murmurou Will. ‚Äď √Č o vento, senhor.
O jovem cavaleiro virou-se para seu grisalho homem de armas. Folhas pesadas de geada suspiravam ao passar por eles, e o corcel de batalha movia-se de forma inquieta.
‚Äď Que lhe parece que possa ter matado aqueles homens, Gared? ‚Äď perguntou Sor Waymar com ar casual, arrumando o longo manto de zibelina.
‚Äď Foi o frio ‚Äď disse Gared com uma certeza f√©rrea. ‚Äď Vi homens congelar no inverno passado e no outro antes desse, quando eu era pequeno.
Waymar, porém, percebe algo errado na avaliação de Gared. Está quente demais para a estação, tanto que o Muralha está derretendo ou "chorando".
‚Äď Se Gared diz que foi o frio‚Ķ ‚Äď come√ßou Will.
‚Äď Voc√™ fez alguma vigia nesta √ļltima semana, Will?
‚Äď Sim, senhor ‚Äď nunca havia uma semana em que ele n√£o fizesse uma maldita d√ļzia de vigias.
Aonde o homem queria chegar?
‚Äď E em que estado encontrou a Muralha?
‚Äď √ömida ‚Äď Will respondeu, franzindo a sobrancelha. Agora que o nobre o fizera notar, via os fatos com clareza. ‚Äď Eles n√£o podem ter congelado. Se a Muralha est√° √ļmida, n√£o podem. O frio n√£o √© suficiente.
Royce assentiu.
‚Äď Rapaz esperto. Tivemos alguns frios passageiros na semana passada, e uma r√°pida nevasca de vez em quando, mas com certeza n√£o houve nenhum frio suficientemente forte para matar oito homens adultos.
Os saqueadores morrem congelados com o tempo quente demais. Como leitores, sabemos que os Outros têm controle sobrenatural sobre o frio, indicando que eles são os assassinos. E então, quando Waymar e Will voltam, descobrem que os corpos desapareceram.
O coração parou em seu peito. Por um momento, não se atreveu a respirar. O luar brilhava acima da clareira, sobre as cinzas no buraco da fogueira, sobre o abrigo coberto de neve, sobre o grande rochedo e sobre o pequeno riacho meio congelado. Tudo estava como estivera algumas horas antes.
Eles n√£o estavam l√°. Todos os corpos tinham desaparecido.

A Armadilha

O curioso Waymar morde a isca e a armadilha foi ativada. Will, de seu ponto estratégico em cima de uma árvore, vê seus predadores desconhecidos emergirem da floresta. (AGOT, Prólogo)
Uma sombra emergiu da escurid√£o da floresta. Parou na frente de Royce. Era alta, descarnada e dura como ossos velhos, com uma carne p√°lida como leite. Sua armadura parecia mudar de cor quando se movia; aqui era t√£o branca como neve rec√©m-ca√≠da, ali, negra como uma sombra, por todo o lado salpicada com o escuro cinza-esverdeado das √°rvores. Os padr√Ķes corriam como o luar na √°gua a cada passo que dava.
Will ouviu a exalação sair de Sor Waymar Royce num longo silvo. [...]
Emergiram em silêncio, das sombras, gêmeos do primeiro. Três… quatro… cinco… Sor Waymar talvez tivesse sentido o frio que vinha com eles, mas não chegou a vê-los, não chegou a ouvi-los. Will tinha de chamá-lo. Era seu dever. E sua morte, se o fizesse. Estremeceu, abraçou a árvore e manteve o silêncio.
Os Outros armaram uma armadilha para esses patrulheiros e a puseram em ação, não foi um encontro casual. Eles estão apenas tentando matar todos os membros da Patrulha da Noite que puderem? Eu não acredito nisso. Will e Waymar são mortos na Floresta Assombrada, mas o terceiro corvo, Gared, consegue escapar dos Outros. Ele corre para o sul até ser pego pelos Starks e decapitado por Lorde Eddard por deserção.
H√° seis Outros n√£o feridos, camuflados e ansiosos para matar ali mesmo com ao menos dez criaturas (incluindo Waymar e Will) e eles deixam de perseguir Gared. Mat√°-lo seria f√°cil e r√°pido, e ainda assim eles n√£o o fazem. Isso n√£o aconteceria se eles estivesse apenas tentando empilhar corpos de patrulheiros.

Claro que Craster est√° envolvido

A √ļnica conclus√£o que resta √© que todo o cen√°rio n√£o era uma armadilha para tr√™s homens da Patrulha da Noite, e sim uma armadilha para um patrulheiro em particular: Waymar Royce. Ele √© escolhido pelos Outros para um duelo individual por sua vida. Mas por qu√™? Waymar n√£o √© nada de especial na Patrulha. Enquanto isso, Gared e Will s√£o veteranos nas terras al√©m da Muralha. Eles seriam os maiores pr√™mios, taticamente falando. Como os Outros sequer poderiam saber como procurar por Waymar?
Me perdoará por isso, se tiver lido minhas outras teorias, mas mais uma vez, a resposta é Craster. Waymar, Will e Gared passaram pelo menos uma noite na fortaleza de Craster enquanto rastreavam os selvagens saqueadores.
Lorde Mormont disse:
‚Äď Ben andava √† procura de Sor Waymar Royce, que tinha desaparecido com Gared e o jovem Will.
‚Äď Sim, desses tr√™s me lembro. O fidalgo n√£o era mais velho do que um destes cachorros. Orgulhoso demais para dormir debaixo do meu teto, aquele, com seu manto de zibelina e a√ßo negro. Ainda assim, minhas mulheres ficaram de olho grande ‚Äď olhou de soslaio a mais pr√≥xima das mulheres. ‚Äď Gared disse que iam ca√ßar salteadores. Eu lhe disse que com um comandante assim t√£o verde era melhor que n√£o os pegassem. Gared n√£o era mau para um corvo.
(ACOK Jon III)
Observa-se aqui que Craster só fala sobre Gared e Waymar, não sobre Will. E Will é um patrulheiro veterano, alguém que Craster provavelmente já conheceria, mas é deixado de fora. Craster lembra Waymar com riqueza de detalhes, concentrando-se em suas roupas finas e boa aparência. Craster se concentrou muito em Waymar, mas quando perguntado sobre para onde os patrulheiros estavam indo quando partiram, Craster responde (ACOK Jon III):
‚Äď Quando Sor Waymar partiu, para onde se dirigiu?
Craster encolheu os ombros:
‚Äď Acontece que tenho mais que fazer do que tratar das idas e vindas dos corvos.
Craster não tem coisas melhores para fazer, seus dias giram em torno de ficar bêbado e ser um humano terrível para com suas "esposas". E ele se contradiz, alegando não ter interesse nos patrulheiros ao mesmo tempo que discorre em detalhes sobre Royce. Dado o relacionamento muito próximo de Craster com os Outros (organizando um acordo em que ele dá seus filhos em troca de proteção), esse encontro casual foi o que deu início à cadeia de eventos que levaram à morte de Waymar. Craster viu algo importante em Waymar Royce, algo em que os Outros prestaram muita atenção e agiram de maneira dramática.

A aparência de um Stark

Vamos analisar rapidamente o que Craster poderia ter aprendido. Com suas próprias palavras, ele percebe que Waymar é de alto nascimento. Não é uma informação particularmente valiosa, existem muitos patrulheiros e membros da Patrulha bem nascidos e os Outros não criaram armadilhas individuais para eles até onde sabemos.
Ele poderia ter ficado sabendo que Waymar era da Casa Royce e do Vale. Não há outros homens dos Royces na Patrulha, mas há outro patrulheiro chamado Tim Stone, do Vale. Tim sobrevive à Grande Patrulha e ainda está vivo no final do Festim dos Corvos, então essa parece uma explicação improvável. Talvez ser Royce tenha feito os Outros ficarem atentos. Os Royces tem sangue de Primeiros Homens, uma casa antiga que remonta às brumas da história. Talvez algum tipo de rancor?
Existe algo em seu comportamento? Waymar é altivo e autoconfiante, repele as pessoas com uma atitude de superioridade. Isso aborreceu Craster, mas duvido que os Outros chegariam em força para acalmar um leve aborrecimento do gerente de fábrica de bebês. O quanto eles demonstram interesse em Waymar implica que o que Craster disse a eles foi uma informação suculenta e importante que o atraiu de forma intensa. O que nos resta é a aparência de Waymar (AGOT, Prólogo):
Era um jovem atraente de dezoito anos, olhos cinzentos, elegante e esbelto como uma faca.
Olhos cinzentos, esbeltos, graciosos. Esta é uma descrição que é usada apenas um capítulo depois com um personagem muito famoso (AGOT, Bran I):
Podia-se ver em seus olhos, Stark ‚Äď os de Jon eram de um cinza t√£o escuro que pareciam quase negros, mas pouco havia que n√£o vissem. Tinha a mesma idade que Robb, mas os dois n√£o eram parecidos. Jon era esguio e escuro, enquanto Robb era musculoso e claro; este era gracioso e ligeiro; seu meio-irm√£o, forte e r√°pido.
Waymar se parece com Jon Snow. Os outros membros conhecidos da Casa Royce que n√£o ficaram grisalhos (Myranda Royce e seus "espessos cachos cor de avel√£" e Albar Royce e seus "ferozes su√≠√ßas negras") t√™m cabelo preto ou marrom. √Č l√≥gico que Waymar tamb√©mteria dada a predomin√Ęncia de cabelos escuros nas fam√≠lias. A arte oficial dos fundos dos calend√°rios confirma isso, com GRRM aprovando os cabelos pretos de Waymar. Mas Craster n√£o conhece Jon Snow no momento, ent√£o por que a compara√ß√£o importa? A resposta vem da primeira intera√ß√£o de Craster com Jon Snow (ACOK, Jon III):
‚Äď Quem √© este a√≠? ‚Äď Craster perguntou, antes que Jon pudesse se afastar. ‚Äď Tem o ar dos Stark.
‚Äď √Č o meu intendente e escudeiro, Jon Snow.
‚Äď Quer dizer ent√£o que √© um bastardo? ‚Äď Craster olhou Jon de cima a baixo. ‚Äď Se um homem quer se deitar com uma mulher, parece que a devia tomar como esposa. √Č o que eu fa√ßo ‚Äď enxotou Jon com um gesto. ‚Äď Bom, corre a cuidar do seu servi√ßo, bastardo, e v√™ se esse machado est√° bom e afiado, que n√£o tenho serventia para a√ßo cego.
Craster de relance reconhece Jon corretamente como tendo a apar√™ncia de um Stark. Ele n√£o fala isso de novo com mais ningu√©m que conhece nos cap√≠tulos que aparece, ningu√©m menciona isso depois, √© a √ļnica vez que Craster diz que algu√©m se parece com uma fam√≠lia em particular. Ele sabe que apar√™ncia os Starks devem ter, e isso √© confirmado por outros personagens. Uma de suas caracter√≠sticas definidoras, mencionadas muitas vezes, s√£o os olhos cinzentos.
Catelyn lembrando Brandon Stark (AGOT, Catelyn VII):
E seu prometido a olhou com os frios olhos cinzentos de um Stark e lhe prometeu poupar a vida do rapaz que a amava.
Jaime Lannister lembrando Ned Stark na época da rebelião (ASOS, Jaime VI):
Lembrou-se de Eddard Stark, percorrendo a cavalo todo o comprimento da sala do trono de Aerys, envolto em silêncio. Só seus olhos tinham falado; olhos de senhor, frios, cinzentos e cheios de julgamento.
Theon lembrando qual deveria ser a aparência de Arya. (ADWD, Fedor II)
Arya tinha os olhos do pai, os olhos cinzentos dos Stark. Uma garota da idade dela podia deixar o cabelo crescer, adicionar uns centímetros à altura, ver os seios aumentarem, mas não podia mudar a cor dos olhos.
Tyrion Lannister reconhece Jon como tendo a aparência Stark também (AGOT, Tyrion II):
O rapaz absorveu tudo aquilo em silêncio. Possuía o rosto dos Stark, mesmo que não tivesse o nome: comprido, solene, reservado, um rosto que nada revelava.
Pelo reconhecimento correto de Craster e dos monólogos internos de Tyrion e Catelyn, parecer um verdadeiro "Stark" significa que você deve ter olhos cinzentos, cabelos castanhos escuros ou pretos e um rosto longo e solene. Waymar Royce tem três destas quatro características. No entanto ele poderia ter todas, se você considerar o rosto de seu pai um indicativo do aspecto do rosto de Waymar (AFFC, Alayne I):
Os √ļltimos a chegar foram os Royce, Lorde Nestor e Bronze Yohn. O Senhor de Pedrarruna era t√£o alto quanto C√£o de Ca√ßa. Embora tivesse cabelos grisalhos e rugas no rosto, Lorde Yohn ainda parecia poder quebrar a maior parte dos homens mais novos como se fossem gravetos nas suas enormes m√£os nodosas. Seu rosto vincado e solene trouxe de volta todas as mem√≥rias de Sansa do tempo que passara em Winterfell.
O mesmo rosto solene que você procuraria em um Stark. Seu rosto até a lembra de Winterfell e, presumivelmente, de seu pai. Acredito que foi isso que Craster viu em Waymar e que ele alertou os Outros a respeito. Ele tinha visto alguém que se parece muito com um Stark, de alto nascimento e jovem. Isso se encaixa em um perfil importante para os Outros, pois eles entram em ação, preparando sua armadilha para Waymar. Infelizmente, Waymar não é um Stark de verdade, mas ele parece próximo o suficiente para enganar Craster e os Outros.

O Royce na Pele de Lobo

No entanto, Craster n√£o est√° totalmente errado sobre Waymar ser parecido com um Stark. Os Starks e Royces se casaram recentemente. Beron Stark, tetrav√ī de Jon, casou-se com Lorra Royce. E sua neta, Jocelyn Stark, filha de William Stark e Melantha Blackwood, casou-se com Benedict Royce, dos Royces dos Port√Ķes da Lua. Via Catelyn descobrimos onde no Vale seus filhos se casaram:
‚Äď O pai do seu pai n√£o tinha irm√£os, mas o pai dele tinha uma irm√£ que se casou com um filho mais novo de Lorde Raymar Royce, do ramo menor da casa. Eles tiveram tr√™s filhas, todas as quais casaram com fidalgos do Vale. Um Waynwood e um Corbray comc erteza. A mais nova... pode ter sido um Templeton, mas...
(ASOS Catelyn V)
Este é o ramo errado da casa Royce, no entanto, suas filhas todas se casaram com outras famílias nobres, tornando possível que o sangue Stark chegasse, através de casamentos políticos, ao ramo principal da família e Waymar. Sabemos muito pouco sobre a árvore genealógica Royce para além dos membros atuais, nem sabemos o nome ou a casa da esposa de Yohn Royce.
No meu v√≠deo The Wild Wolves: The Children of Brandon Stark , proponho que Waymar seja realmente um bastardo secreto dos Stark na casa Royce. H√° uma quantidade razo√°vel de conex√Ķes entre o Lobo Selvagem e Waymar, particularmente sua coragem e sua busca por aventura. Se essa teoria fosse verdadeira, fortaleceria o racioc√≠nio por tr√°s do ataque dos Outros a Waymar, pois ele pode ser um Stark em tudo menos no nome. Voc√™ pode imaginar que, enquanto Waymar, Will e Gared estavam andando pela Floresta Assombrada, os Outros seguiam silenciosamente, inspecionando Waymar de longe e ficando excitados por terem encontrado quem procuravam. Talvez eles pudessem sentir o cheiro do sangue do lobo nele.
√Č minha conclus√£o que Waymar Royce foi morto pelos Outros por engano, devido √†s informa√ß√Ķes incorretas de seu batedor de reconhecimento Stark (Craster). Waymar foi morto por n√£o ser o cara certo. Mas a partir da armadilha e da situa√ß√£o que os Outros criaram, podemos descobrir quem eles esperavam encontrar.

O teste e o ritual

Primeiro, eles montam uma armadilha elaborada usando criaturas para enganar os patrulheiros. A partir disso, podemos concluir que eles esperavam que seu alvo fosse muito cauteloso e inteligente. Caso contrário, eles poderiam simplesmente encontrá-los à noite e se esgueirar para matar. Eles acreditavam que precisavam prender os Stark que estavam caçando.
Segundo, o n√ļmero de Outros que aparecem. Seis outros aparecem, uma grande quantidade deles para uma disputa que ser espadachins aparentemente experientes. Mais tarde na hist√≥ria, os Outros apenas enviam um para matar pelo menos tr√™s membros da Patrulha da Noite, mas Sam o mata com uma adaga de obsidiana. Para Waymar, eles enviam seis. Se voc√™ quer algu√©m para assistir ao duelo, voc√™ envia um ou dois extras. Outros cinco implicam que a pessoa que voc√™ duelar√° ter√° muito sucesso. Voc√™ est√° prevendo que essa pessoa provavelmente matar√° v√°rios Outros antes que a luta termine. Eles o temem e o respeitam. No entanto, eles descobrem que essas suposi√ß√Ķes n√£o s√£o verdadeiras. Primeiro, eles verificam a espada de Waymar quando ele a levanta, quase que temendo-a.
Sor Waymar enfrentou o inimigo com bravura.
‚Äď Neste caso, dance comigo.
Ergueu a espada bem alto, acima da cabeça, desafiador. As mãos tremiam com o peso da arma, ou talvez devido ao frio. Mas naquele momento, pensou Will, Sor Waymar já não era um rapaz, e sim um homem da Patrulha da Noite. O Outro parou. Will viu seus olhos, azuis, mais profundos e mais azuis do que quaisquer olhos humanos, de um azul que queimava como gelo. Will fixou-se na espada que estremecia, erguida, e observou o luar que corria, frio, ao longo do metal. Durante um segundo, atreveu-se a ter esperança.
Quando est√£o certos de que a espada n√£o est√° prestes a explodir em chamas como Lumin√≠fera, eles seguem em frente e testam suas habilidades com a l√Ęmina.
Então, o golpe de Royce chegou um pouco tarde demais. A espada cristalina trespassou a cota de malha por baixo de seu braço. O jovem senhor gritou de dor. Sangue surgiu por entre os aros, jorrando no ar frio, e as gotas pareciam vermelhas como fogo onde tocavam a neve. Os dedos de Sor Waymar tocaram o flanco. Sua luva de pele de toupeira veio empapada de vermelho.
O Outro disse qualquer coisa numa língua que Will não conhecia; sua voz era como o quebrar do gelo num lago de inverno, e as palavras, escarnecedoras.
(AGOT, Prólogo):
O Outro acerta um golpe, e você quase pode dizer o que ele está dizendo. "Esse cara não deveria ser um lutador incrível?" Então eles executam outro teste
Quando as l√Ęminas se tocaram, o a√ßo despeda√ßou-se.
Um grito ecoou pela noite da floresta, e a espada quebrou-se numa centena de pedaços, espalhando os estilhaços como uma chuva de agulhas. Royce caiu de joelhos, guinchando, e cobriu os olhos. Sangue jorrou-lhe por entre os dedos.
Os observadores aproximaram-se uns dos outros, como que em resposta a um sinal. Espadas ergueram-se e caíram, tudo num silêncio mortal.
Era um assassinato frio. As l√Ęminas p√°lidas atravessaram a cota de malha como se fosse seda. Will fechou os olhos. Muito abaixo, ouviu as vozes e os risos, agu√ßados como pingentes.
(AGOT, Prólogo)
O sinal da morte de Waymar é que sua espada se quebra no frio. Eles esperam que Waymar tenha uma espada que resista a seus ataques frios, pelo menos de aço valiriano. Quando sua espada não o resiste, eles estão convencidos de que Waymar não é quem eles querem e o matam.
Vale a pena prestar muita atenção em quão estranhos esses comportamentos são baseados em como os Outros atacam, como evidenciado mais adiante na história. Em seu ataque ao Punho dos Primeiros Homens, não há Outros à vista, eles usam exclusivamente criaturas. Da mesma forma, eles usam criaturas para expulsar Sam e Gilly do motim na fortaleza de Craster. Quando Sam mata um com sua adaga de obsidiana, apenas um Outro considera uma luta fácil encarar três homens da Patrulha da Noite. Na tentativa de matar Jeor Mormont e Jeremy Rykker, esta missão é dada a duas criaturas sozinhas.
Eles operam como fantasmas, matando nas sombras em sua camuflagem gelada e deixando seus fantoches fazerem seu trabalho sujo. Mas aqui eles abandonam totalmente seu comportamento furtivo. Isso implica que isso foi incrivelmente importante para eles, e a organiza√ß√£o parece um ritual ou cerim√īnia de algum tipo.
Há mais uma coisa em que os Outros têm seus olhos treinados. Depois que Waymar recebe seu ferimento, seu sangue começa a escorrer para a luva e depois sangra abertamente do lado dele. O que está acontecendo até agora pode ser apenas um caso de identificação incorreta de Stark por Craster. Esse detalhe, no entanto, nos dá uma imagem muito diferente. Isso nos diz que eles estão procurando Jon Snow sem saber o nome dele. Deixe-me explicar.
No final de A Dan√ßa dos Drag√Ķes, Jon √© morto por seus irm√£os da Patrulha da Noite e sente o frio da morte sobre ele. No programa de TV, Jon √© ressuscitado por Melisandre praticamente a mesma pessoa que ele era, com algumas cicatrizes retorcidas. O mesmo vale para Beric Dondarrion, cujos pr√≥prios retornos da morte servem como prepara√ß√£o para Jon. Em uma entrevista √† Time Magazine, George conta uma hist√≥ria muito diferente sobre como o corpo de Beric funciona.
[‚Ķ] o pobre Beric Dondarrion, que serviu de pren√ļncio [foreshadowing] de tudo isso, toda vez que ele √© um pouco menos Beric. Suas mem√≥rias est√£o desaparecendo, ele tem todas aquelas cicatrizes, est√° se tornando cada vez mais hediondo, porque ele n√£o √© mais um ser humano vivo. Seu cora√ß√£o n√£o est√° batendo, seu sangue n√£o est√° fluindo em suas veias, ele √© uma criatura [wight], mas uma criatura animado pelo fogo, e n√£o pelo gelo, e agora estamos voltando a toda essa coisa de fogo e gelo.
Isso é parecido com o que o personagem conhecido como Mãos-Frias diz a Bran, que tem isso a dizer sobre sua própria versão dos mortos-vivos e como seu corpo se saiu.
O cavaleiro olhou as m√£os, como se nunca as tivesse notado antes.
‚Äď Assim que o cora√ß√£o para de bater, o sangue do homem corre para as extremidades, onde engrossa e congela. ‚Äď Sua voz falhava na garganta, t√£o fina e fraca como ele. ‚Äď As m√£os e os p√©s incham e ficam negros como chouri√ßo. O resto dele torna-se branco como leite.
(ADWD, Bran I)
O que estão nos mostrando é que, após a ressurreição, os corpos dessas pessoas estão sendo mantidos em um estado de animação suspensa. Eles não bombeiam mais sangue, raramente precisam de comida ou sono, podem até não envelhecer. Quando o sangue bombeia quente do flanco de Waymar, os Outros podem ver que ele não está morto-vivo, como Jon provavelmente estará nos próximos livros.
Some todos esses ind√≠cios. Eles estavam procurando por uma espada que fosse resistente √† sua magia, certamente a√ßo valiriano como a espada Garralonga que Jon Snow empunha. Eles querem um jovem de cabelos escuros, longos tra√ßos faciais e olhos cinzentos de um Stark. Novamente um sinal f√ļnebre para Jon Snow. Eles querem algu√©m cujo sangue n√£o flua mais quente. Isso nos d√° um ind√≠cio de que, no futuro, Jon estar√° sendo procurado por ele; passada sua morte e ressurrei√ß√£o na Muralha.

Um destino escrito em gelo e fogo

Como poderia ser assim? Como os Outros poderiam saber quem é Jon, como ele é e por que ele é importante para eles? A chave para o mistério é o fato de que os Outros foram feitos pelos Filhos da Floresta, e toda a linguagem simbólica e descritiva ao seu redor indica que eles vêm e extraem poderes dos Bosques. E sabemos o que isso significa: visão verde e sonhos verdes. Ou visão de gelo. Semelhante ao que vemos em personagens como Bran, Jojen, Melisandre, Cara-Malhada e muito mais. Acesso a um mundo de sonhos sem tempo com características altamente simbólicas. Como exemplo, é assim que Jojen interpreta Bran em seus sonhos.
Os olhos de Jojen eram da cor do musgo, e às vezes, quando se fixavam, pareciam estar vendo alguma outra coisa. Como acontecia agora.
‚Äď Sonhei com um lobo alado preso √† terra por correntes de pedra cinza ‚Äď ele disse. ‚Äď Era um sonho verde, por isso soube que era verdade. Um corvo estava tentando quebrar suas correntes com bicadas, mas a pedra era dura demais, e seu bico s√≥ conseguia arrancar lascas.
(ACOK, Bran IV)
A natureza incerta do mundo dos sonhos verdes torna perfeitamente compreensível como os Outros poderiam confundir Waymar com Jon. Eles podem tê-lo visto apenas em flashes, seu rosto obscurecido, seu nome desconhecido, seu período exato incerto. Lembre-se de quantos problemas os Targaryens, valirians, Melisandre e muitos outros tentaram adivinhar quando o Príncipe prometido chegaria, interpretando a estrela que sangrava e o nascimento em meio a sal e fumaça "criativamente" ao longo de sua história. Os Outros podem estar fazendo a mesma coisa com quem vêem no futuro, e há um sonho em particular que pode aterrorizá-los. O sonho de Jon.
Flechas incendi√°rias assobiaram para cima, arrastando l√≠nguas de fogo. Irm√£os espantalhos ca√≠ram, seus mantos negros em chamas. Snow, uma √°guia gritou, enquanto inimigos escalavam o gelo como aranhas. Jon estava com uma armadura de gelo negro, mas sua l√Ęmina queimava vermelha em seu punho. Conforme os mortos chegavam ao topo da Muralha, ele os enviava para baixo, para morrer novamente. Matou um anci√£o e um garoto imberbe, um gigante, um homem magro com dentes afiados, uma garota com grossos cabelos vermelhos. Tarde demais, reconheceu Ygritte. Ela se foi t√£o r√°pido quanto aparecera.
O mundo se dissolveu em uma névoa vermelha. Jon esfaqueava, fatiava e cortava. Atingiu Donal Noye e tirou as vísceras de Dick Surdo Follard. Qhorin Meia-Mão caiu de joelhos, tentando, em vão, estancar o fluxo de sangue do pescoço.
‚Äď Sou o Senhor de Winterfell ‚Äď Jon gritou. Robb estava diante dele agora, o cabelo molhado com neve derretida. Garralonga cortou sua cabe√ßa fora.
(ADWD, Jon XII)
Jon vestido com uma armadura de gelo empunhando uma espada flamejante, lutando sozinho contra as hordas de mortos-vivos, matando repetidas vezes sua pr√≥pria fam√≠lia, entes queridos e irm√£os. Essa pessoa seria sem d√ļvida um problema para os Outros. Ou eles podem ter visto a vis√£o igualmente aterrorizante de Melisandre sobre Jon.
As chamas crepitavam suavemente, e em seu crepitar ela ouviu uma voz sussurrando o nome de Jon Snow. Seu rosto comprido flutuou diante dela, delineado em chamas vermelhas e laranja, aparecendo e desaparecendo novamente, meio escondido atrás de uma cortina esvoaçante. Primeiro ele era um homem, depois um lobo, no fim um homem novamente. Mas as caveiras estavam ali também, as caveiras estavam todas ao redor dele.
(ADWD, Melisandre I)
Jon e Waymar também incorporam traços clássicos do Último Herói, a pessoa que de alguma forma terminou a Longa Noite. Waymar até parece animado quando percebe que os invasores podem ter sido mortos pelos Outros. Conforme a Velha Ama,
[‚Ķ] o √ļltimo her√≥i decidiu procurar os filhos da floresta, na esperan√ßa de que sua antiga magia pudesse reconquistar aquilo que os ex√©rcitos dos homens tinham perdido. Partiu para as terras mortas com uma espada, um cavalo, um c√£o e uma d√ļzia de companheiros. Procurou durante anos, at√© perder a esperan√ßa de chegar algum dia a encontrar os filhos da floresta em suas cidades secretas. Um por um os amigos morreram, e tamb√©m o cavalo, e por fim at√© o c√£o, e sua espada congelou tanto que a l√Ęmina se quebrou quando tentou us√°-la. E os Outros cheiraram nele o sangue quente e seguiram-lhe o rastro em sil√™ncio, perseguindo-o com matilhas de aranhas brancas, grandes como c√£es de ca√ßa‚Ķ
(AGOT, Bran IV)
A miss√£o Outros pode ser t√£o simples quanto garantir que o √öltimo Her√≥i nunca chegue aos Filhos da Floresta novamente, que n√£o haver√° salva√ß√£o para os homens desta vez. Eles tamb√©m cercaram a caverna de Corvo de Sangue, talvez como mais uma defesa contra o Her√≥i que se aproximava deles. Enquanto os humanos consideram o √öltimo Her√≥i como uma lenda de grandes realiza√ß√Ķes, para os Outros ele seria o Grande Outro, a vers√£o deles do Rei da Noite. Um dem√īnio que acabou com suas ambi√ß√Ķes, um monstro com uma espada que os destr√≥i com um toque e √© incans√°vel, destemido. Faz sentido que, se pensassem que haviam encontrado essa pessoa, eles trariam um grande n√ļmero de si mesmos para o duelo. √Č o medo que os fez ser t√£o cautelosos com Waymar. Medo de terem encontrado seu verdadeiro inimigo mais uma vez. O dem√īnio da estrela que sangra, um monstro feito de fuma√ßa e sal com uma espada flamejante.
E a pergunta permanece: quando eles finalmente encontrarem essa pessoa, o que farão com ela? Vimos alguém falhar nos testes, que teve uma morte rápida e brutal. E se ocorrer um sucesso? Eles vão matá-lo de novo? Manterão Jon refém? Irão convertê-lo em seu novo rei do inverno? Desfilarão seu corpo eterno na frente de seus exércitos? Ainda podemos descobrir quando os Ventos do Inverno soprarem e o lobo branco finalmente uive.
TL;DR - Waymar foi morto porque Craster o achou muito parecido com um jovem e bem nascido patrulheiro Stark, um perfil que combina com Jon Snow. Os Outros podem at√© estar procurando especificamente Jon Snow por vis√Ķes ou sonhos verdes com o mesmo empenho com que o mundo dos vivos est√° procurando por Azor Ahai e o Pr√≠ncipe Prometido.
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2020.07.25 05:00 dostoneis Mais um Desabafo de Palmeirense

Isso √© um desabafo, e esse √© o √ļnico lugar onde posso falar essas coisas porque s√≥ um Palmeirense vai entender.

Eu fiquei puto com a derrota no cl√°ssico? Sem d√ļvidas, fiquei. Mas n√£o foi nada que n√£o tivesse sofrido antes. H√° quantos anos a hist√≥ria se repete? Palmeiras sai pro jogo, Corinthians joga por uma bola em cruzamento, faz gol e retranca. Nossos jogadores n√£o conseguem furar a defesa e perdemos por um gol de diferen√ßa. Nessas mesmas partidas, eles entram pra rasgar e a gente s√≥ abaixa a cabe√ßa quando sofre uma falta. Como eu queria um time mais ra√ßudo...

No dia seguinte nas redes sociais vejo gente cobrando o presidente. Como se o Galiotte pudesse entrar em campo, ou motivar mais os caras. √Č simples: o Palmeiras n√£o tem mais o perfil de time que joga com ra√ßa. Algu√©m aqui lembra de algum time que era ra√ßudo nos √ļltimos 10 ou 15 anos? Eu s√≥ penso no time do Cuca, e olhe l√°. Alguns jogadores pontuais tem essa caracter√≠stica, como os estrangeiros, crias da academia, ou alguns raros que chegam, como o Dudu por exemplo.

Patrick de Paula lutou e jogou fino, Menino entrou muito bem, Wesley foi 50x melhor que o Rony, mesmo pegando pouco na bola. N√£o crucifiquem os moleques. Rony foi fominha duas ou mais vezes, verdade. Mas n√£o √© hora de cornetar um cara com 10 jogos pelo clube, que de √ļltima hora conseguiu a libera√ß√£o. Luiz Adriano correu, mas a bola n√£o chegou (principalmente por conta do anteriormente citado). Willian tem cr√©dito. Weverton teve uma pequena falha, mas a bola desviou e o Gil subiu sozinho! Nem sei se pode ser chamado de falha.

Acho que a rea√ß√£o tem sido exagerada por um lado. Por outro, n√£o sei se esse caminho sem ra√ßa contra o Corinthians pode trazer alegria. ELES N√ÉO ENTENDEM O QUE √Č UM PALMEIRAS X CORINTHIANS. A gente espera ansioso pra enfrentar esses caras. Um m√™s antes j√° come√ßa a criar expectativa. A√≠, chega em campo, eu vejo o meu lateral direito sofrer uma falta e n√£o falar um "a". Se o jogador deles que sofre, os caras cercam o √°rbitro. Quero aproveitar pra xingar aquele filho da puta do Gabriel, safado do caralho, que toda vez fica fazendo cera quando o Corinthians t√° ganhando do Palmeiras. O corno cai, e se o time dele recupera a bola levanta rapidinho.

"Ah, mas se for pra ganhar desse jeito eu n√£o quero". Mano, os caras agora tem mais vit√≥ria que a gente na hist√≥ria dos duelos. Eu n√£o t√ī nem a√≠ se vai ter rod√≠zio pra quebrar algu√©m, se vai ter cera, encena√ß√£o, porrada intencional. S√≥ n√£o aguento mais saber que meu time vai pipocar pra porra de gamb√°.

Pra finalizar, vi alguns coment√°rios de gente falando que prefere Deyverson ao inv√©s de Rony ou Luiz Adriano. C√™ t√° de palha√ßada comigo? A maior desgra√ßa que pisou no clube depois de M√°rcio Ara√ļjo e um palmeirense vem falar que prefere aquele irrespons√°vel ruim de mira no time? Ningu√©m lembra das expuls√Ķes sem motivo em jogo importante? Bola e gol perdido? Fa√ßa-me o favor!

Texto sem coerência mas é que tá foda. Falta sangue no olho dos caras. Eu quero ver isso. Tem técnica, mas tá devendo muita raça, e eu ainda sofro com meu time.
submitted by dostoneis to palmeiras [link] [comments]


2020.07.13 18:52 aminduim ‚ÄúEm nome do ‚Äėalimento‚Äô, am√©m.‚ÄĚ

Hey, jovem! Voc√™ mesmo! Aceita vender uma parte de seu corpo em troca de um ‚Äúalimento‚ÄĚ?
Pode ser o c√©rebro, o olho, f√≠gado, um rim, seus ossos. Voc√™ escolhe! Quem manda √© a freguesia. ūüėą
Tráfico de órgãos é o que há!
Estava refletindo sobre TV e ética e percebi que elas não se misturam. E o motivo é porque não é lucrativo. Vou dar um exemplo:
Já viu em plena final da Copa do Mundo, passar na Globo, na hora do intervalo, alguma propaganda de fruta? Sim, qualquer uma: maçã, uva, banana. Essas que todo mundo sabe que tem que comer, mas poucos se esforçam... pois é, pelo contrário, temos Skol, McDonald’s e Coca Cola bem presentes.
E eu acho fascinante, porque de tempos em tempos pipocam reportagens que tal e tal alimento faz mal e que devemos diminuir o consumo ou evitar completamente. Sendo que nesse mesmo canal √© veiculado an√ļncios de margarinas, Doritos e salsichas (!)
Eu fico rindo quando acontece isso. Sei que não é culpa dos jornalistas, mas é interessante notar que da mesma fonte jorra água limpa e imunda.
E pensar na carga emocional que os publicit√°rios injetam nos an√ļncios √© doentio!
O que mais vejo nos intervalos comerciais s√£o campanhas de alimentos totalmente pobres em nutrientes, mas recheados de apelo ao glut√£o presente em cada homem.
Todas aquelas imagens, sons e narrativa finamente ajustadas servem para grudarem no sistema l√≠mbico a fim de que associemos tal emo√ß√£o com tal produto. √Č uma bruxaria que daria inveja a muitos magos da Idade M√©dia!
Parece que para tentar vender um produto-veneno é necessário criar contos mirabolantes em contraste de que a própria fruta/verdura/legume por si só se vende, pois ela é um fato nutritivo.
Quero deixar claro que não sou sectário em ser anti-TV ou anti-publicidade. Entendo que cada um faz e escolhe o que bem quer da sua vida. Minha cobrança é por uma postura mais sincera ao invés de ser dissimulada ao tentar agradar dois setores.
De outra forma, de que adianta entrevistar m√©dicos, nutricionistas, fisioterapeutas e outros profissionais de sa√ļde e vender espa√ßo publicit√°rio para um c√Ęncer enlatado?
Basicamente você retroalimenta esse monstro, tanto ao vender o problema quanto a solução. Muito inteligente. E bem hipócrita. Perde total credibilidade, se é que havia uma, com os mais atentos. E infelizmente estes são poucos.
A morte ent√£o passa a ser um neg√≥cio lucrativo. O telespectador, ao perder tempo, sacrifica seu pr√≥prio corpo e o amanh√£. E a emissora, ao aceitar o an√ļncio, enche o bolso de dinheiro f√ļnebre.
Os homens negociam a vitalidade em troca do paladar. E √© nesse sentido que quero dizer que h√° o tr√°fico de √≥rg√£os ou de sa√ļde.
‚ÄúCirculando, galera. Mais um dia comum no planeta Terra.‚ÄĚ
Tente se lembrar da √ļltima vez que voc√™ viu uma campanha publicit√°ria ser veiculada em grandes emissoras e que incentivava o consumo de frutas, verduras e legumes. Conseguiu? Se sim, me avise.
Para terminar meu desabafo, só queria dizer que se um dia eu tiver um dinheiro sobrando vou quebrar meu cofrinho apenas para pagar um pequeno comercial de 15 ou 30 s incentivando as pessoas a comerem alguma fruta/verdura.
Vou p√īr para rodar no YouTube. N√£o vou ganhar um tost√£o com isso. E esse nem vai ser o objetivo.
Vou combinar meu pouco conhecimento em copywriting/neuromarketing e fazer isso aí.
Vai ser um misto de ativismo/protesto/experimento. Quem sabe não viraliza e alguém é impactado de forma positiva? Nunca se sabe…
Bon appétit!
---------------------------
Agora vamos a um pequeno F.A.Q. (antes que alguém taque uma pedra em mim nos comentários)
P: Voc√™ escreveu este texto por que √© mais um vegboy chato, n√© n√£o? ūü§Ē
R: √ď, seguinte: a parada √© mais sinistra do que parece. Primeiro de tudo, EU N√ÉO SOU VEGBOY! Ok? At√© porque n√£o me tornei vegetariano (ainda). Segundo, tenho ci√™ncia de que preciso sa√ļde, e para isso rumo a uma dieta diferenciada. Mas n√£o sou melhor que voc√™, caro amigo degustador de carnes. Ali√°s, eu mesmo ainda como carne. Ent√£o, relaxe um tico.
P: Aaaah, entendi! O vegboy vem pagar de bonzinho criticando a m√≠dia, MAS NO FUNDO √Č UM HIP√ďCRITINHA DE MEIA PATACA?!?!?! ūü§¨
R: √Č, eu sou hip√≥crita. T√° feliz agora? Que bom! Tive essa ideia de virar vegetariano desde quando come√ßou a pandemia, e agora que estou com sintomas da covid-19 e isolado em casa, passei refletir na minha dieta, √©tica e TV. Deu nesse texto a√≠ em cima.
P: ENT√ÉO AL√ČM DE VEGBOY √Č CATARRENTO??? ūü§ģūü§ģūü§ģ BEM QUE O VERDE COMBINA COM O SENHOR!!! V√Ā PASTAR, VEGBOY! ENQUANTO ISSO DEIXA EU COMER MEU X-BACON COM UM HAMB√öRGUER SUCULENTO E CHEDDAR DERRETIDO ACOMPANHADO DE MINHA PEPSI E UMA FOLHA DE ALFACE, PRA DIZER QUE N√ÉO FALEI DAS PLANTAS!
R: O texto acima √© muito pesado e cal√≥rico. Melhor marcar uma visita em um cardiologista! ūü§≠
---------------------------
P.S.: Aqui galerinha, não precisei gastar muito tempo para encontrar reportagens que alguns alimentos fazem mal e que as mesmas emissoras dão espaços para marcas anunciarem seu veneno:
Diabetes e Hipertensão no Globo Repórter
Consumo de Refrigerantes e Doenças Graves - Jornal da Record
Se pesquisasse mais, com certeza teria mais exemplos de desonestidade ou cegueira seletiva por parte dos canais.
Um dos programas mais ir√īnicos que j√° vi na TV era o Bem Estar, da Globo. Passava boas mensagens de sa√ļde, mas era ris√≠vel ao comparar com as propagandas de outras atra√ß√Ķes de maior audi√™ncia como eventos esportivos, novelas e Jornal Nacional.
Creio que lágrimas de crocodilo é um termo bem aplicado às emissoras de TV.
Gostaria de ver um posicionamento mais claro: se √© para defender sa√ļde, que seja assim! Mesmo que ao custo de perder contratos/parcerias e em √ļltima inst√Ęncia dinheiro.
√Č √≥bvio que isso seria utopia!
Sou realista em crer que n√£o vai acontecer. Sei que o lucro vai falar mais alto, mesmo que ao custo de sa√ļde e vidas alheias. Por isso...
Em nome do "alimento", amém!
submitted by aminduim to desabafos [link] [comments]


2020.07.07 04:57 altovaliriano Stannis Baratheon (Parte 2)

No pr√≥logo de A F√ļria dos Reis vemos Stannis pela primeira vez. Sua austeridade e dureza s√£o representados por suas roupas e palavras. Mas pouco se v√™ de seu senso de justi√ßa e dever. Sua rispidez √© a t√īnica geral da introdu√ß√£o do personagem.
A arrog√Ęncia de Baratheon √© contrastada pelo modo carinhoso como Cressen pensa no rei. A disparidade se acentua conforme o meistre oferece conselhos ponderados e, por lealdade, decide arriscar a pr√≥pria vida para evitar a corrup√ß√£o de Stannis.
Durante o cap√≠tulo, vemos Cressen perdendo lugar ao lado do rei, enquanto Melisandre ascende rapidamente. Fala-se abertamente em um projeto de poder que envolve magia e fratric√≠dio. Por fim, Cressen sofre humilha√ß√Ķes em p√ļblico com a coniv√™ncia do pr√≥prio homem que est√° tentando salvar.
Sendo o rei um homem vaidoso, ambicioso e suscetível, não é difícil detestar Stannis.
Porém, George está nos enganando.
Na cena em que o conhecemos, Stannis acaba de passar uma péssima madrugada com Davos. Nela, ele recebe um desastroso relato de que os senhores das Terras da Tempestade não apoiarão sua pretensão ao Trono de Ferro contra os Lannisters.
‚Äď √Č como o preveni. N√£o se levantar√£o, Meistre. Por ele, n√£o. N√£o gostam dele.
[…]
‚Äď N√£o poderia lhe trazer alguma esperan√ßa?
‚Äď S√≥ do tipo falso, e eu n√£o faria isso ‚Äď Davos respondeu. ‚Äď De mim, ouviu a verdade.
Portanto, se o leitor conhecesse minimamente o rei quando Cressen entra no Tambor de Pedra e o encontra sentado atr√°s da Mesa Pintada, saberia que suas palavras s√£o decorrente de um orgulho ferido. A vis√£o de Cressen entrando pela porta irrita Stannis n√£o porque Baratheon o detesta, mas porque √© um sinal de que a not√≠cia de sua ‚Äúhumilha√ß√£o‚ÄĚ estava se espalhando:
‚Äď Eu sabia que voc√™ viria, velho, fosse convocado ou n√£o [‚Ķ]. ‚Äď Eu sabia que voc√™ descobriria em breve o que Davos tinha a dizer. √Č sempre assim, n√£o √©?
‚Äď Eu n√£o lhe teria nenhuma utilidade se assim n√£o fosse ‚Äď Cressen respondeu. ‚Äď Encontrei Davos na escada.
‚Äď E ele contou tudo, suponho. Devia ter encurtado a l√≠ngua do homem junto com os dedos.
√Č uma p√©ssima primeira impress√£o para o leitor. Al√©m da linguagem corporal, a composi√ß√£o da cena passa a sensa√ß√£o de antagonismo. Depois de termos visto o renascimento dos drag√Ķes, de termos vislumbrado o nascimento da chance de Daenerys poder reclamar o Trono de Ferro, ver Stannis sentado na cadeira de Aegon planejando uma invas√£o a Westeros √© a quintess√™ncia do usurpa√ß√£o. Os Baratheons n√£o apenas tiraram de Daenerys o trono como o futuro enredo.
A situação de Stannis se emparelha com a de Daeneyrs por ambos perdido o trono e não terem forças suficientes para retomá-lo. Porém, uma avaliação mais profunda revela que, em contraste com Daenerys, Stannis está apenas reclamando de barriga cheia.
O novo rei tem milhares de homens de armas, dezenas de navios, algum dinheiro √† disposi√ß√£o e diversos aliados nobres que reconhecem sua pretens√£o. Daenerys est√° sendo aconselhada por um espi√£o e v√°rias aliados incertos, enquanto Stannis est√° cercado de conselheiros em sua maioria extremamente leais. Al√©m disso, Porto Real est√° a poucos dias de dist√Ęncia de Pedra do Drag√£o, ao passo que Daenerys est√° do outro lado do mundo.
Mesmo diante destas facilidades, Stannis se comporta como uma pessoa acuada, que desesperadamente d√° ouvidos a planos de assassinato. De alguma forma, o novo rei lembra seu antecessor na mesa do pequeno conselho que, diante da not√≠cia da gravidez de Daenerys, acatou as mais desonrosas sugest√Ķes para garantir o trono.
Entretanto, bastava olhar para Stannis para saber que ele n√£o era igual ao irm√£o. A pr√≥pria descri√ß√£o f√≠sica j√° deveria sinalizar que ele √© a ant√≠tese de Robert. Enquanto a barba de Robert era uma ‚Äúcoisa emaranha, espessa e feroz‚ÄĚ, Stannis ‚Äúcomo que em resposta Stannis mantinha suas su√≠√ßas bem aparadas‚ÄĚ. Doze anos em Porto Real tornaram Robert cinquenta quilos mais gordo (AGOT, Eddard I), mas Stannis permanecera largo e forte com ‚Äúbochechas secas e ossudas‚ÄĚ. Portanto, enquanto para Robert o cargo era sin√īnimo de permissividade, para Stannis era sin√īnimo de responsabilidade.
De fato, em A Guerra dos Tronos, vimos em primeira m√£o como Robert delega todas as suas atribui√ß√Ķes, enquanto Stannis, desde a primeira impress√£o, parece lidar pessoalmente com tudo. Curiosamente, essa impress√£o n√£o vem apenas das palavras de Stannis (‚ÄúFiz parte de seu conselho durante quinze anos, ajudando Jon Arryn a governar o reino, enquanto Robert bebia e visitava prostitutas‚ÄĚ), mas da men√ß√£o ao briquismo do rei.
O ranger de dentes de Stannis pode parecer um detalhe aleat√≥rio. Contudo, o fato de que este h√°bito n√£o √© totalmente volunt√°rio acaba por nos dar um insight sobre a mente de um personagem n√£o-POV. Em outras palavras, o briquismo indica de que Stannis n√£o √© leviano em suas reclama√ß√Ķes. As frustra√ß√Ķes o afetam a n√≠vel subconsciente. Seu stress √© constante.
As palavras de Cressen podem levar o leitor a pensar que o rei é apenas carrancudo. Afinal é dito que Stannis desde pequeno. Por exemplo, Lorde Steffon falava de trazer um bobo para ensinar Stannis a rir quando o garoto já tinha 14 anos. Mas somente no primeiro capítulo de Davos ficamos sabendo o quanto o novo rei é passional e permeável à dor.
Stannis fala que a experiência de ver o navio dos pais afundar o transformou. Cressen fala disso passageiramente no Prólogo, mas a profundidade do sentimento somente vem a tona depois:
Deixei de acreditar em deuses no dia em que vi o Orgulho do Vento quebrar-se do outro lado da baía. Jurei que quaisquer deuses que fossem monstruosos a ponto de afogar minha mãe e meu pai nunca teriam a minha adoração.
Robert estava ao lado de Stannis e não parece ter sido afetado pela experiência na mesma medida que Stannis. O fato de Stannis ainda guardar rancor do acontecido, aos quase 35 anos de idade, é revelador.
A evidência mais forte que Stannis não estava em seu estado normal durante a conversa no Tambor de Pedra pode ser vista em dois trechos. O primeiro acontece quando Cressen chama Stannis pelo pronome de tratamento correto e o rei encara como provocação:
‚Äď Vossa Gra√ßa ‚Äď Stannis rebateu amargamente. ‚Äď Zomba de mim com o tratamento devido a um rei, mas sou rei de qu√™? Pedra do Drag√£o e um punhado de rochedos no mar estreito, eis o meu reino.
O segundo trecho que indica que há algo errado ocorre quando Cressen sugere prometer a Robb vingar a morte de Ned Stark, para que eles possam assim formar uma aliança:
‚Äď Por que eu deveria vingar Eddard Stark? O homem n√£o era nada para mim.
N√£o h√° nenhuma mentira nas palavras de Stannis, mas elas foram ditas em um arroubo de raiva. Com efeito, mais tarde, quando est√° mais calmo, Stannis diz justamente o contr√°rio:
‚Äď N√£o tenho qualquer d√ļvida de que Cersei teve um dedo na morte de Robert. Obterei justi√ßa por ele. Sim, e por Ned Stark e Jon Arryn tamb√©m.
(ACOK, Davos II)
Quando Cressen deixa a presença do rei, Stannis estava dando ouvidos ao papo de Selyse sobre Melisandre ter visto Renly morto nas chamas. No caminho de volta a seus aposentos, Cressen está alarmardo pelo que ouviu de Stannis e pela forma como está sendo afastado dos eventos. Isso dá ao leitor a falsa sensação de que algo está fora do prumo.
Entretanto, essa sensação é incorreta. Como bem descreve u/arthurmaia em um excelente texto para o portal Gelo & Fogo, Cressen não estava sendo excluído, nem Stannis estava sendo especialmente desagradável com ele. Nenhum dos outros conselheiros do rei havia sido convocado e Stannis é igualmente desagradável com Selyse quando ela aparece.
Eu ainda acrescentaria que o pr√≥prio Cressen comentou que Pylos estava ali para substitu√≠-lo quando morresse. Portanto, a substitui√ß√£o de um pelo outro no banquete noturno n√£o era nenhuma grande conspira√ß√£o contra o velho meistre. Talvez uma desfeita bem leve por parte de Stannis, j√° que a substitui√ß√£o n√£o ocorreria antes da morte de Cressen, mas ainda assim feita com boas inten√ß√Ķes:
‚Äď √Č culpa dele que o velho tenha morrido? ‚Äď Stannis deu uma olhada para o fogo. ‚Äď Nunca quis Cressen naquele banquete. Sim, ele tinha me irritado, tinha me dado maus conselhos, mas n√£o o queria morto. Tive esperan√ßa de que lhe pudessem ser concedidos alguns anos de tranquilidade e conforto. Merecia pelo menos isso, mas‚Ķ ‚Äď rangeu os dentes ‚Äď morreu. E Pylos serve-me com compet√™ncia.
(ACOK, Davos I)
A urg√™ncia de Cressen parece ter sido despertada pela converg√™ncia dos fatos. A eclos√£o da guerra, morte de Robert, Stannis e Renly prestes a se enfrentarem, ac√ļmulo de eventos naturais augorentos e Melisandre conqustando mentes e cora√ß√Ķes em Pedra do Drag√£o. Como homem respons√°vel pela cria√ß√£o dos Baratheon e por ser um meistre da Cidadela, √© natural que Cressen sinta-se aflito e no dever de se envolver em todas estas quest√Ķes.
Todavia, a forma como o velho meistre joga toda a culpa da quest√£o em Melisandre √© muito precipitada. √Č claro que n√£o sabemos a quanto tempo ele deve estar testemunhando Melisandre enchendo a cabe√ßa dos ilh√©us de Pedra do Drag√£o e da Senhora Selyse. Ainda, Martin escolhe justamente o momento da convers√£o de Stannis para nos apresentar √† situa√ß√£o, o que agrava a sensa√ß√£o de ‚Äúcausa perdida‚ÄĚ.
Stannis, contudo, tamb√©m est√° mostrando sinais de desespero com a falta de apoio para sua pretens√£o. A mulher vermelha n√£o havia conseguido chegar at√© Stannis (e ficamos sabendo em seu POV em Dan√ßa dos Drag√Ķes o quanto ela trabalhou para conseguir se aproximar dele).
Assim, enquanto Cressen corria de um lado para evitar que Melisandre tonificasse as ambi√ß√Ķes de Stannis e levasse irm√£o a matar irm√£o, Stannis estendia a m√£o √† mulher de Asshai como quem tinha pouco a perder. O banquete da noite seria aos vassalos e a Melisandre, portanto aquele era o momento t√£o esperado para a sacerdotiza ‚Äúvender o seu p√£o‚ÄĚ. Stannis deveria estar bem ciente disto.
Por esta raz√£o que a entrada de Cressen no recinto veio como uma visita inesperada e inc√īmoda. Tudo piora quando o meistre passa a antagonizar com Melisandre quando a feiticeira o estava ajudando a se levantar. Fica ainda pior quando Cressen, em p√ļblico, o chama de Lorde ao inv√©s de Rei. Aconselhar o rei em p√ļblico sobre fazer comum com Starks e Arryns √© ainda mais constrangedor. Negar o poder do Deus ao qual o rei est√° querendo se converter tamb√©m n√£o ajuda a imagem de Stannis.
Quando Cressen está claramente fazendo papel de tolo, Selyse ordena que Cressen volte a utilizar o elmo do bobo. Somente quando Cara-Malhada não entregue o balde é que Stannis interveem:
‚Äď Sim ‚Äď concordou a Senhora Selyse. ‚Äď O elmo do Malhada. Cai bem em voc√™, velho. Volte a coloc√°-lo, eu ordeno. [...]
Os olhos de Lorde Stannis estavam na sombra das suas pesadas sobrancelhas, sua boca, apertada, enquanto o maxilar trabalhava em silêncio. Rangia os dentes sempre que se zangava.
‚Äď Bobo ‚Äď ele rosnou por fim ‚Äď, a senhora minha esposa ordena. D√™ o elmo a Cressen.
Como era de se esperar, o velho meistre ficou horrorizado com Stannis ter feito parte da gozação para com ele. Stannis não deu a mesma ordem que Selyse, é verdade. A julgar por suas palavras, o rei estava mais incomodado de ver a rainha desobedecida do que participando da brincadeira. Mas com esta atitude ambígua por parte de Stannis, GRRM testa os limites da farsa que está montando. Talvez por isso que Martin fez com que Baratheon se redimisse logo a seguir:
‚Äď Talvez ele deva, daqui para a frente, cantar os seus conselhos ‚Äď disse a Senhora Selyse.
‚Äď Foi longe demais, mulher ‚Äď repreendeu-a Lorde Stannis. ‚Äď √Č um velho, e serviu-me bem.
Com a morte de Cressen, o plano de evitar a conversão do rei ao R’hllorismo falha absolutamente. Na verdade, Cressen acaba dando palco para que Davos ficasse ciente dos poderes da mulher de Asshai e passasse a temê-la também. Da parte de Stannis, a morte de Cressen, de tão inexplicável, pareceu decorrer de sua idade.
Não é afirmado qual foi o veredito de Pylos sobre a morte do velho. Mas uma vez que era o novo meistre era bem jovem, possivelmente não deve ter detectado um veneno tão específico como o estrangulador (no caso de Joffrey, a idade e o conhecimento de Pycelle devem ter ajudado o diagnóstico).
Por outro lado, Stannis j√° estava substituindo Cressen por Pylos. √Č poss√≠vel at√© que goste mais do rapaz ‚Äúsolene‚ÄĚ e ‚Äúsempre correto‚ÄĚ do que do velho meistre. Cressen pensava em formas de tornar Pedra do Drag√£o um lugar mais leve, mas Stannis provavelmente pensava o contr√°rio. ‚ÄúPylos serve-me com compet√™ncia‚ÄĚ, disse o rei. E para Stannis, compet√™ncia era metade do caminho andado.
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2020.07.06 00:45 dukaymon Ou os dois são loucos ou nenhum é.

Dia 1: M√°rio pega no carro e foge, saindo do concelho.
Dia 2 a dia 10: após abandonar o carro num parque de estacionamento a 230 km de casa, Mário esconde-se num pinhal e aí fica até acabaram as poucas latas de comida que trazia na mochila.
Dia 11 a dia 33: alimentado-se de frutas e vegetais que vai roubando de campos agrícolas e sem nunca ficar no mesmo sítio mais do que um dia, Mário encontra-se já a 300 km de casa, perto da fronteira.
Dia 33 a dia 77: sem se atrever a aproximar-se da civiliza√ß√£o, por medo que o reconhe√ßam (e n√£o s√≥), no meio do mato M√°rio encontra ref√ļgio num casebre abandonado, envolto em silvas e arbustos, que funcionam como camuflagem, impedindo que mesmo o transeunte mais atento pudesse vislumbrar o edif√≠cio a√≠ escondido. Na praia deserta que fica a 500 metros do local, M√°rio obt√©m o alimento que precisa e bebe a √°gua da chuva que se acumula num pequeno tanque decr√©pito atr√°s do casebre.
Dia 78: M√°rio tenta p√īr fim a tudo.

"Desculpem-me o mal que vos causei", lia-se na carta, "mas quero que saibam que, tal como rio rebenta o dique e inunda os campos em seu redor, se vocês sofrem por minha culpa, é porque não consegui conter em mim tanto sofrimento."
Dobrou a folha ao meio e deixou-a sobre um banco. Uma lágrima tinha esborratado o texto, deixando uma das palavras totalmente ilegível e, de forma parcial, a palavra que lhe antecedia e a palavra seguinte, mas ele nem reparou. Também não interessava, provavelmente ninguém iria descobrir aquela carta.
Levantou-se, saiu do casebre e caminhou nervosamente até à arriba de onde decidira que haveria de ser conduzido pela gravidade até ao abismo álgido e salgado que o tinha vindo a seduzir sempre um pouco mais de cada vez que o contemplara.
Era um dia ventoso e borralhento, mais ventoso ainda à beira mar, no cimo da falésia. Lá em baixo o mar castigava as rochas impassíveis que outrora haviam estado cobertas por um amplo lençol de areia.
M√°rio olha para baixo e murmura sofridamente:
-Como é possível que isto já tenha sido uma praia, e eu tenha sido tão feliz nela!
E não contém as lágrimas quando à mente lhe vêm as imagens dos longos e soalheiros dias de verão passados naquele lugar com os amigos, na adolescência.
Vinte anos separavam essas memórias do presente, vinte anos que, a bem dizer, pareciam cem ou mesmo vinte anos vividos por uma pessoa diferente, de tão antipodal era o seu estado de alma na altura em que decide suicidar-se, face à alegria, a energia e o fulgor do seu espírito na juventude.
Mário tentava sempre, quando ainda fazia um esforço para não desistir de viver, impedir-se de recordar esses bons momentos do passado, por saber que lhe agravavam a dor do presente. "O mau não parece tão mau a quem nunca conheceu o bom. Tomara que nunca tivesse experimentado a felicidade!", pensava ele.
Mas agora que est√° prestes a acabar tudo, que mal advinha de deleitar-se uma √ļltima vez com o sol e o calor desses Ver√Ķes long√≠nquos? A dor terminaria em breve.
- Seja esta a minha √ļltima refei√ß√£o de condenado, um festim para as sensa√ß√Ķes! - disse ele.
A sua mente √© ent√£o invadida por todas essas boas recorda√ß√Ķes que tanto procurara reprimir: as gargalhadas de fazer doer a barriga, os planos e objectivos id√≠licos para o futuro, a descoberta do prazer da sexualidade, as fogueiras acendidas pouco antes do Sol mergulhar no mar, com o intuito de obrigarem a praia a dar palco √† sua puberdade at√© durante a noite.
M√°rio trauteia uma m√ļsica da adolesc√™ncia, de um desses Ver√Ķes insuportavelmente felizes, e conforta-se com acreditar que dentro dos v√£os e grutas daquela defunta praia ainda √© poss√≠vel ouvir o eco da sua melodia.
No alto do precipício o vento fustiga-o, e ele, de olhos fechados, imagina-o como sendo os seus amigos a saltarem para cima dele em jeito de brincadeira.
Esteve assim largos minutos, a colher quanta felicidade podia colher de um campo de alegrias j√° ceifado h√° muito. At√© que a no√ß√£o do presente retorna, para converter essa alegria em supl√≠cio: a realidade desesperante que p√Ķe fim √† miragem de um o√°sis.
A chuva começava a cair tímida e lentamente, mas era perceptível que se estava a tornar ligeiramente mais forte a cada minuto que passava. Mas o vento, pelo contrário, seguia o sentido oposto ao crescendo da chuva.
-Ah, sim, o √ļltimo banho do meu √ļltimo dia de praia - diz M√°rio sarcasticamente, no seu habitual exerc√≠cio de auto-comisera√ß√£o, levantando a cabe√ßa para encarar a chuva.
- Basta! - resmungou ele, cheio de repulsa de si mesmo, por não conseguir deixar de tratar com sarcasmo nem mesmo aquele que era o momento mais sério da sua vida.
Dito isto, baixa a cabe√ßa, fita o abismo, vendo o mar que parecia aumentar de f√ļria, ofendido com a indiferen√ßa dos rochedos, e, sem ponderar um segundo, por medo que a coragem lhe viesse a faltar, d√° aquele que pretende que seja o √ļltimo mergulho da sua vida.
Mant√©m os olhos fechados e sente nos ouvidos o assobio do ar, que sobrep√Ķe-se ao som da ira do oceano. E assim vai descendo, at√© que, de s√ļbito, v√™ as mem√≥rias da sua vida, que naquele derradeiro momento parecem-lhe mais v√≠vidas do que alguma vez pareceram, darem lugar a mem√≥rias estranhas e alheias a tudo o que vivera, e mas mais bizarro ainda: v√™-as, n√£o da sua perspectiva, mas da perspectiva de outra pessoa, que ele n√£o fazia ideia de quem era.
Assustado, abre os olhos de repente e v√™ o mar a uns quantos metros de dist√Ęncia. Depois disso n√£o se lembra de mais nada.

Quando acordou, Mário deparou-se com uma enfermeira que, empunhando uma seringa, tentava encontrar uma veia no seu braço. Ao vê-lo acordar, a enfermeira apressa-se a chamar um médico.
- O que é que aconteceu? - pergunta Mário, desorientado, ao médico que lhe auscultava o peito.
-Não se lembra do que aconteceu? - pergunta o médico. - O senhor atirou-se de uma falésia. Por sorte, ou mesmo por milagre, caiu numa zona em que a água tinha profundidade suficiente para que não tivesse morte imediata nas rochas. O hospital irá contactar a sua mulher e o o seu filho para informá-los que o senhor já se encontra consciente.
-Desculpe!? Mulher e filho? Eu sou solteiro e vivo com os meus pais! Enganou-se no paciente.
O médico, surpreendido, observa a sua ficha clínica e pergunta-lhe:
- Você não se chama Mário Costa Figueiredo?
-Sim - respondeu M√°rio.
-Ent√£o n√£o h√° nenhum engano!
-Não, desculpe, há de certeza um equívoco... - retorna Mário, irritado e, ao tentar levantar os braços em protesto, repara que um deles estava algemado à cama.
- Ah, sim já me lembro, apanharam-me finalmente! Mas eu não tenho família nenhuma! Nem sou responsável pelo crime que me atribuem!
O m√©dico calou-se, na d√ļvida entre estar perante um leg√≠timo caso de amn√©sia ou um criminoso a mentir para tentar passar a ideia de que estava inocente.
Disse: "eu volto j√°" e afastou-se.
Os dois pol√≠cias que estavam de vigia √† porta da sala onde M√°rio estava internado entraram assim que o m√©dico avisou-os que ele tinha acordado e, a alguma dist√Ęncia, fitaram-no com cara de poucos amigos e trocaram entre si palavras que M√°rio n√£o conseguia ouvir.
Provavelmente insultos, pensou M√°rio.
E pela raz√£o certa, mas n√£o contra a pessoa certa. M√°rio era suspeito de matar uma mulher gr√°vida. O crime fora gravado e a cara dele tinha aparecido na televis√£o, mas n√£o era ele.
Porém, o facto de se ter posto em fuga não fizera nenhum favor à sua reputação de auto-proclamado inocente, embora se ele próprio se tinha visto em vídeo a cometer aquele crime hediondo, seria impossível parecer mais culpado mesmo que tivesse ficado placidamente sentado no sofá à espera que a polícia arrombasse a porta de sua casa para o prender.
Setenta e oito dias em fuga andou Mário, até ser encontrado inconsciente na praia, após a tentativa falhada de suicido.
Mas porque fugiu Mário? E porque se tentou matar? As respostas, que parecem óbvias - não ser injustamente condenado por homicídio e estar cansado de viver como um pária fugitivo - não satisfazem totalmente as perguntas. Se esses foram factores a ter em conta, havia contudo algo de mais profundo, mais inquietante e mais assustador - ele fê-lo porque, no seu íntimo, sentia-se de alguma maneira culpado pelo crime que não cometeu.
Um Mário completamente seguro da sua inocência talvez não fugisse se o acusassem de um crime cometido por outrem. E decerto que jamais aceitaria carregar a culpa alheia por um crime, mesmo que todas as testemunhas jurassem pelos parentes defuntos que o tinham visto a disparar a arma. Nem mesmo que ele se tivesse visto a matar a vítima, como de facto viu. Nem mesmo que a sua vida dependesse disso. Mário estava inocente e sabia-o com toda a certeza, mas sabia também, com equivalente grau de certeza, que era (um pouco) culpado.

Mas os problemas de Mário não começaram com o homicídio.
Um estranho acontecimento ocorrido vinte anos antes, fora o que dera início à inexorável descida de Mário ao abismo.
M√°rio sempre jurou que pouco tempo antes do acidente que o tinha deixado desfigurado, tivera uma premoni√ß√£o. Um sentimento repugnante, um misto de desespero e medo avassalador, acompanhado por um arrepio na espinha, que sentira ao ver um rel√Ęmpago cair no s√≠tio onde meses mais tarde seria atropelado por um carro.
Estropiado e desfigurado, n√£o foi mais capaz de arranjar emprego e muito menos manter uma vida amorosa com uma mulher. Tinha passado os √ļltimos vinte anos da sua vida a viver em casa dos pais, dependente destes, sem quase nunca sair √† rua. Um adulto que nunca experimentara ser adulto, algu√©m que ia envelhecendo mas cuja vida parara para sempre na adolesc√™ncia.
Sem coragem para matar-se, a √ļnica coisa que desejava, dia a p√≥s dia, era a morte.


As provas n√£o deixavam margem para d√ļvida: as impress√Ķes digitais recolhidas no local do crime eram dele, bem como ADN. Se ele n√£o era culpado deste crime, as pris√Ķes estavam cheias de inocentes.
E no entanto não era culpado, asseverava ele com toda a convicção e honestidade possíveis de se encontrar num inocente injustamente acusado.
Mário foi condenado à pena máxima. A "sua" mulher esteve presente no julgamento, chorosa, desolada, horrorizada. E na cara de Mário era patente a incredulidade de um viajante do tempo que encontra no futuro um mundo tecnologicamente impossível de conceber na sua era. Estarei louco?, pensou ele. E foi nisso que preferiu acreditar, confrontado com a sua "nova" realidade. Mas não cometi aquele crime, posso estar louco mas não sou assassino!
A mulher visitou-o relutantemente apenas uma vez na pris√£o. Quando, durante essa visita, ele lhe disse que nunca a tinha visto na vida e que n√£o tinha filho algum, nem com ela nem com ningu√©m, ela sentiu al√≠vio por ter sido ele a p√īr fim a tudo. Se fosse eu a rejeit√°-lo, ele ainda me mandava matar!, pensou ela √† sa√≠da da pris√£o.M√°rio depressa se aclimatou √† vida de recluso, que ele n√£o considerava pior que a vida miser√°vel que tinha levado durante os √ļltimos vinte anos, enclausurado em casa dos pais. Ao fim do primeiro ano, M√°rio decide escrever um livro, uma esp√©cie de biografia "barra" apologia da sua inoc√™ncia.
Falou da premonição, do acidente meses mais tarde, da visão que teve quando se tentou matar; tentou demonstrar o seu álibi para a momento do crime e falou das suas famílias: a verdadeira, os pais, dos quais nunca mais teve notícia e nunca mais não foi capaz de encontrar, como se nunca tivessem existido (a casa onde viviam também não existia), e da nova família e nova vida que o universo lhe atribui depois de se ter atirado da falésia.

O manuscrito chamou a aten√ß√£o do psiquiatra que acompanhava M√°rio. O psiquiatra tinha diagnosticado M√°rio com amn√©sia retr√≥grada e classificara as mem√≥rias anteriores ao acidente de confabula√ß√Ķes.
O psiquiatra tinha um amigo, Alexandre, um sujeito lun√°tico mas interessante, que tinha interesse no ocultismo, em particular na parapsicologia. O psiquiatra, Carlos de seu nome, que gostava de ficar a ouvir o seu amigo e antigo colega de faculdade a debitar disparates fantasiosos mas originais quando se encontravam aos domingos √† tarde, na casa deste √ļltimo, sempre com um leve sorriso de tro√ßa na cara, sem, contudo, ser desrespeitoso e sem que Alexandre levasse a mal, decidiu mostrar-lhe uma c√≥pia do manuscrito, com a autoriza√ß√£o de M√°rio.
Numa terça-feira de manhã, no caminho para o trabalho, Carlos parou na casa do seu amigo e entregou-lhe o manuscrito, na expectativa de ouvir Alexandre discorrer sobre o assunto no domingo seguinte.
- Olha o que um recluso l√° da pris√£o escreveu. Diverte-te.
E saiu um pouco apressado, pois j√° ia atrasado.
Domingo chegou, e, para quebrar o hábito, era Alexandre que batia à porta de Carlos logo após o almoço e não o inverso, como sempre sucedera. Estava nervoso e efusivo, como um adolescente prestes a perder a virgindade.
- Tenho de falar com esse tipo. A que horas podem os prisioneiros receber visitas? - perguntou Alexandre.
Carlos tentou demovê-lo, pois não lhe agradava a ideia que um doente mental como Mário, e ainda por cima um paciente seu, fosse influenciado por um excêntrico como Alexandre, por mais bem-intencionado que fosse. Discutiram e foram-se zangando gradualmente mais com o decorrer da discussão. No fim, para não arruinar aquela amizade que ambos prezavam, Carlos concedeu que Alexandre visitasse Mário, até porque não havia maneira legal de o impedir.

O dia em que Mário e Alexandre se conheceram chegou, e, assim que Mário o viu, pensou tratar-se de algum daqueles "novos" parentes ou amigos da sua realidade pós tentativa de suicídio.
- Ah, sim, você é o tal amigo do psiquiatra - disse Mário, aliviado por não ser nada daquilo que esperara.
Alexandre disse que lera o livro e M√°rio interrompeu-o:
-Deve pensar que eu sou maluco ou mentiroso, não é? - acrescentou ele.
Houve uma pausa e Alexandre, num tom sério, respondeu:
- N√£o, n√£o acho...
Os olhos de Mário acenderam-se e, após alguns uns segundos, perguntou:
Quer dizer que você... acredita?
Uma pausa, mais longa que a anterior, separou a pergunta de M√°rio da resposta de Alexandre. Alexandre aproximou a cara do vidro e, como que reconfortando um amigo em sofrimento, diz com voz baixa mas firme:
- Acredito.
Mário pergunta imediatamente, incrédulo e extático:
-Acredita que eu sou inocente ou no resto? Ou em tudo?
Alexandre diz:
-Acredito que teve de facto aquilo a que chama de "premoni√ß√£o". Acredito que viu o que viu quando se atirou para o mar e, embora n√£o descarte a hip√≥tese de amn√©sia, creio que √© poss√≠vel que esteja a ser sincero quando diz que a sua fam√≠lia n√£o √© de facto a sua fam√≠lia. Quanto ao crime, devo ser a √ļnica pessoa no mundo que n√£o est√° convicto da sua culpabilidade.
Mário não sabia o que achar. A realidade para ele não fazia sentido. Se ele próprio vira-se a cometer o crime e sentia-se um pouco culpado por isso, embora soubesse que não o cometera, e se havia provas irrefutáveis que apontavam para si, como é que era possível que alguém duvidasse disso, ainda para mais um total desconhecido como Alexandre? Uma realidade em que Mário era casado e tinha um filho, era uma realidade em que também podia existir alguém como Alexandre. Mas provavelmente estava louco, como preferia acreditar.
Quase a chorar, M√°rio pergunta:
-O que o leva acreditar em mim?
Alexandre diz:
-Conhece o conceito de doppelganger?
- Sósias? Sim - respondeu Mário.
-Certo - retorquiu Alexandre-, mas não me refiro somente a pessoas apenas com similaridades físicas com outras pessoas sem parentesco. Falo de uma relação entre dois ou mais indivíduos que vai além do que é meramente o aspecto físico, a uma relação de transcendência psicológica, uma ligação talvez metafísica entre mentes.
-Desculpe, mas não acredito nessas coisas - retrucou Mário. - E não vejo o que tem isso a ver com o meu caso. Está a querer dizer que foi um sósia meu que cometeu o crime?
-Não acredita, mas no entanto jura que a sua família foi trocada, que não cometeu o crime apesar das evidências e que viu a vida de outra pessoa à frente quando tentou matar-se. Se não acredita, então só podemos concluir que é louco, certo? E para além disso, é você que afirma ter tido uma "premonição". Ora, não acredita em si próprio? Loucura por certo...

Mário, sentiu-se tocado. Nunca revelara a ninguém que achava que talvez estivesse louco. Mas que outra explicação haveria?
-N√£o me diga que o meu s√≥sia tamb√©m tem o meu ADN e as minhas impress√Ķes digitais? - disse M√°rio, um pouco desdenhoso. - E quando eu falei de premoni√ß√£o, se voc√™ leu mesmo livro, decerto se lembrar√° que n√£o invoquei explica√ß√Ķes paranormais. Eu senti que algo de mau ia acontecer, e aconteceu. Foi apenas isso, um sentimento. Se eu "adivinhei" o futuro ou se foi um sinal "dos C√©us" abstenho-me de especular.
Pense nisto - disse Alexandre-, tal como duas pessoas diferentes, sem qualquer contacto entre si, podem acertar nos n√ļmeros da lotaria, tamb√©m √© poss√≠vel, mas extremamente improv√°vel, que duas pessoas tenham o mesmo ADN. A probabilidade √© t√£o baixa que no mundo voc√™ n√£o encontrar√° ningu√©m geneticamente igual a si, mas se a popula√ß√£o mundial fosse suficientemente numerosa, seria poss√≠vel encontrar; e quanto mais numerosa fosse, mais probabilidade haveria. Seriam seus "g√©meos" id√™nticos, apesar de n√£o serem filhos dos mesmos pais... - M√°rio ia dizer algo, mas Alexandre aumentou e apressou a voz de modo a impedido de exprimir-se. - Quanto √† premoni√ß√£o, se voc√™ pressentiu algo de mau que iria acontecer meses depois, ent√£o √© √≥bvio que temos de recorrer a explica√ß√Ķes n√£o usuais para isso, pois prever o futuro n√£o √© considerado poss√≠vel pela ortodoxia cient√≠fica. Dou-lhe o seguinte exemplo como forma de faz√™-lo perceber melhor onde quero chegar:
"Há várias décadas, na Austrália, um homem, incapaz de adormecer, decide ir à varanda para apanhar ar. No momento em que vê a lua cheia sente uma repulsa macabra inexplicável, como nunca tinha sentido, um mal-estar físico como se tivesse ingerido algum veneno. Era perto da meia-noite. No dia seguinte, a polícia bate à sua porta e informa-o que a sua filha fora assassinada. O médico legista determinou que ela tinha sido morta por volta da meia-noite.
"N√£o havia maneira do pai saber que a filha estava a ser assassinada a dezenas de km de dist√Ęncia, no entanto esse acontecimento foi sentido por ele de algum modo, a n√£o ser que acreditemos que se tratou de uma coincid√™ncia.
"Isto costuma acontecer também com gémeos idênticos, em que um deles é sensível ao que se passa com o outro."
-Continuo sem perceber o que tem isso a ver comigo - disse M√°rio.
-Da mesma forma que a mente consegue sentir a dor ou alegria de alguém que nos é biologicamente próximo, ou mesmo idêntico, você, como confessou no seu livro, talvez sente-se um pouco culpado pelo crime porque aquele poderia ser o seu irmão gémeo ou algum "clone" sem relação a si, como referi há pouco. Esta - um irmão gémeo - seria a explicação mais simples, e portanto mais plausível, para o sucedido. Mas como acreditar nisto se você próprio confessou o crime na sua carta de despedida? E se eu acreditasse nisto não estaria aqui.
Mário ficou atónito:
-Desculpe?
Alexandre, que não estava surpreendido com a surpresa de Mário, não que achasse que ele estava amnésico ou a fingir, diz:
-Sim, após acordar no hospital você revelou o seu esconderijo à polícia e lá encontraram a sua carta, na qual desculpava-se pelo sofrimento causado à sua mulher e filho e confessava o homicídio da sua amante grávida. .
-Não, lamento, isso não aconteceu. Eu escrevi uma carta, sim. Mas como tem você conhecimento disso? - pergunta Mário. Que um estranho tivesse conhecimento de uma carta que nem a polícia que investigou o crime e perseguiu Mário durante quase três meses conhecia, seria motivo de estupefacção e medo para qualquer pessoa, mas em Mário, que já passara e continuava a passar por coisas mais bizarras, isso não causou tanto espanto como deveria. Mário acrescenta:
-Mas não escrevi isso que diz. E para além disso, a polícia, que eu saiba, nunca encontrou a carta porque eu, com vergonha, nunca mencionei o esconderijo. Não queria que a minha carta de despedida fosse descoberta tendo eu sobrevivido, seria vergonhoso demais. Mas em nenhum parágrafo da carta admiti o crime, pois não o cometi. Apenas pedia desculpa aos meus pais pelo sofrimento que lhes causei, motivado pelo sofrimento que eu sentia.
-Lembre-se, eu acredito que esteja a ser sincero quando diz o que diz. E que essa sinceridade n√£o adv√©m das confabula√ß√Ķes em que um amn√©sico acredita, mas correspondem aos factos.
"Eis o que eu acho: você não matou aquela mulher. Mas você também matou-a. E as suas duas famílias são ambas suas mas não ao mesmo tempo. E as memórias que viu na mente são suas e e não são suas, pois foram e não foram vividas por si.
"Aquela sua premoni√ß√£o, tida no momento de uma descarga de energia - o rel√Ęmpago - foi a recolec√ß√£o, por parte da sua mente, da informa√ß√£o de um evento que tinha acontecido no futuro, mas um futuro doutro universo, futuro esse que, em rela√ß√£o √† linha temporal do nosso universo, seria um acontecimento do passado. Doutro modo, voc√™ n√£o poderia ter tido a premoni√ß√£o, pois a causa (o acidente) teve de anteceder o efeito (a premoni√ß√£o do acidente) para que aquele pudesse ser previsto. Como, de acordo com as leis da f√≠sica, as causas nunca antecedem os efeitos, o acidente teve de ocorrer primeiro noutro universo para que o conhecimento dele neste universo pudesse anteceder o seu acontecimento neste universo. √Č esta, a meu ver, a explica√ß√£o para o fen√≥meno vulgarmente denominado ¬ępremoni√ß√£o¬Ľ: a falsa ¬ęprevis√£o¬Ľ do futuro que n√£o √© mais que a lembran√ßa, neste universo, de um evento j√° ocorrido noutro universo e que ir√° tamb√©m ocorrer neste. E falo da verdadeira premoni√ß√£o, n√£o da ilus√£o de premoni√ß√£o que adv√©m das naturais falhas e vieses cognitivos da mente humana."
-Agora você já está a abusar- disse Mário. - Ou você é mais louco do que eu ou está a fazer pouco de mim.
Alexandre esboçou um sorriso, mas logo ficou sério:
- N√£o, repare, o que eu lhe estou a tentar dizer √© que acredito que cada um de n√≥s tem pelo menos um outro "eu", e talvez uma infinidade de "eus", que existem simultaneamente connosco, mas n√£o aqui. O que acontece, na minha opini√£o, √© que, por raz√Ķes que ainda n√£o vislumbro, √†s vezes esse(s) diferente(s) universo(s), ou partes dele(s), como voc√™, ou eu, ou uma cadeira, ou uma √°rvore, ou um simples √°tomo, cruza(m)-se com o nosso, da mesma maneira que duas linhas de pesca se emaranham ao cruzarem-se, ou como dois fios de electricidade, que correm paralelos de um poste ao outro, tocam-se quando h√° vento. E ao fazerem-no podem trocar mat√©ria, energia e informa√ß√£o. As mem√≥rias que voc√™ viu, e que se calhar ir√° ver com mais frequ√™ncia, ou nunca mais, s√£o as mem√≥rias do seu outro "eu" de um universo paralelo, com o qual voc√™ trocou informa√ß√£o. A "nova" vida que todos dizem ser sua ap√≥s a queda no mar, talvez n√£o seja mais que a "sua" vida de um universo paralelo. Talvez voc√™ n√£o seja deste universo, ou talvez sejamos n√≥s, e quando digo n√≥s refiro-me √† totalidade do que existe neste universo, que estejamos a mais; se calhar este universo, ao emaranhar-se com outro, foi esvaziado do seu conte√ļdo original, excepto voc√™, e preenchido com o conte√ļdo desse outro universo. E agora voc√™, neste seu universo, paga pelo crime que o seu outro eu cometeu naquele nosso universo. E o seu outro eu deve andar por l√° livre como um passarinho. Que bela forma de escapar √† justi√ßa, n√£o acha?
"E √†s vezes, creio que acontece o seguinte: quando dois universos se ¬ęcruzam¬Ľ apenas um deles recebe mat√©ria ou energia do outro. √Č esta, a meu ver, a origem de alguns doppelgangers. Que podem ser de pessoas, animais, plantas ou coisas inanimadas.
"√Č natural que se sinta culpado do crime, foi voc√™ que o cometeu. Se um pai √© capaz de sentir uma filha a ser assassinada e um g√©meo a dor de outro g√©meo, como n√£o havia voc√™ de sentir o que voc√™ pr√≥prio fez?"
Mário abanou a cabeça como quem está farto de ouvir baboseiras e levantou-se da cadeira.
-A visita acabou - disse ele ao guarda. E foi reconduzido à sua cela.
Devo estar louco, de facto. E se calhar até cometi o crime e não me lembro. Se calhar estão todos certos. Mas aquele tipo também não devia andar à solta, pensou Mário. E talvez estivesse certo também.
submitted by dukaymon to escrita [link] [comments]


2020.06.11 10:55 mathocosta Frustração por conta do isolamento

Desde o in√≠cio da quarentena estou direto com a minha irm√£, moro com ela e ambos decidimos que seria melhor ficarmos s√≥ nos 2 nesse tempo e n√£o juntos ao resto da fam√≠lia. Ela segue fielmente o isolamento e eu como estou junto dela, acabo seguindo tamb√©m. Eu sempre pensei que isso n√£o ia tomar as propor√ß√Ķes que tomou e meio que s√≥ fui levando no in√≠cio at√© chegar no meu limite.
Tenho uma amiga muito pr√≥xima que apesar da gente falar pouco entre si as vezes, os la√ßos que criarmos s√£o muito fortes. Ela mora s√≥, tem problemas depressivos e me preocupo muito com a sa√ļde dela. E de um tempo pra c√° ela est√° me cobrando direto pra gente se ver e eu apenas respondendo que n√£o d√° por conta do isolamento.
Isso tem me deixado muito frustrado. Por mim, eu já teria se encontrado com ela, só não faço isso pra não quebrar o isolamento e expor minha irmã também ao vírus quando voltar pra casa. Eu amo as duas, talvez um pouco mais minha irmã pois sempre tá ao meu lado, mas independente disso eu daria a vida por ambas.
Eu realmente quero acreditar que estou fazendo a coisa certa e todo o esforço que estou fazendo faz sentido, mas é complicado. Ao mesmo tempo que penso que deveria ir lá abraçar ela, eu também penso que estaria traindo minha irmã ao ver todo o esforço do isolamento ir por água baixo.
Tenho muito respeito pelas pessoas que est√£o fazendo isolamento e por aquelas que apesar de estarem saindo as ruas pra trabalhar, est√£o tomando cuidado e n√£o fazendo a besteira de ir aos shoppings comprar futilidades, por exemplo.
Esse isolamento é uma merda sem precedentes, mas isso tudo é pra que o amanhã aconteça, isso é o que tento acreditar. Obrigado quem leu o texto, só um desabafo mesmo, fazendo jus ao sub.
submitted by mathocosta to desabafos [link] [comments]


2020.06.03 19:22 dustobbop FUDIDÃO VOCÊ

FUDID√ÉO VOC√ä N√Č CAMARADA? SONSO TONTO BURRO DESPREZADO JEGUE FUDIDO ESTUPIDO CARCAR√Ā SEM FAM√ćLIA SEM AMIGOS DOIDO ESQUIZOFR√äNICO LEPROSO CARA DE MINGAU FIMOSE CAGADA DONA PEIDA CHUPADOR DE MIKE TYSON PERNINHA DE SARACURA F√É DE GUNS N ROSES GAY GAY GAY GAY GAY TIM MAIA S√ćNDICO ESPANTALHO DO FANDANGOS VARETA DE ARVORE VELHA PROSTITUTO DOIDO NARCISISTA LOUCO PERTURBADO AID√ČTICO DESFAMILIAR BO√áAL FEIOSO HOMEM DE INTELECTO LILIPUTIANO BAITOLA BEBUM DEBILOIDE FUDIDO DEFUNTO COC√Ē OVO COZIDO FEDORENTO HOMOSSEXUAL ESCROTO IDIOTA IMBECIL MOCORONGO OT√ĀRIO PASPALHO RID√ćCULO VAGABUNDO XOXO PROSTITUTO PEDERASTA INFANTIL PENTELHO NOJENTO PEIDO DE VELHO DIAB√ČTICO NOJENTO MODRONGO LADR√ÉOZINHO GOSMENTO GAIATO FEIOSO DEFUNTO ENDEMONIADO SERVO DE BELZEBU CORRUPTO CHIBUMBO GOGOBOY DE VELHA NA MENOPAUSA CAGALH√ÉO DIARREICO BICHENTO VIADO BABACA CABELUDO BIFE DE RATO CHORUMENTO BAFO DE BUNDA JOELMA PELADA TIGRE DO CEREAL BUCETA MAGRA PEITER DO EI NERD EPIS√ďDIO PERDIDO DO CHAVES ACAPULCO QUICO NEGRO MASSAGEM NO SACO PAQUIDERME TREMENDO VACIL√ÉO CHEIRA PEIDO MASSAROCA PAUZINHO DE VELHO BALAN√áA BALAN√áA DRIFT RODELA DE SALAME DIRETAMENTE NO RATINHONHO ESTUPIDO SAMBA CAN√á√ÉO DE PAPAI PIROQUINHA CHEIROSA(?) OLHEIRO DO THE VOICE KIDS BANHEIRA DO GUGU AIAI TIRE O DEDO DO MEU CU BAIXISTA DA BANDA MALTA EX INTEGRANTE DO CARROSSEL C√ČREBRO DE GAFANHOTO CHIP DA TIM MAMADORA DE DESENHISTA MARTELINHO DE QUEBRAR COFRE MC CAROL CHEIRINHO DE SEXO ELE ARREBENTOU MEU BOGA EU DISSE OPA AMIG√ÉO √ĀLCOOL EM GEL PRETO DANIEL MOLO CARRINHO DOS SIMPSONS MARCOS CASTRO DE REGATA PIROCA ESTRANHA BURRA BOBA ARROZ QUEIMADO NO FUNDO HOLYFIELD OLIVER TREE DO CACETE SUA M√ÉE TA AQUI FALA COM ELE ALO ALO TO MAMANDO TUDO TA M√ď ZUA√á√ÉO TEU PAI FAZ PROGRAMA DE NOITE BOB√ÉO ADEUS BO√áA DE MERDA BOCETINHA DE COC√Ē MOZAR ESTEVE AQUI PORRA MORDE A CABE√áA DA MINHA PICA BOBALH√ÉO ROB√Ē DO BILSONERO RODO DE PIA Z√Č PILINTRA VENDEDOR DE BALA CEO DO SHOPPING TREM LEITOR DE OLAVO DE CARVALHO ESTRUME PEDERASTA FORAGIDO PIZZA DE ABACAXI CAGADOR SILENCIOSO JACA QUE ENVIARAM O P√Č BESTA-FERA PUTREFATA MACARTHISTA LAMBE BOTA ISSO N√ÉO √Č UMA COPYPASTA ENGRA√áADA EU CHORO CONSTANTEMENTE PANACEIA ERRADA BISCATE ARROMBADO MIL VEZES ENCOXADOR DE IDOSAS PACHOLA NARIGUDO FEDIDO A QUEIJO LAMBEDOR DE TELEFONE MENTECAPTO POLICIA DO ZAP CUZINHO LUBRIFICADO PALHA√áO PAGLIACCI MAL DIAGRAMADO SALSICH√ÉO DO ZORRA TRANCREVEREI O V√ćDEO DO BONITO BOLO EU TENHO UM PRESENTE PRA VOC√ä UAU QUE? QUE BONITO BOLO QUE BONITAS VELAS COM A MINHA IDADE! COMPREI PRA VOC√ä, PENA QUE N√ÉO POSSO COMPRAR UMA COISA MAIS CARA... √Č QUE EU SOU UM GAROTO POBRE N√Č N√ÉO N√ÉO N√ÉO √Č O SUFICIENTE, EU TENHO UMA IDEIA QUE PODE SER UM PRESENTE DE GRA√áA EU POSSO FAZER O QUE VOC√ä QUISER DE GRA√áA... UMA PICA VAMO FUD√ä? VOC√ä √Č INTELIGENTE, COM CERTEZA, VAMO TRANSAR E A CENA QUE SE SEGUE √Č A DANCINHA DO VAQUEIRO QUE √Č DO CARALHOOOOOO BESTA DESALMADA F√öTIL ARROMBADA ABOBADA SEM PAI DESNATURADA PINGO DE MIJO CURVA DE PAU TORTO ADVOGADO DA GRETCHEN APATRIADO DOIDO CUIDADOR DE IDOSOS MAL AMADO LAMBE BOTA DE PM SOMELLIER DE DECEP√á√ēES YOUTUBER SAPATILHA JEZEBEL TONTO DESVIADO CABELO DO THIE ROCK NA ERA LOIRA INFELIZ SATAN√ĀS ENVIADO PRA DESTRUIR IGREJAS MORADOR DE SODOMA GLANDE FEIA C√ĀLICE DE PORRA CHORAM AS ROSAS BRUNO E MARRONE GORDO SAFADO MAMUTE DA TETA SUADA DESEMBESTADO JEGUE DAN√áARINO DANAD√ÉO SONIA ABRA√ÉO SEM MORAL EXIBICIONISTA ANCAP MISER√ĀVEL FARISEU PRAGA DO EGITO CRACUDO DOIDO FILHO DO ALEXANDRE FROTA ARTISTA DE FURRY POETA DA BOCA DE LIXO GALO GORDO IMPURO FILHO PRODIGO POSSUIDOR DE TRANSTORNOS S√ČRIOS V√ĒMITO DA LOLLY PARA MENINAS BICHONA EMO BAIANO CAGA GROSSO CU DE FOSSA ORELHINHA DE JUMENTA COMEDOR DE AN√ÉO CUECA BOXER PEQUENOS ESPI√ēES 3 BURRO CASCA FINA SACO MOLHADO BUNDA ROSA UNHA PINTADA DE VERDE DADO DOLABELLA COALA DO CARALHO JACAR√Č DO √Č O TCHAN CARIOCA BOQUINHA DE VELUDO MOCR√ČIA DEPRESSIVO FADA SENSATA CAPOEIRA MATA UM ZUM ZUM ZUM ATAQUE DOS PALHA√áO LOCO MEXILH√ÉO FEIO AQUI √Č SUA TIA QUERIDO! SE LEU AT√Č AQUI SAIBA QUE TITIA TE AMA! SACO DE MERDA COM V√ĒMITO DESMORALIZADO COROINHA DO QUINTO DOS INFERNOS PSIC√ďTICO INSONIOMAN√ćACO PAPETE DA M4NU G*SSAVI INF√ČRTIL MEU SACO MURCHO NO FRIO IMPURO BUCETA FEDIDA DE GORDA MAL AMADA BRIOCO MAL LAVADO √ĀGUA DE CHUCA DE UM VIADO COM DIARREIA CHIBUMBA CHIFRUDO DO TAMANHO DO BURJ KHALIFA TEU PAI √Č O ARTHUR MAMAEFALEI SEU POUCA-VALIA SEU FRALDA GERIATRICA BACURA FILHO DE UMA PISTOLA SEM BALA DESFORNICADOR EMPATA FODA GONORREIENTE DESVIADO DO CAMINHO DO SENHOR IMPIO MACHORRA MOCORONGO CEGO SURDOMUDO ANALFABETO EM LINGUAGEM DE LIBRAS PASPALHO POSTULENTO *RESPIRA MAL AMADO SULISTINHA FUDIDO JURADO DO SILVIO SANTOS PUNHETEIRO FANTASMA CHEIRADOR DESCABELADO EMPATA FODA TCHOLINHA SEM CULTURA POESIA PRA VOC√ä VIA MESTRE SKYLAB: DEDO, L√ćNGUA, CU E BOCETA, DEDO, BOCETA, L√ćNGUA E CU. DEDO NA L√ćNGUA, L√ćNGUA NO DEDO, CU NA BOCETA, BOCETA NO CU. DEDO NA BOCETA, L√ćNGUA NO CU, LINGUA NA BOCETA, DEDO NO CU, DEDO, L√ćNGUA, CU, BOCETA TAMB√ČM, BOCETA VEZES DEDOS, NOVES FORA C√ö. L√ćNGUA, L√ćNGUA, L√ćNGUA, DEDO NO CU, DEDO DE BOCETA, L√ćNGUA DO CU. DEDO, L√ćNGUA, CU E BOCETA, DEDO, BOCETA, L√ćNGUA E CU. GOSTOU N√Č? GOSTOU PORQUE VOC√ä √Č UM DESCARADO MALDITO SEM PAI MOLESTADOR DE TRAVESSEIRO INFELIZ E DIGO MAIS: SEU CARLOS BOLSONARO IMBECIL REMELENTO ROLINHA MILIMETRICA PAUZINHO MICROSCOPICO TETUDO SUA BUNDA PARECE UMA BUCETA SEU XEXEQUENTO MAU CAR√ĀTER GOLPISTA CLONADOR DE CART√ÉO SEM FUTURO SACANA RETARDAD√ÉO NEM SUA M√ÉE GOSTA DE VOCE SEU CAMINH√ÉO DE LIXO QUE PASSA AS SETE DA MANH√É DE DOMINGO COM OS GARIS GRITANDO CAMINH√ÉO DO LIXOOOOOOOOOO E TE ACORDA PARTICIPANTE DE CULTO SATANISTA PACTEIRO DE BELZEBU SUA NAMORADA TE ABANDONOU PELO SEU V√ćCIO EM FILMES RUSSOS CULT SEU ZERO A ESQUERDA CURTIDOR DE KPOP U DO URUBU ABANDONADO NA FRENTE DO ORFANATO SACOLA DE MERCADO CHEIA DE BARRINHA DE CEREAL SEXTA FEIRA MUITO LOUCA POCT POCT POCT P√ď FICA DE 4 NOIS BOTA SEM (???) TREPA TREPA TREPA TREPA TREPA VIG√ČSIMA SINFONIA DE BEETHOVEN FILHOTE DE HITLER BROXAD√ÉO CRIADO POR RATOS MOGLI O MENINO BROXA SEU DROGADINHO DO CARALHO SEU PAI FUMA PRENSADO COM P√Č DE INSETO DENTRO JACK FUDIDO BOCA DE PELO SEU REVIEWER DE LETTERBOXD DINGO BEL DINGO BEL SEU PAU √Č MURCHO QUE NEM MEL ESQUIZOFREUD SEU TEXTOS CRUEIS DEMAIS PRA LER RAPIDAMENTE AMANTE DA POESIA DE RUPI KAPUR F√É DO FILME HER POIS √Č AMIGO EXISTE UMA RAZ√ÉO PRA SUA FAM√ćLIA N√ÉO TE CHAMAR PRO CHURRASCO NO DOMINGO E O MOTIVO √Č ESSE SEU CHEIRO DE MIJO COM CEBOLA SEM PAU MURCH√ÉO INCEL FUDIDO AT√Č O TALO UMBIGO SALTADO PRA FORA OUVINTE DA JOVEM PAN CAUB√ďI CHOR√ÉO TU GOSTA √Č DE PESQUISAR POR ROLA BONITA E VERDE NO GOOGLE MAMADOR DE SHREK FUDIDO TU N√ÉO TEM AMOR PELA SUA PR√ďPRIA INTEGRIDADE COMO HUMANO VERMEZINHO DO INFERNO EU ESPERO QUE MORRA DA FORMA MAIS INFELIZ POSS√ćVEL SEU LIXO DO CARALHO VOCE VAI COMPRAR COCAINA ATR√ĀS DA ESCOLA E TE VENDEM MAIZENA POR 100 REAIS SEU BURR√ÉO BEBEDOR DE PORRA DO CARALHO SUA M√ÉE OUVIU BTS UMA VEZ E FALOU QUE PREFERIA QUE VOCE FOSSE QUE NEM ELES SEU DESMAMADO TETA DE VACA PIERCING NO CU VOCE CHEIRA A SALGADINHO DE PIMENTA COM PRESUNTO SEUS PAIS CHORAM NO BANHO QUANDO LEMBRAM QUE VOCE GOZOU QUANDO SUA PRIMA TE DEU UM BEIJO NA BOCHECHA VOC√ä ACHA QUE √Č ENGRA√áAD√ÉO N√ÉO √Č? POIS √Č AMIGO NINGU√ČM NUM RAIO DE 200 KM TE SUPORTA SEU ASPIRANTE A TOALHEIRO VOC√ä MERECE CASAR COM UM CACHORRO COM SARNA PRA APRENDER OS PRAZERES N√ÉO ESCRITOS DA VIDA, VOC√ä PENSA NISSO E FICA EXCITADO SEU DEGENERADO, VOC√ä PENSA NAS NUANCES DA NOBRE ROLA DE UM CACHORRO E N√ÉO MEDE ESFOR√áOS PRA AGARRAR ESSE SEU PINTO MIXURUCA E COME√áAR A SE DIVERTIR COM AS MAIORES ATROCIDADES DESSA MENTE DOENTIA, FURRO MERDA VOC√ä CORTA CARNE COM TESOURA ESCOLAR E VOCE COME O RESTO DE COMIDA QUE FICA NO RALO DA PIA SEU ESQUIZODOIDO ASPIRANTE A JACK NICHOLSON EM O ILUMINADO APOIADOR DO CHRIS BROWN ESCARNECEDOR IMPIO CAVALO DA CARRO√áA DO FARA√ď FILHO PR√ďDIGO M√ÉEFODEDOR BUNDABURACO SEU CLIENTE DA NEXTEL ANARCOCAPITALISTA IMITADOR DO PAULO KOGOS QUANDO VOCE FALA DEUS VULT SUA M√ÉE EVANGELICA TE METE O CHINELO SEU NAZIPARDO FUDIDO AO QUE PARECE A DEDADA NO CU QUE O PADRE S√ČRGIO TE DEU 7 ANOS ATR√ĀS N√ÉO FOI SUFICIENTE POIS VOC√ä AINDA PENSA NAQUELA ENORME SALSICHA QUE ERA O DEDO ANELAR DO VELHO HOMEM, AINDA FICA FELIZ PENSANDO NO ATO REPUDI√ĀVEL E NOJENTO QUE ESTE CONSUMOU, VOC√ä PARECE TRAUMATIZADO E NO FUNDO SABE QUE A SOCIEDADE TE JULGAR√Ā INEVITAVELMENTE, TAL QUAL FA√áO NESSE EXATO MOMENTO. A MENTE DOS HOMENS √Č UM MIST√ČRIO PRA TODA A ETERNIDADE E VOC√ä SABE DISSO MELHOR QUE QUALQUER UM; QUANTAS FORAM AS NOITES √ćNSONES QUE PASSOU AT√Č PODER SE SENTIR MINIMAMENTE BEM CONSIGO? POBRE GAROTO, VOC√ä AINDA SER√Ā CHAMADO DE PODRE POR MUITOS! N√ÉO SE ACANHE, C√Ā ESTOU PRA TE DESGRAMAR SEU MALDITO TEU PAI √Č GOGOBOY E SUA V√ď √Č STRIPPER BANAN√ÉO QUANDO UMA MULHER TE V√ä ELA LIGA PRA POLICIA ACHANDO QUE VIU O CTULHU SUA MENTE √Č PERTURBADA VOC√ä V√ä FANART DE FURRY E SE MASTURBA ENQUANTO IMAGINA UMA VELHA GORDA PISANDO EM VOC√ä COM O P√ČZ√ÉO 48 DELA SEU ESCUTADOR DE MUSICAS QUE TOCAM NA C&A DOIDO BURRO SUA CARA √Č UMA MISTURA DE VOLDEMORT COM SMEAGOL SEU ROMANTIZADOR DE LOLITA SUA ALMA √Č PODRE NEM TOMANDO MIL E QUINHETAS BOMBAS VOCE IRIA FICAR FORTE MAGRELO FUDIDO FRACO MOMENTO MELHOR CENA DO HUMOR MUNDIAL E O QUE FEZ O GATO ANTES DE SAIR PRA RUA? O MORDEU E 2 MINUTOS DEPOIS? VOLTOU A MORDE-LO E 5 MINUTOS DEPOIS? VOLTOU A MORDE-LO E 10 MINUTOS DEPOIS? VOLTOU A MORDE-LO E 20 MINUTOS DEPOIS? VOLTOU A MORDE-LO COMO SE CHAMA ISSO? REMORDIMENTO HAHAHAHAHAHAHA GOSTOU PILANTRA? N√ÉO CONSEGUE LEVANTAR NEM UMA FOLHA DE PAPEL SEU HITLERZINHO AFINAL √ČS T√ÉO HORR√ćVEL QUE PARECE UMA MISTURA DE HITLER MUSSOLINI IMPERADOR HIROITO VLAD O EMPALADOR GENGHIS KHAN E AS FADAS SENSATAS SEU NOJENTO ESCUTA AQUI SEU BORBOLETINHA NA COZINHA QUE FAZ PORRA QUENTE PRA MADRINHA SEU ESCRAVOCETA FAZENDO AS COISAS POR MULHER INGRATA SEU PERNA DE PAU OLHO DE VIDRO E NARIZ DE PIKA DURA NENHUM DOS SEUS FAMILIARES QUER SER ASSOCIADO COM SUA EXIST√äNCIA MISER√ĀVEL E EST√öPIDA, SEU DESCONTROLADINHO QUE BATE PUNHETA PRA RULE 34 DE AVI√ÉO DA BOEING QUE SOFREU ACIDENTE E AS V√ćTIMAS NUNCA FORAM ACHADAS J√Ā QUE ELAS EST√ÉO NO OCEAN, SEU LIXO POUCA BOSTA. QUANDO VOCE VAI CAGAR A BOSTA OLHA PRA SI MESMA COM DESGOSTO POR TER SA√ćDO DESSE BURACO ONDE J√Ā ENTROU A BONECA BARBIE DA SUA IRM√É MAIS NOVA, SEU PERVERTIDO DESGRA√áADO O PLANO DA NASA DE COLONIZAR MARTE N√ÉO √Č ATOA N√ÉO PARCEIRO, NINGU√ČM AGUENTA MAIS LEMBRAR QUE VIVE NO MESMO PLANETA QUE VOC√ä, SEU CACHORRO BILLYZINHO FUGIU DE CASA E SE JOGOU NA FRENTE DE UM CAMINH√ÉO PRA ACABAR COM O SOFRIMENTO QUE ERA TER UM ULTRA FARO E SENTIR SEU CHEIRO DE EGIRL IMPREGNADO EM TUDO QUE √Č CANTO SEUS PAIS S√ď N√ÉO TE TROCARAM POR UM PEIXE PALHA√áO PORQUE VOC√ä N√ÉO VALIA NEM UM TER√áO DO NECESSARIO, E OLHA QUE ELES TENTARAM PASSAR A PERNA NO VENDEDOR, IMUNDO MERDALHEIRO ALA PERA PERA PERA LIGUEI AQUI PRA C√āMARA DOS DEPUTADOS ELES T√ÉO QUASE APROVANDO A LEI QUE TORNA CRIME SUA APARI√á√ÉO EM PUBLICO PORRA QUE LINDO VAI VIRAR CRIME VOC√ä MOSTRAR PRA ESSA CARNE CRUA MASTIGADA QUE VOC√ä CHAMA DE FACE E EU TO EXTREMAMENTE FELIZ, S√ď DE PENSAR NO CONCEITO DA EXIST√äNCIA DESSE SEU NARIG√ÉO DE BATATA EU ME VOMITO TODO SABIA? CHORUMOSO CAGALHADO, VOMITO A COZINHA, A SALA, OS QUARTOS, O S√ďT√ÉO E OPA MINHA CASA TA TODA REDECORADA S√ď POR EU TER ME AVENTURADO EM PENSAR NA DESGRA√áA QUE VOC√ä √Č, AMALDI√áOADO DE OITO ANOS MENTAIS PIRIRIMPIRIRIMPIRIRIM ALGU√ČM LIGOU PRA MIM ADVINHA QUEM √Č? √Č ISSO MESMO √Č O BOLA DE GOZO ELE TA VINDO TE ARREGA√áAR FILHA DA PUTA SORO POSITIVO DO CARALHO TU PEGOU AIDS COM UM AN√ÉO CALVO E EU SINTO PENA DO PEQUENO HOMEM POR TER QUE COMPARTILHAR ALGO T√ÉO ESPECIAL COM ALGU√ČM T√ÉO ESBAGA√áADO QUE NEM VOC√ä SEU TRAFICANTE DE VIBRADOR SEM FAM√ćLIA MACACO PREGO DESGRA√áADO EU ESPERO QUE VOC√ä TROPECE E ARREGACE A CABE√áA NO MEIO FIO PRA ACORDAR DE UM COMA EM 21 ANOS E DESCOBRIR QUE TODOS OS SEUS PARENTES MORRERAM CARALHOOOOO VOC√ä VAI CHORAR DIA E NOITE ENQUANTO EU TOCO O PUNHET√ÉO MAIS GOSTOSO NA SEPULTURA DA SUA M√ÉE E RIO MUITO COM ESSA LEITADA T√ÉO RADICAL PIOR QUE TU √Č GORDO N√Č MANO, MAS GORDO MEMO SEU FUDIDO FUI TE DAR UM ABRA√áO TIVE QUE ALUGAR 14 JOGADORES DE BASQUETE PRA FAZER UMA CIRANDA E CONSEGUIR FECHAR ESSA SUA CIRCUNFER√äNCIA DE PURO DESGOSTO E GORDURA ELA NUNCA VAI TE NOTAR CAMARADA, VOC√ä VAI CONTINUAR GOZANDO PRA MENININHAS ANIME E O ELA VAI TA SENDO TORADA PELO TALLL DO MANDR√Ā√Ā√ÄńāKń∂∆Ź DAS QUEBRADA PENSANDO NA SORTE QUE ELA TEM DE TER ALGU√ČM ASSIM ENQUANTO VOC√ä CHORA SE AFIRMANDO UM CARA LEGAL, CADA VEZ MAIS PAT√ČTICO AOOOOO POTENCIAL DE DAR O CU DESGRA√áADO BAITOL√ÉO BRINCA AQUI COM MEU SACO FILHO DE UMA CONCUBINA, QUER BRIGAS FODA? QUE TAL SUA M√ÉE VS DIETA? LOL AQUELA IMENSA OU SER√Ā TEU PAI VS RUSSIA AQUELE BAITOLA?????? TENHO MUITO MAIS A DIZER: VOC√ä √Č T√ÉO NOJENTO QUE SEU MAIOR V√ćCIO √Č CHEIRAR GOZO EM P√ď ENQUANTO BEBE O C√ĀLICE DE PORRA, SEU BEBEDOR DE GOZO DO CARALHO. MAS SABE O PIOR? √Č QUE √Č A SUA PORRA, J√Ā QUE NENHUM HOMEM DEIXARIA VOC√ä MAMAR A PICA DELE CONSENSUALMENTE, SEU FUDIDO CARA DE BAL√ÉO DO CARALHO. SUA CARA √Č T√ÉO FEIA QUE PARECE UMA ARGAMASSA DE BUCETA, LEROY MERLINZINHO DE MERDA, PARECE UM BONECO DE CERA COM ESSA MERDA DE CARA ESPINHENTA NOJENTA QUE NEM 500 LITROS DE ROACUTAN CONSEGUEM MELHORAR ESSA SUA SITUA√á√ÉO, AN√äMICO FILHO DA PUTA. FALANDO EM ANEMIA, PARECE VOC√ä, SEU MAGRELO Z√Č PALITINHO DE ENFIAR NO DENTE DO CARALHO, GINA COM P√äNIS SNIF SNIF MINHA NOSSA QUE CHEIRO DE IDOSO MORTO H√Ā MAIS DE 3 SEMANAS DE QUEM SER√Ā QUE- AH SIM! SEU SUVACO DESGRA√áADO E ESSA PIZZA DE 2 MESES QUE TU CARREGA SEU DESALMADO COMO PODE LEMBRAR DE JOGAR LOL O DIA INTEIRO E FINGIR QUE ESSE ABORTO ESMERDALHADO N√ÉO DORME NA SUA AXILA? N√ÉO EXISTE PESSOA S√É NESSE PLANETA QUE N√ÉO CONCORDARIA EM TE PRENDER NUM ZOOL√ďGICO. OS BABU√ćNOS TE TEMEM S√ď PELO CHEIRO SEU BUCETADO QUE DESFEITA UOPA UOPA QUE ANIMAL DE TETA √Č ESSE QUE ESTOU VENDO? AH √Č, √Č VOC√ä SEU PORCO DO CARALHO, VOU AT√Č TE CHAMAR DE POLICIAL, FILHO DA PUTA BACON DO CARALHO. BACONZITOS. √Č ISSO QUE VOCE √Č! ALI√ĀS, VOC√ä TEM CHEIRO DE BACON MESMO. BACON DE UM PORCO TORTURADO DEBAIXO DO POR√ÉO DO CHARLES MANSON E QUE FICOU PODRE, SEU ARREGA√áADO ARGENTINO ARREG√ÉO. BIP BIP ALERTA DE CU BIZARRO REPITO ALERTA DE CU BIZARRO AMIG√ÉO VOC√ä TA PRESO DE ACORDO COM O ART√ćCULO DOZE DA MINHA PICA ALVEJANDO SUA M√ÉE SEU CU PARECE TANTO SUA CARA QUE EU FICO CONFUSO DE ONDE OLHAR NA HORA QUE VOU CONVERSAR CONTIGO (MEU GUILTY PLEASURE) EU TE ODEIO MAIS DO QUE ODEIO A TAYLOR SWIFT E OLHA QUE ELA ESQUARTEJA BEB√äS PRO CULTO DELA DE SWIFTERS SEU COC√ĒZ√ÉO NINGU√ČM TE LEVA A S√ČRIO VOC√ä SE ACHA O REI DA IRONIA, BABAC√ÉO CABE√áA DE N√ďS TODOS TETA DE V√ČIA FAGOTEZINHO HAHAHAHA MAS VOC√ä AINDA TA LENDO ESSA COPYPASTA??? MAS V√Ā SE FUDER AMIGO TU ACHA QUE TA FAZENDO O QUE? ABSORVENDO CONTE√öDO? GASTANDO TEMPO? AMIGO INDEPENDENTE DO QUE VOC√ä ACHA, A RESPOSTA √Č QUE VOSSA SENHORIA √Č EXAGERADAMENTE BICHONA E S√ď CONSEGUE SORRIR QUANDO ENFIA UM PACOTE INTEIRO DE SALAMITOS NO CU. O TI√ÉO DO TRATAMENTO DE ESGOTO AINDA QUESTIONA O MOTIVO DOS TORO√áOS ANDAREM VINDO QUE NEM O PINHEAD COM OS GUERREIROS DE SALAME QUE SOBREVIVERAM AO OCRE QUE √Č ESSE SEU BURAC√ÉO SEM AMOR, FALA√ć, CHUPETINHA DE COC√Ē, ESSE TEU BAFO A√ć √Č DE QU√ä? DE BOSTA QUE VOC√ä COMEU PELO SEU FETICHE EM SCAT? DE PORRA? DE PELO DO CARALHO DO TEU PAI? AH, DEVE SER DAQUELE CADAVER DE UMA CRIAN√áA QUE VOC√ä COMEU SEM NEM ESQUENTAR, SEU PSICOPATA PERTURBADO XUPISCO WHEY PROTEIN DE PIROCA. VOC√ä N√ÉO PASSA DE UM VIADINHO QUE AMA SENTAR NUM CANAVIAL DE ROLA E ASSISTIR FILMES PSEUDO CULT PRA IMPRESSIONAR A GAROTA DA SUA SALA QUE TEM HORROR A VOC√ä E FOGE DE TI SEMPRE QUE TE V√ä, COM MEDO DE ACABAR MORTA NUMA VALA PELO SEU OLHAR DE QUEM NUNCA VIU UMA BUCETINHA GOSTOSA NA VIDA, FRACASSADO NERD√ÉO. VASELINA DE ACENDER CUZINHO DE VELHO GORDO ESQUIZOFRENICO GORDO QUILOS MORTAIS DO CARALHO, URUBU LIXO. VOC√ä N√ÉO √Č NADA MAIS NADA MENOS QUE UM GRANDE TOLET√ÉO DE BOSTA, UM ENORME TOLET√ÉO DE ESTERCO, DE COC√Ē, DE MERDA, DE FEZES, SEU TROGLODITA IRRESPONS√ĀVEL, NEM PRA SER UM OGRO DO CARALHO. PERD√ÉO AOS OGROS, J√Ā QUE ELES S√ÉO LEGAIS, SHREK T√Ā A√ć. VOC√ä √Č S√ď UM TOSCO, UM SAPO DO OLHO COSTURADO. BOM DIA PRA VOC√ä, MOTIVO DA CRIA√á√ÉO DESTA LEI QUE PREV√ä COMO CRIME O ATENTADO AO PUDOR, COMO VAI? ANDA SE SENTINDO BEM COM O ENORME PESO DE SER A DEFICI√äNCIA DA NOSSA SOCIEDADE? O BASTARDINHO RODELA DE FURICO COM ESPINHA? EU ESTOU AQUI PARA TE AJUDAR MEU RAPAZ, ACREDITE. VEJA POR EXEMPLO MEU DED√ÉO DO P√Č DIRETAMENTE NO SEU OLHO SEU TERATOMA EM FASE ADULTA CURI√ď DO BICO AMARGO PIERCING NA TETA DA DAMARES UIUI PASSIVO AGRESSIVO UIUI PRIMEIRAMENTE VADIA DE BERMUDA, QUEM PASSA AQUI √Č SUA NAMORADA PASSA MAL VENDO O PEPINO DO PAPAI A AGRESS√ÉO FICA POR CONTA DO RAB√ÉO DELA QUE J√Ā TA ROXO DEPOIS DE ENTRAR EM CONTATO COM MINHA P√ČLVIS FURIOSA MLK, FICA ESPERTO A√ć SOMMELIER DE PIROCA TORTA, J√Ā QUE O DESEMPREGO T√Ā AUMENTANDO E NINGU√ČM VAI QUERER CONTRATAR UM XUPINGA PICA MOLE MICROSC√ďPICA QUE NEM TU, SIRIGAITO DO CARALHO. VOC√ä DEVIA PARAR DE BATER PUNHETA PRA HENTAI DE CARRO TETUDO E SAIR DO SEU QUARTO, BICHO PREGUI√áA DA PORRA. AH, ESQUECI QUE VOC√ä √Č T√ÉO, MAS T√ÉO TOSCO QUE NEM SUA M√ÉE QUER OLHAR PRA TUA CARA DE RESTO DE ABORTO. LEMBRA DO SEU PARTO? N√ÉO N√Č SEU FILHO DA PUTA, MAS QUANDO SUA M√ÉE GRITOU DURANTE A CIRURGIA N√ÉO FOI POR DOR E SIM POR SENTIR QUE ESTAVA DANDO LUZ A UM RASCUNHO DO DIABO MAL FEITO CAGADO ESPIRRADO CHUTADO CHORADO E MIJADO. SUA CABE√áA PARECE UMA RASPADINHA DE CASPA, J√Ā QUE VOC√ä N√ÉO LAVA ESSA IMUNDICE FAZ CINCO ANOS, CHEGA CRIOU NINHO DE RATO A√ć NESSA MERDA. QUAS√ćMODO FILHO DA PUTA, ESSAS COSTAS TODA TORTA VOC√ä ANDA DEITADO POR ESSA INCLINA√á√ÉO FUDIDA, SEU DESCOMUNGADO. AH, ME DISSERAM (COM LAUDOS M√ČDICOS CONFIRMANDO) QUE VOC√ä √Č PORTADOR DA S√ćNDROME DO BUMBUM GORDO GULOSO NECESSITADO DE PIROCA, ESSA BUNDA √Č UM PORTA-VIBRADOR, S√ď LEVA PIROCADA DE PL√ĀSTICO J√Ā QUE NINGU√ČM OUSA ENTRAR NESSA CAVERNA DO DRAG√ÉO, FEDIDA ESCURA E INFINITA. A INSPIRA√á√ÉO A√ćKKKKKKKKK: "FILHO DA PUTA, VOU COMER SEU CU. ARROMBADO DO CARALHO, SUA M√ÉE ALUGA A BUCETA PRA COMPRAR FIXADOR DE DENTADURA PRO SEU PAI, AQUELE CORNO BROXA. CHIFRUDO, VOU ENFIAR MEU BRA√áO NO SEU √āNUS E ARRANCAR SEU INTESTINO. LOGO DEPOIS VOU ENFORCAR SUA AV√ď COM ELE, AQUELA VELHA BISCATE QUE FAZ CROCH√ä PRA FORA EM TROCA DE PICA. SUAS TIAS T√äM P√äLO NO DENTE E SUA IRM√É TEM POLENGUINHO NA VIRILHA, SEU GRANDE FILHO DA PR√äULA. SUA M√ÉE DAVA LEITE DA CABE√áA DO PAU DO SEU PAI PRA VOC√ä BEBER, FILHO DA PUTA. ISSO MESMO, VOC√ä TOMAVA MAMADEIRA DE PORRA DESDE CRIAN√áA. POR ISSO √Č O RETARDADO MENTAL QUE √Č HOJE, SEU Z√Č BEBEDOR DE SUCO DE CARALHO. O PADRE TE BENZEU COM √ĀGUA PARADA, HOJE VOC√ä SOFRE OS EFEITOS RETARDADOS DO AEDES AEGYPT QUE SE ALOJA DENTRO DO SEU OUVIDO, SEU MONTE DE ESTERCO. SEU AV√Ē ARROMBADO USA FRALDA E TE OBRIGA A LIMPAR OS CAG√ēES DELE COM UMA COLHER DE DANONINHO, SEU CAPACHO DO CARALHO. SUA M√ÉE TE FAZ DORMIR COM O REX, AQUELE CHIUAUA FILHO DA PUTA E CHEIO DE SARNA. E DURANTE A MADRUGADA O REX ABUSA SEXUALMENTE DE VOC√ä, AT√ďLA A PATINHA DENTRO DESSE SEU CU PEL√öDO, SEU FRACASSADO. LEMBRA DA JANDIRA, AQUELA SUA PRIMA MONOTETA ? POIS √Č, ENFIEI UM TACO DE BASEBALL NO CU DELA. A M√ÉE DELA DEU O FLAGRANTE NA GENTE E AO INV√ČS DE FICAR BRAVA, PEDIU O TACO EMPRESTADO. VADIA DO CARALHO ESSA SUA TIA, S√ď PODE TER APRENDIDO COM SUA M√ÉE, AQUELA BISCATE. QUE ALI√ĀS, CONTINUA CHUPANDO O CARALHO DO Z√Č DO PACOTE, O TRAFICANTE QUE MORA A√ć DO LADO DA SUA CASA DE BARRO, SEU FILHO DUMA MACONHEIRA VAGABUNDA. O CABELO DA SUA M√ÉE √Č T√ÉO RUIM QUE ELA FAZ CHAPINHA NOS P√äLOS DO SOVACO E USA UM DESODORANTE COM CONDICIONADOR CAPILAR, AQUELA VELHA CARCOMIDA DESGRA√áADA. VOC√ä FOI ENCONTRADO NO LIXO, SEU MERDA. E AT√Č HOJE SUA M√ÉE PEDE DESCULPAS PRA DEUS PELO PEDA√áO DE MERDA QUE PARIU. AT√Č TE EMBALOU NUM SACO PRETO ANTES DE JOGAR NO LIXO, MAS VOC√ä √Č T√ÉO HORR√ćVEL QUE UM MENDIGO TE ENCONTROU E QUASE TE COMEU ACHANDO QUE TU ERA UMA LAZANHA, SEU ESCROTO FILHO DA PUTA. SEU PAI VENDE CARTA DE MAGIC ROUBADA PRA JOGAR UMA HORA NA LAN HOUSE E ENTRAR EM SITE PORN√Ē. DEPOIS ELE SE MASTURBA E GOZA DENTRO DO SEU TRAVESSEIRO. ISSO MESMO, AQUELA MANCHA BRANCA QUE INSISTE EM APARECER TODA VEZ QUE VOC√ä ACORDA N√ÉO √Č SUA SAL√≠VA, SEU FILHO DA PUTA. VOC√ä SEMPRE FOI O MAIS ALOPRADO DA CLASSE. LEMBRA QUANDO ENFIARAM UM GIZ NO SEU CU ? VOC√ä FICOU UMA SEMANA CAGANDO BRANCO, PARECIA GESSO. E QUANDO VOC√ä IA RECLAMAR COM A PROFESSORA, ELA TE MANDAVA CALAR A BOCA. AQUELA VELHA SEMPRE SOUBE QUE VOC√ä TEM PROBLEMAS MENTAIS, SEU RETARDADO. A√ć VOC√ä TINHA QUE CALAR ESSA SUA BOCA ENQUANTO O GIZ DERRETIA DENTRO DO SEU INTESTINO, HAHA. FRACASSADO, V√ä SE PASSA UMA GILLETTE NESSE SEU BIGODINHO RID√ćCULO. TU PARECE O MANO BROWN, PORRA. E D√Ā UM JEITO NESSAS SUAS TETINHAS DE BRIGADEIRO, ELAS EST√ÉO COME√áANDO A FEDER. TODA VEZ QUE EU PASSO DO SEU LADO, SINTO CHEIRO DE CACHORRO MORTO. QUE ALI√ĀS, SE ASSEMELHA AO CHEIRO DA XAVASCA DA SUA M√ÉE, AQUELA LEITOA MALDITA. DIZ PRA ELA CONGELAR O FEIJ√ÉO QUE HOJE EU VOU CHEGAR TARDE, SEU PUTO. SEU FILHO DUMA PUTA DO CARALHO SE ENXERGA PORRA‚Ķ VAI TOMAR NO MEIO DA √ćRIS DO OLHO DO TEU C√ö SEU FILHO DUMA VENDEDORA DE PIROC√ďPTERO! SEU PAI VENDE BILHETE DE LOTERIA ESPORTIVA NA FRENTE DA SAPATARIA SEU FILHO DUMA PUTA DO CARALHO.! TOMARA Q SUA V√ď ESCORREGUE NO BOX ENQTO TIVER TOMANDO BANHO E CAIA DE TESTA NA SABONETEIRA SEU CORNO DO CARALHO.! QUERO MAIS EH QUE VC SE FODA JUNTO COM TODA A SUA FAM√ćLIA AKELE BANDO DE CATADOR DE GARRAFA DO CENTRO COMUNIT√ĀRIO.! SUA M√ÉE DA AULA DE MAMULENGO PROS PRESIDI√ĀRIOS DO CARANDIR√ö SEU FILHO DA PUTA.! SEU PAI ANDA PUXANDO UMA CARRO√áA PELA CIDADE CATANDO PAPEL√ÉO PRA DEPOIS FAZER UM PACOT√ÉO E VENDER TUDO POR 1 REAL! SUA M√ÉE ENCAPA SEUS LIVROS E CADERNOS COM SACO DE ARROZ TIO JO√ÉO SEU FILHO DUMA LAVADERA DO CARALHO.! SEU PAI VENDE REDE NO FAROL SEU FILHO DA PUTA.! SEU AV√Ē CONSERTA PANELA DE PRESS√ÉO E AMOLA FACA DE PORTA EM PORTA SEU FILHU DUM P√Č DE AIPIM.! SEU PAI FAZ CARRETO DE KOMBI PORRA‚Ķ CARALHO.! VAI TOMA NO C√ö SEU FILHO DA PUTA EH ESSA PORRA DESSE CARALHO ESPACIAL VUANU ATR√ĀS DE VOC√ä PORRA VAI TOMA NO C√ö CARALHO.! QUERO MAIS EH Q VC SE FODA E QUE A TOWNER Q SEU PAI USA PRA TRABALHAR (PERUEIRO FILHO DA PUTA) PEGUE FOGO COM VC, SUA M√ÉE, SUA IRM√É, SUA V√ď E MAIS 3 CLIENTES‚Ķ SEM CONTAR TBM Q QUERO Q TENHA INFILTRA√á√ÉO NO SEU BARRACO TODO.! QUERO Q SUA FAM√ćLIA TODA SEJA V√ćTIMA DUMA EPIDEMIA DE MAL√ĀRIA E FEBRE AMARELA.! E DIGO MAIS! DESEJO QUE VOC√ä TENHA CANCER NO C√ČREBRO E QUE SUA M√ÉE CAIA COM O C√ö NA QUINA DA MESA DA SALA.! SUA M√ÉE GUARDA P√Č DE MOLEQUE E SUSPIRO QUE ELA FAZ PRA VENDE EM PACOTE DE MANTEIGA CAMPESINA SEU FILHO DUMA BISCATE RAMPEIRA E SEM DONO DO CARALHO QUERO MAIS EH Q VC MORRA JUNTO COM TODA SUA FAM√ćLIA PORRA CARALHO VAI TOMA NO C√ö MERDA VAI SE FUDER‚Ķ FILHO DUM SACO DE ADUBO MANAH‚Ķ! SEU PAI FAZ GLOBO DA MORTE DE BARRAFORTE COM SUA M√ÉE NA GARUPA FILHO DA PUTA.! SUA M√ÉE AGUENTA A TORCIDA TODA DO CORINTHIANS E DO FLAMENGO SOZINHA E AINDA PEDE BIS SEU CORNO DO CARALHO, FILHO DA PUTA! SEU PAI √Č FEIRANTE AQUELE CORNO VENDEDOR DE ALFACE! SUA M√ÉE PEDE ESMOLA JUNTO COM TEUS TIOS NA FAROL AQUELA MULAMBA DO CARALHO!‚ĶSEU M√ÉE VENDE AMENDOIM SEM CAMISA NO ESTADIO DE FUTEBOL SEU FILHO DUMA VAGABUNDA VADIA! SEU PAI √Č GAY IGUAL A VOCE SEU FILHO DUMA CADELA SARNENTA, PEGUEI ELE NA GRAVA√á√ÉO DO PROGRAMA DO LE√ÉO LOBO PARTICIPANDO DE UMA SURUBA JUNTO COM O CLODOVIL SUA BICHA ENRUSTIDA DO CARALHO!‚Ķ SUA M√ÉE √Č UMA PISTOLEIRA, (E DAS BOAS) FEZ SERVI√áO COMPLETO PRA MIM E PRA MINHA GALERA, SEU FILHO DE UMA VERDADEIRA PUTA MALDITA!‚ĶSEU PAI AQUELE CORNO DO CACETE √Č GARI, E SUA M√ÉE √Č VARREDORA DE RUA SEU FILHO DO CAPETA!‚Ķ ESPERO QUE VOCE SE FODA, MAS QUE SE FODA MESMO, E QUE VOCE SEJA ATROPELADO POR UM TREM, E QUANDO SEUS PEDA√áOS CHEGAREM NO IML, O LEGISTA AINDA COMA SEU CU HAHAHAHA, AT√Č MORTO SE TA DANDO O RABO RAPAZ‚Ķ SE FODE FILHO DE UMA RAPARIGA DO MATO‚ĶSUA M√ÉE DIRIGI CAMINH√ÉO COM AS TETAS DE FORA, AQUELA VACA GORDA FILHA DA PUTA! ‚ĶSEU PAI TEM CARTEIRINHA VIP NO GALA GAY AQUELE TRANSFORMISTA DO CARALHO‚ĶPORRA! VAI SE FUDE SEU NERD DO CARALHO!‚Ķ VOCE N√ÉO NASCEU, VOCE FOI CAGADO SEU MONTE DE MERDA DO CARALHO" S√ÉO MITOS DA COPYPASTA AO VIV√ÉO SEU PASSARALHO DE MERDA, SEU CANTO √Č COMO O ARROTO DE UM DRAG√ÉO DEFICIENTE QUE FICOU PRESO TR√äS MIL ANOS DEBAIXO DO CENTRO DA TERRA E QUE SONHA EM DESTRUIR SUA ALMA, SEU ANTICRISTO LEVA-PIROCADA. AL√ČM DE TUDO, √Č UM PAU-MOL√äNCIO QUE OUVE ANAVIT√ďRIA ENQUANTO SE MASTURBA PRA FOTO DE CAD√ĀVERES RUSSOS MEQUETREFE ABESTADO P√Č FEIO RUIM TIFE C√ÉO SATANAS DOS INFERNOS BOBONICA FEB PRETA TAPINHA N√ÉO D√ďI √Č√Č√Č√Č MEU AMIGO √Č ISSO A√ć EU VOU COLOCAR A LETRA INTEIRA DE SORRIZO RONALDO E VOC√ä FIQUE BEM QUIETINHO PORRA SORRI, SORRI SORRI, SORRI SORRI, SORRI SORRI, SORRI WE WILL, WE WILL ROCK YOU (√Č O SORRIZO RONALDO) WE WILL, WE WILL ROCK YOU (SORRI, SORRIZO RONALDO) √Č O SORRIZO RONALDO SORRIZO RONALDO ESSE √Č O SORRIZO RONALDO ESSE √Č O SORRIZO RONALDO QUEM VAI TE TACAR A PIROCA O SORRIZO RONALDO CONVOCOU, CONVOCOU (OI) CONVOCOU (OI, OI) A√ä, GAROTO (OI, OI) √Č A VEZ DAS PIRANHA CARALHO! SORRIZO RONALDO SORRIZO RONALDO CARALHO! √Č O PICA DO YOUTUBE, ELE T√Ā EMBRAZADO GERAL J√Ā T√Ā SABENDO QUE √Č O SORRIZO RONALDO PU TA QUE PA RIU TACRACATACARACATACARACATATATATATATACARACATACARACATACARACATATATATATA TATATATA TA TA DE VOLTA √Č O SORRIZO RONALDO SORRIZO RONALDO, ISSO N√ÉO √Č LEGAL √Č O SORRIZO RONALDO QUE CHEGOU QUANDO V√ä O SORRI, SORRI, SORRI, SORRI, SORRIZO RONALDO ESSE √Č O SORRIZO RONALDO DO YOUTUBE, O MAIS PICA DO BAGULHO L√Ā VEM, L√Ā VEM ELAS PODE SOLTAR, PODE SOLTAR VEM MULHER, VAI QUINHENTAS FOTOS POR MINUTO PODE SOLTAR, PODE SOLTAR FUDEU! √Č O SORRIZO RONALDO SORRIZO RONALDO ESSE √Č O SORRIZO RONALDO ESSE √Č O SORRIZO RONALDO QUEM VAI TE TACAR A PIROCA O SORRIZO RONALDO CONVOCOU, CONVOCOU (OI) CONVOCOU (OI, OI) A√ä, GAROTO (OI, OI) √Č A VEZ DAS PIRANHA CARALHO! SORRIZO RONALDO SORRIZO RONALDO CARALHO! √Č O PICA DO YOUTUBE, ELE T√Ā EMBRAZADO GERAL J√Ā T√Ā SABENDO QUE √Č O SORRIZO RONALDO KMKMKKKJJJKJMEU TU N√ÉO SABE O QUE ACONTECEU OS CARAS DO CHARLIE BROWN INVADIRAM SUA M√ÉE EST√öPIDA DE DOIS NEURONIOS CADEIRANTES ESSA √ČGUA BEBE √ĀGUA USANDO UM GARFO √Č REALMENTE UM VEGETAL AMBULANTE FUI PERGUNTAR SE ELA TAVA GOSTANDO DA PIROCADA ELA FALOU ABLUBL√ČBLUBL√ČBLUUUUUUUUUU CARALHOOOOOO ELA N√ÉO GEME ELA S√ď U U UUUU FUI BRINCAR DE HE MAN COM SEU V√Ē E ELE TAVA COM A ESPADA DE PL√ĀSTICO NO CU GRITANDO QUE TINHA A FOR√áAKKKKKKKKK BRINCADEIRA! ENFIEI L√Ā E AMEACEI ELE COM UMA FACA DE CORTAR P√ÉO, GRITOU QUE FOI UMA BELEZA QUANDO EU GOZEI NO OUVIDO DELE POOOOORRAAAAAAA TAPINHA N√ÉO D√ďI VAI LATINO ESMAGUE MINHA BUNDINHA COMO FAZIA COM SUAS ITALIANAS NA FESTA NO AP√ä VAMOS LATINO EU QUERO TAP√ÉO DE QUALIDADE LEVANTA A√ć MACACO
submitted by dustobbop to Copicola [link] [comments]


2020.05.02 00:14 NoiteAmorosa PROCURO NAMORADINHA

EU QUERO UMA NAMORADINHA: redpillada channer, dogoleira, wgtow, ancap, jogadora de lol, jogadora de poker, bv, virgem, sem amigos, crente, f√£ da UDR,magrela, footlet,escuta Chico Buarque, weeabo, hikkimori, otaku, gamer, furry, fujoshi, hetero,federal,trader de bitcoin,hacker, defacer, cubista, penspinner, recordista de memoriza√ß√£o de baralhos, timida, m√£e de pet, hidratada, n√£o consumidora de a√ßucar, saud√°vel, youtuber, netolover, pooper, cambista, shitposter, anarquista, materialista, roquista, travesquista, mono talon vlogger, blogueira, e-girl, intolerante a lactose, intolerante a gluten, grinder e hipn√≥loga, fiel, niilista existencialista, metaleira, headbanguer, pelo no suvaco, patriota, masoquista, ballbuster, jogadora de minecraft, buceta fedida, que n√£o tenha medo de chuta minhas bolas pelo amor de deus eu nao consigo encontrar uma menina pra chutar minhas bolas por favor deus eu imploro nao agusnto mais isso nao eh um meme porque voces tem medo de me chutar no saco. Ra√ßa: n√≥rdica Altura: 170cm+ Pele: 1 ou 2 (Fitzpatrick) Olhos: 7+ (Martin) Cabelos: qualquer cor, mas apenas lisos ou ondulados (FIA) Nariz: reto ou virado para cima Cr√Ęnio: dolico ou mesocef√°lico √ďculos: n√£o Aparelhos: n√£o Queixo furado: n√£o Covinhas: n√£o Orelha presa: n√£o Orelha de abano: n√£o Franja em V: n√£o Pelos no corpo: muito pouco Tatuagem: n√£o Gradua√ß√£o: apenas cursos voltados √† pesquisa Faculdade: apenas bem conceituadas Habilidades matem√°ticas: sim Idiomas: flu√™ncia em ingl√™s e mais outro idioma √Ālcool, cigarro, drogas: n√£o, nenhum Personalidade: introvers√£o Cultura: europeia ocidental RELIGI√ÉO: Crist√£ Ortodoxa Gostar de escutar rog√©rio skylab:
Para ser sincero, voc√™ precisa ter um QI muito alto para entender Rog√©rio Skylab Para ser sincero, voc√™ precisa ter um QI muito alto para entender Rog√©rio Skylab. O humor √© extremamente sutil e, sem uma compreens√£o s√≥lida de filosofia moderna, a maioria das piadas vai passar despercebida pelo telespectador m√©dio. H√° tamb√©m a vis√£o niilista de Rog√©rio, que est√° habilmente tecida em sua caracteriza√ß√£o - sua filosofia pessoal se baseia fortemente na literatura de Nododaya Volya, por exemplo. Os f√£s entendem essas coisas; eles t√™m a capacidade intelectual para realmente apreciar a profundidade dessas piadas, para perceber que elas n√£o s√£o apenas engra√ßadas - elas dizem algo profundo sobre a VIDA. Como conseq√ľ√™ncia, as pessoas que n√£o gostam de Rog√©rio Skylab s√£o verdadeiros idiotas - √© claro que eles n√£o apreciariam, por exemplo, o humor no bord√£o existencial de Rog√©rio "Chico Xavier √© viado e Roberto Carlos tem perna de pau", que √© uma refer√™ncia cript√≠ca para o √©pico Pais e Filhos do russo Turgenev. Estou sorrindo agora mesmo imaginando um desses coitados simplistas co√ßando a cabe√ßa em confus√£o enquanto as m√ļsicas se desenrolam na tela de seu computador. Que tolos‚Ķ como eu tenho pena deles. E sim, a prop√≥sito, eu tenho uma tatuagem do Rog√©rio Skylab. E n√£o, voc√™ n√£o pode v√™-la. √Č s√≥ para os olhos das damas. E mesmo elas, precisam demonstrar de antem√£o que possuem um QI com diferen√ßa absoluta de no m√°ximo 5 pontos do meu (de prefer√™ncia para baixo).
Rotina, Habitos e interesses: Nofap + Banho Gelado + comer carne crua + comer virado pra parede + biohack + dormir no ch√£o + Jordan Peterson + mewing + HBD + PUA + jelq + dormir 5 horas por dia + caf√© gelado sem a√ß√ļcar + hipismo + compila√ß√£o mitadas En√©as + alho cru + podcast do Joe Rogan + redpill + Brain Force + Jejum + medita√ß√£o iasd + m√ļsicas para concentra√ß√£o, foco e intelig√™ncia + teste de QI da internet + grupos de linhagem viking do facebook + ficar longe do poste de internet 4G + youtube do varg vikernes + ess√™ncia de morango da turma da m√īnica no narguil√© + jogar vape na cara de todo mundo que tentar entrar no bloco da faculdade + 5 segundos de calistenia no deserto do atacama + darkcel + √≥culos do a√©cio na foto de perfil + ler quotes do nietzsche no brainy quote + criar galinha no quarto sem os pais saberem + Alho cru + uma colher de azeite quando acorda e outra antes de dormir + jejum de 24hrs a cada 72hrs + assistir VT no premiere logo que chega do est√°dio + canal Ultras World + LibreFighting + Operation Werewolf + comprar os artigos do Paul Waggener + Centhurion METHOD + humilliation exposure com a finalidade de criar uma crosta na sua mente capaz de desenvolver uma resili√™ncia que resiste √† humilha√ß√£o como se ela fosse nada + tomar banho descal√ßo em chuveiro de academia com ch√£o mijado + muscula√ß√£o caseira + hackear o sono + Empreender + 10 livros de auto ajuda por m√™s + PUA + Selo super f√£ da f√ļria e tradi√ß√£o + Biokinesis + 432hz music + Mexer o pau sem piscar o c√ļ + medita√ß√£o transcendental + veganismo + minoxidil para cultivar uma barba + filmografia Jason Stataham + assistir vikings + redpill + ir no cinema sozinho + treino saitama + coach qu√Ęntico + enema de caf√© + dieta lair ribeiro + agua alcalina + O M√©todo de Wim Hof + sabedoria hiperb√≥rea + artigos da Nova Resist√™ncia + Biblioteca do D√≠dimo Matos + dormir virado pra patede assoviando no escuro pra espantar o curupira + dar 3 pulinhos toda vez que levantar da cama + dizer am√©m quando um 1113 azul passar por voc√™ na rua + 100 flex√Ķes por dia + 6 meses de jelq + injacula√ß√£o guiada + sociedade thule + energia vril + chap√©u de alum√≠nio para se proteger das armas psicotronicas emitidas pela CIA + caderno de anota√ß√Ķes smiliguido + pedir a b√™n√ß√£o ao carteiro toda segunda de manh√£ + 3 horas de academia + 4 horas de corrida + mascar caf√© + exerc√≠cios penianos do Dr. Rey + maratona saga Rocky + trilha sonora saga Rocky + trilogia Mercen√°rios + filmes do Jason Statham + assoviar o hino do Palmeiras de ponta-cabe√ßa + intro do Canal do Nicola em loop + palestras do Antonio Conte + v√≠deos do Rodrigo Baltar + dicas do Gustavo Gambit + aulas de italiano + dormir ouvindo Ultraje a Rigor + ler Walden pelado na mata atl√Ęntica de madrugada + ouvir m√ļsicas em velocidade aumentada + canto gregoriano √°rabe + ensinar hino do botafogo pra calopsita + fritar comida com banha de porco + assistir videos de situa√ßoes de risco com a finalidade de se preparar para o perigo + Terapia Holistica com formandos da UFPR no Jardim Bot√Ęnico + Radiestesia para harmonizar vibra√ß√£o da casa + Metatron 432HZ no YouTube entoando a ora√ß√£o EU SOU + ler O C√≥digo da Vinci + Jesus Qu√Ęntico + Barra Fixa na pra√ßa de madrugada escutando audiolivro do Jordan Peterson na voz do cara dos Fatos Desconhecidos + grupo POPEYE AFIANDO A PIKA + MyInstants AEEE KASINAO + Memes do Fausto Silva + ler O Evangelho dos Animais + stories do Copini no Instagram + Canal SocialGames7 com Gustavo Gambit e CIA + textos de Raphael Machado (Nova Resist√™ncia) + ser ex-membro do grupo Comunismo Ortodoxo + Monja Coen + Fazer origami com papel do bis + perder dinheiro com maquina de pegar ursinho + fumar palheiro com o av√ī + quebrar palito de dente no meio depois que usar + rezar Pai Nosso em aramaico + tentar se comunicar com o ashtar sheran + virar catequista e passar Pl√≠nio Salgado para as crian√ßas + Limpeza de 21 dias de S√£o Miguel Arcanjo + arrancar a fimose comendo cu apertado de galinha caipira + Regata branca WifeBeater com cal√ßa jeans clara e bota marrom + Ingressar na legiao estrangeira + Comprar toras de eucalipto pra reproduzir o centurion method mas nunca come√ßar o treinamento + vender m√°quina de cart√£o de cr√©dito + ler os escritos do Unabomber + Escutar a discografia do Paul Waggener + ler todos os livros do Pavel Tsatsouline + ouvir rap eslavo de cunho pol√≠tico suspeito + caf√© com um cubo de manteiga dentro precedendo a primeira refei√ß√£o do dia + beber 2L de leite por dia + Stronglifts 5x5 + Dieta Cetog√™nica + Canal Jason PROJETO GIGA + Cd do TRETA + comprar torre de chopp no prensad√£o + 2 c√°psulas de Tadalafellas antes do sexo + s√≥ comprar comida japonesa importada pra dieta + comer arroz sem sal com peixe cru sem tempero enrolado em folha do fundo do mar + memes da p√°gina Dollynho Puritano + Deus Vult na capa do Facebook + acessar o dogolachan pelo computador da escola pra postar fanfic gay do Gilberto Barros + Trollar atendentes do mcdonalds no habbo hotel + ligar para o Motel Ast√ļrias perguntar quando custa a bolacha Bauducco que aparece no site + Mandar entregar pizza na Rua dos Tamoios casa n¬į18 com port√£o vermelho + cosplay de russo no Omegle pedindo pra mostrarem a bunda + Dormir imaginando uma linha pra fazer viagem astral + recitar Homero pra mendigo + tomar antibi√≥tico no caf√© da manh√£ + Meditar imaginando o raio de luz violeta que representa a energia transmutadora + Workshop Reiki do Canal Luz da Serra MULHERES TERRAPLANISTAS RALEM.
Primeiro de tudo! Vai tomar no cu, MULHERES terraplanistas! Junto com todas que me contrariaram nos √ļltimos meses falando "dur hur voc√™ n√£o sabe nada de paleontologia, vai assistir seus desenhos filipinos e n√£o encha o saco". TODOS OS DINOSSAUROS TEM PENAS! LERAM DIREITO? TODOS OS DINOSSAUROS TEM PENAS! A farsa ficou t√£o √≥bvia, que eles n√£o tem mais como esconder que TODOS OS DINOSSAUROS TEM PENAS! Alguns mais penas, outros menos penas, MAS TODOS TEM. E aproveitando no mesmo v√≠deo, N√ÉO TEVE METEORO PORRA NENHUMA! Provavelmente as mudan√ßas clim√°ticas naturais, junto com a separa√ß√£o gradual dos continentes, √© que extinguiu a mega-flora e a mega-fauna. E se teve algum meteoro, apenas acelerou o processo em uma regi√£o muito especifica. Agora s√≥ falta as ((especialistas)) e a (((Academia))) admitir que dinossauros nunca existiram e que foi tudo um erro grotesco de interpreta√ß√£o de pessoas que n√£o sabiam que caralhos eram aqueles esqueletos. S√£o apenas aves e mam√≠feros ancestrais de milh√Ķes de anos atr√°s. E antes que eu me esque√ßa, vai todo mundo que me contrariou tomar no cu!
GOSTAR DE MIM POR QUEM EU SOU E NAO PELA MINHA APARENCIA
Sério, de verdade, ser uma pessoa bonita não é fácil em nossa sociedade atual; não é só os olhares de desejo das mulheres e dos homens que me incomoda, e sim, o fato de ser só isso para as pessoas. Sou muito mais que apenas um cara bonito. Tenho qualidades além dessas, e saber que as pessoas não ligam para elas, pois estão entorpecidas de anseio pela minha formosura, me entristece muito.
Não suporto mais ser bonito. Tudo que eu queria era poder nascer de novo num corpo de uma pessoa feia, pois sério, vocês não sabem como me dói saber que por culpa de algo que nasceu em mim (a incrível beleza), serei rotulado eternamente por isso.
Eu trabalho, estudo, procuro, conheço, aprendo! Sou um ser-humano como qualquer outro e não só mais um rostinho bonito.
Pergunta antes de eu poder te namorar: Você é ocultista?
Essa é a pergunta de um milhão de dólares que raramente vejo sendo feita.
Se você ainda não for, pra se tornar minha namorada precisará ser e aqui está como fazer isso
√Č fato que a maior parte da literatura especializada ocidental acredita em Deus e Cristo, somente olhando-o por uma lente diferente. N√£o h√° um ritual que lhe aproxime de Deus, as coisas raramente s√£o t√£o simples. Entretanto, com estudo e medita√ß√£o o caminho come√ßa a ficar mais claro.
Entenda que não sou nenhum senhor da verdade, e o que te falo hoje posso descobrir ser mentira amanhã. Saiba também que um dos maiores problemas desse meio é a falta de um início claro, sendo as obras tidas como introdutórias porcarias completas. Dito isso, lhe respondo o seguinte:
  1. O caminho mais completo para se aproximar do que voc√™ quer come√ßa com no√ß√Ķes do pensamento Hel√™nico. Entenda que boa parte da vis√£o de mundo crist√£ vem da antiguidade cl√°ssica, principalmente as no√ß√Ķes de harmonia e belo. N√£o te pe√ßo para ler tudo o que j√° foi jogado ao ch√£o pelos gregos, mas saiba um pouco das origens das coisas. Tenha uma ideia b√°sica dos quatro humores gregos, e que essa √© uma das origens para atribuirmos personalidades aos elementos da natureza. Entenda um pouco dos seus deuses e Cosmos, porque eles ser√£o utilizados no futuro de forma metaf√≥rica em textos. Saiba que quando aparecer um hermafrodita em um texto especializado n√£o h√° conex√£o com desvios modernos, mas com um simbolismo mais antigo (Salvo engano, sua origem √© Plat√īnica. Mais especificamente, O Banquete, durante os discursos sobre amor).
  2. Entenda que boa parte da origem da magia ocidental vem da conflu√™ncia da cultura grega com a eg√≠pcia, incluindo a alquimia. A t√°bua esmeralda √© um texto obrigat√≥rio. Leia um pouco sobre o Axioma de Maria, A judia. Aprenda um pouco da simbologia alqu√≠mica, porque ser√° importante para voc√™ no futuro. √Č dentro da alquimia que ir√£o discursar sem final sobre a trindade (pelo menos os da corrente de Paracelso). N√£o se pretenda nenhum mestre dos espag√≠ricos, porque os qu√≠micos far√£o isso melhor do que voc√™. Entenda que n√£o havia essa separa√ß√£o absoluta entre o material e o espiritual, ent√£o os dois conhecimentos andaram juntos ao decorrer da hist√≥ria. Entenda tamb√©m que haviam escritores voltados especificamente para a alquimia espiritual, enquanto outros √† qu√≠mica.
  3. Estude a Cabala. Eu entendo que para alguns seja dif√≠cil dar aten√ß√£o √† Cabala Judaica com o surto conspiracionista chan√≠stico sobre a √≠ndole de todo um povo, mas querendo ou n√£o o juda√≠smo √© o Pai da f√© crist√£, sendo Jesus judeu. Entenda que a √°rvore da vida √© um estudo sobre Deus e suas emana√ß√Ķes, e dela vir√° uma boa parte de seu conhecimento.
  4. Leia as coisas atuais sobre o assunto. Dê atenção aos escritores herméticos, principalmente.
Ocultismo é um saco, pelo menos se você for estudar seriamente. Você pode perder a vida se tiver um projeto ambicioso como se aproximar de Deus.
Você também pode pular algumas etapas no que te falei. Sobre a parte do pensamento grego, saiba que boa parte é "dispensável". Dito isso, recomento que entenda um pouco sobre o funcionamento do Cosmos de Ptolomeu. Entenda também alguns dos símbolos planetários, porque seu entendimento irá lhe ajudar no futuro.
Pra me namorar tambéme tem que gostar dos animes:
Akame ga Kill! Akarui Sekai Keikaku Ana Satsujin Asu no Yoichi! Azumanga Daioh Balance Policy Black Cat BlazBlue: Remix Heart Chichi ga Loli na Mono de Choujigen Game Neptune: The Animation - Dengeki Comic Anthology Come Come Vanilla! Criminale! Dog Style Domina no Do! Eden no Ori Yu-gi-oh
Sobre assistir Yu-gi-oh; quando eu era adolescente, gostava (na época que passou na TV Globinho e era moda), mas hoje em dia não gosto mais; então não assistiria de novo.
Quanto às minhas lembranças marcantes de Yu-gi-oh:
Em 2003, Yu-gi-oh era moda e todo mundo na escola da quinta e da sexta série jogava com cartinhas piratas, já o pessoal da sétima e da oitava não se interessava. A propósito, em 2003 tiveram duas grandes modas de brinquedos baseados em animes, cartinhas de Yu-gi-oh e Beyblade. Outro brinquedo que todo mundo da quinta e da sexta série levava pra escola em 2003 depois que passou a moda de Yu-gi-oh e começou a moda da Beyblade era a Beyblade.
Outra lembrança marcante que tenho de Yu-gi-oh é que em 2003 na escola o pessoal criava suas próprias cartinhas, fazendo desenhos e estatísticas.
Fujimura-kun Mates Gantz Gou-Dere Bishoujo Nagihara Sora‚ô• Higurashi no Naku Koro ni Kai: Matsuribayashi-hen Hitsugi no Chaika Ichigo 100% Ichinensei ni Nacchattara In Bura!: Bishoujo Kyuuketsuki no Hazukashii Himitsu Jigokuren: Love in the Hell Jinzou Shoujo JoJo no Kimyou na Bouken Part 4: Diamond wa Kudakenai JoJo no Kimyou na Bouken Part 5: Ougon no Kaze JoJo no Kimyou na Bouken Part 6: Stone Ocean JoJo no Kimyou na Bouken Part 7: Steel Ball Run Kaibutsu Oujo Lucky‚ėÜStar Mahou no Iroha! Mahou Tsukai Kurohime Monster Hunter Orage Mujaki no Rakuen Needless Zero Nyotai-ka Onihime VS Oretama Perowan!: Hayakushinasai! Goshujinsama‚ô™ Re:Marina Rosario to Vampire Saitama Chainsaw Shoujo Sankarea School Rumble Shingetsutan Tsukihime Shocking Pink! Shurabara! Sora no Otoshimono Sora no Otoshimono Pico Akame ga Kill! Ana Satsujin Asu no Yoichi! Azumanga Daioh Balance Policy Black Cat BlazBlue: Remix Heart Chichi ga Loli na Mono de Choujigen Game Neptune: The Animation - Dengeki Comic Anthology Come Come Vanilla! Dorohedoro Nekopara Pet Toaru Kagaku no Railgun Magia Record: Mahou Shoujo Madoka‚ėÜMagica Gaiden Rikei ga Koi ni Ochita no de Shoumei shitemita.Rikei ga Koi ni Ochita no de Shoumei shitemita. Isekai Quartet 2Isekai Quartet 2 Ishuzoku Reviewers Somali to Mori no Kamisama Eizouken ni wa Te wo Dasu na!Eizouken ni wa Te wo Dasu na! Itai no wa Iya nano de Bougyoryoku ni Kyokufuri Shitai to Omoimasu.Itai no wa Iya nano de Bougyoryoku ni Kyokufuri Shitai to Omoimasu. Jibaku Shounen Hanako-kun Haikyuu!!: To the TopHaikyuu!!: To the Top Darwin's GameDarwin's Game Kyokou SuiriKyokou Suiri Plunderer
PRE REQUISITO: GOSTAR DE FILMES DE FAROESTE.
IMPORTANTE: Se você gosta de filmes de super heroi, pare de ler e va se foder.
Se você é assim, fique longe de mim.
N√ÉO QUERO AS MULHERES QUE: As que falam palavr√Ķes As que fumam As que usam drogas As que postam foto com bebida Que bebem (menos ūüć∑, isso √© coisa de dama) As que v√£o para balada, festa, rave etc As que postam fotos com short curto, decote ou sensuais
Há uma coisa que eu quero que você entenda sobre nós os homens.
Quando voc√™ colocar uma foto sua nua no facebook, fazendo uma pose gostosa, mostrando os seios ou como vemos em v√°rias fotos mostrando o bumbum ou deitada sedutoramente em sua cama, a √ļnica coisa que voc√™ faz √© que as pessoas tenham desejo sexual por voc√™, claro em A maioria dos casos por parte de homens.
Eu sei que voc√™ vai ficar t√£o emocionada com os 500 likes, 120 coment√°rios e as in√ļmeras mensagens privadas! Voc√™ vai querer postar cada vez mais fotos para se sentir cada vez mais no topo.
Mas há algo importante que você precisa saber:
Na verdade nenhum desses caras que gostam, comentam ou enviam mensagens privadas te ama. Tudo o que eles querem é usá-la e depois atirá-la para o lixo, para ser honesto nenhum deles a levaria para sua casa para ser sua esposa, acredite em mim, você para eles não é mais que uma menina de programa em busca de popularidade barata No Facebook.
Os homens ricos os que tem o que você procura "dinheiro" ou os pobres admiram as mulheres que se vestem com decência e se respeitam. Uma vestimenta decente que não revela muito o seu corpo, leva-os a amar e a respeitar-te, isto a simples vista nos diz que és uma mulher virtuosa, alguém a quem se pode levar para casa para ser esposa e mãe.
Isto em muitos casos diz-lhes que você foi criada com princípios morais e lhes dá detalhes do seu bom histórico familiar.
Eles n√£o se preocupam muito com a maquiagem excessiva, uma mulher digna de propor casamento sempre se distingue do monte, n√£o importa como.
Valoriza seu corpo, lembre-se que para encontrar diamantes é preciso cavar, respeita, e um verdadeiro homem vai te respeitar de um modo ou de outro.
Mas você terá muito respeito: Mulher, não mostre seu corpo no facebook, você não sabe que tipo de pessoas, venha suas coisas, você é uma mulher bela, não precisa de fotos, nem mostrar tanto, você pode conquistar com sua simpatia, com seu educacióncon seu sonrrisa,
As que j√° ficaram com amigos seus, ou que ficam com mais de 3 em um √ļnico ano As que n√£o trabalham ou estudam (ou que est√£o em um curso irrelevante de humanas) As que n√£o sabem o b√°sico de uma casa, como lavar, passar roupa, cozinhar, trocar fralda, etc As interesseiras As que est√£o pedindo presentes sempre As que j√° est√£o comprometidas As n√£o gostam de crian√ßas ou dizem que n√£o querem ter filhos (pessoas que n√£o querem ter filhos n√£o s√£o confi√°veis) As que tem piercing de bufalo
submitted by NoiteAmorosa to DiretoDoZapZap [link] [comments]


2020.04.20 14:23 thayano Resposta ao texto Entendam A briga entre Bolsonaro e Mandetta de Stephen Kanitz:

Bolsonaro vs Mandetta
Texto original completo
Bom pessoal, tentei postar minha resposta nos coment√°rios da publica√ß√£o original mas por raz√Ķes desconhecidas aparentemente as pessoas n√£o estavam conseguindo visualizar, O intuito aqui √© rebater e comentar alguns pontos do texto que para mim s√£o completamente sem nexo, fique a vontade para discordar ;)
..."O Ex√©rcito Brasileiro se preocupou com sa√ļde desde o seu in√≠cio, preocupado que era com seus soldados...
...Por isso epidemias e vacinas foram sempre assuntos discutidos entre os nossos militares, mais do que nossos m√©dicos, haja visto‚Ä̂Ķ
√Č minimamente razo√°vel pensar que o EB se preocupa mais com vacinas do que a medicina??? S√©rio?
..."Os médicos do Exército são também os que mais entendem de malária, em São Paulo nenhum médico jamais viu essa doença."...
Isso n√£o √© fato √© opini√£o! 98% dos casos de mal√°ria s√£o diagnosticados na Amaz√īnia, ent√£o qualquer profissional da sa√ļde, n√£o apenas do ex√©rcito, mas qualquer um que atue nessa regi√£o logicamente tem mais experi√™ncia no assunto do que outro que trabalhe no sudeste por exemplo. Entretanto, o fato do EB se preocupar com vacinas n√£o classifica seus m√©dicos como os que "mais entendem de mal√°ria", at√© porque medicos do EB que nunca atuaram naquela regi√£o tamb√©m n√£o tem tanta experi√™ncia assim no assunto. Por fim, o maior Laborat√≥rio de Pesquisa em Mal√°ria no pa√≠s e o Centro de Pesquisa, Diagn√≥stico e Treinamento em Mal√°ria (CPDMAL), os dois do Instituto Oswaldo Cruz e n√£o do ex√©rcito, ficam no RIO (regi√£o sudeste).
..."Mesmo não sendo médico, Bolsonaro teve uma exposição à medicina bem diferente do Mandetta, um ortopedista que praticamente nunca exerceu."...
E que exposi√ß√£o a medicina Bolsonaro teve??? Da onde tirou isso? Aqui o autor tenta dar credibilidade a seu personagem principal fazendo parecer que ele est√° no mesmo n√≠vel intelectual de seu opositor, se faz uma introdu√ß√£o de como o EB se preocupa com a sa√ļde da popula√ß√£o e falando dos seus m√©dicos, os "que mais entendem de mal√°ria" no pa√≠s. Isso para que se possa fazer uma liga√ß√£o na narrativa e com isso dizeinterpretar que Bolsonaro por ser militar e por estar rodiado de militares tamb√©m entende um pouco do assunto. Tenta tamb√©m desmoralizar seu advers√°rio ao dizer que mal exerceu sua profiss√£o, o engra√ßado √© que Mandetta foi m√©dico militar, seguindo a logica do autor ele tamb√©m deveria estar entre os m√©dicos que mais entendem de mal√°ria.
..." Mandetta simplesmente descartou, ‚Äúbobagem‚ÄĚ, combateu a hip√≥tese a ser testada desde o seu in√≠cio."‚Ķ
Cloroquina √© um medicamento antigo, que inclusive j√° foi testado por√©m sem sucesso contra o sars-cov, √© um medicamento que pode trazer v√°rios problemas a pacientes cardiacos. Nesses dias se falava muito do "estudo" (entre aspas porque aparentemente o m√©dico nunca ouviu falar em m√©todo cient√≠fico) do m√©dico franc√™s falando sobre o seu sucesso do uso da cloroquina no tratamento contra a covid que repercutiu muito, obviamente com rejei√ß√£o da comunidade cient√≠fica n√£o foi usado de in√≠cio por ser algo muito razo. Come√ßaram a surgir mais pesquisa sobre isso por conta da urg√™ncia e aparentemente era a √ļnica solu√ß√£o levantada at√© o momento. Mandetta apenas segui a ci√™ncia.
..." Não sendo médico, Bolsonaro obviamente cedeu."...
Cedeu? N√£o comentou mais sobre o assunto em quase toda coletiva de imprensa???
..." Mas come√ßa a perceber que h√° dois tipos de medicina, a do conhecimento do seu ex√©rcito, e a do pol√≠tico na √°rea da sa√ļde, que come√ßa a ter sonhos mais altos."...
Dois tipos de medicina, a do conhecimento do seu ex√©rcito, e a do pol√≠tico na √°rea da sa√ļde (que tamb√©m fez parte do seu EB) que segundo Bolsonaro foi colocado por ele no cargo por ser algu√©m t√©cnico e competente, mas pera ae, a compet√™ncia √© valida somente quando se concorda com o presidente?????
..."Bolsonaro é duramente pressionado também pelo Guedes, que o alerta contra um confinamento exagerado, que poderia parar a economia, quebrar milhares de empresas, e empoçar de vez."...
Guedes deu declara√ß√Ķes sobre o problema que seria o confinamento a longo prazo disse tamb√©m semanas depois que pela gravidade da situa√ß√£o ficar em isolamento era a melhor op√ß√£o que tinhamos at√© o momento, enquanto Bolsonaro j√° pregava a volta a normalidade. Vale dizer que nas √ļltimas semanas Guedes e Moro apoiaram a perman√™ncia de Mandetta.
..."Entre salvar possivelmente 2.000 idosos em situa√ß√£o cr√≠tica, e salvar da fome 40 milh√Ķes de poss√≠veis desempregados, Bolsonaro n√£o tem mais d√ļvidas. √Č necess√°rio fazer ambos."...
Mas o que pregava levaria o primeiro grupo a ter um recorde de mortes.
..."Bolsonaro passa a ser o √ļnico a perceber que o problema n√£o √© salvar vidas do coronav√≠rus, mas sim salvar a vida econ√īmica especialmente dos 12 milh√Ķes de desempregados, por exemplo."...
"√önico a perceber" uhum! Aqui o autor tenta mais uma vez coloc√°-lo como um verdadeiro Salvador da P√°tria!!! Ok, mas eae? Cad√™ o plano apresentado pelo governo federal com metas e a√ß√Ķes que devemos (n√≥s, pessoas e governantes) tomar para a volta a normalidade????? Nada at√© agora!!!
..."O segundo atrito entre Bolsonaro e Mandetta aparece quando surgem as notícias do Prevent Senior, que anima os médicos do Exército e do próprio Bolsonaro.
Bolsonaro volta à carga, e recebe mais negativas.
‚ÄúS√£o picaretas‚ÄĚ, retruca Mandetta, ‚Äún√£o √© uma empresa s√©ria‚ÄĚ, ‚Äús√£o um bando de irrespons√°veis‚ÄĚ, que o Ministro repetiu deselegantemente numa coletiva."...
Já deram uma olhada no "estudo" e nos resultados apresentados pela PS??? Não tem validade científica, só política, nao seguiram quase nenhum método científico!
..."Mandetta sugeriu intervir na Prevent Senior e impedir o uso desse remédio não comprovado, mas que todo médico famoso infectado implorou tomar...
...Não somente se sentiu enganado pelo seu Ministro, em detrimento da nação, mas ficou furioso com o despreparo e motivação do seu assessor.
Tornaram a hidroxicloroquina uma batalha política, em vez de uma decisão do paciente à beira da morte e seu médico."...
Sim, e boa parte disso se iniciou com Bolsonaro, por incitar o uso de um medicamento para se tratar de uma doença sem nem ao menos saber se era minimamente eficiente ou nao, sem nem ao menos ter um estudo descente sobre isso!
..."Em vez de se unirem diante de uma crise, muitos líderes brasileiros estão querendo aproveitar a pandemia para tomar o poder em 2020..."
Bom pelo menos isso é verdade, devo concordar!
E aqueles que aguardaram ontem o dia todo pela resposta, o que eu n√£o duvido que isso tenha acontecido, ao inv√©s de esperar por que n√£o foram atr√°s de informa√ß√£o? Porque acreditar em tudo que se l√™ na internet? S√≥ por que se trata do pol√≠tico que eu gosto? A direita brasileira j√° foi melhor! Lembro muito bem antes das elei√ß√Ķes o movimento pr√≥ Bolsonaro era do tipo que gritava "n√£o temos pol√≠tico de estima√ß√£o", para mim isso √© v√°lido para todos os casos, n√£o s√≥ para a corrup√ß√£o. Bom, √© isto ent√£o! n√£o d√° para concordar e acreditar em tudo que est√° na internet e muito menos em toda imprensa, assim como voc√™s eu n√£o sei porque ainda perco meu tempo fazendo isso, talvez por querer um pa√≠s melhor! Para terminar vou deixar aqui uma frase que guardo comigo, dita por Olavo em um video que √© prop√≠cia para esse caso: "na esquerda 50% √© ignorante e 50% mal car√°ter, na direita √© parecido, mais 50% √© ignorante, 25% mal car√°ter e 25% pessoas bem intencionadas", cuidado com textos compartilhados que dizem a ‚Äúverdade‚ÄĚ ou que trazem ‚Äúinforma√ß√Ķes de bastidores‚ÄĚ sobre o pol√≠tico que eu gosto, eles podem ter sido criados pelos 50% ignorantes ou pior, feito pelos 25% mal intencionados, devemos ficar sempre alerta e questionar tudo! Sem exce√ß√£o!
Nota: Nota-se que no in√≠cio do texto o autor coloca que se trata de "informa√ß√Ķes de bastidores" j√° para que qualquer um que pe√ßa link e ou refer√™ncias quebre a cara
Texto publicado também no Medium
submitted by thayano to u/thayano [link] [comments]


2020.04.12 04:33 altovaliriano A Grande Conspiração Nortenha - Parte 7

Texto original: https://zincpiccalilli.tumblr.com/post/53134866390
Autores: V√°rios usu√°rios do Forum of Ice and Fire, mas compilado por Yaede.
√ćndices de partes traduzidas: Parte 1, Parte 2, Parte 3, Parte 4, Parte 5, Parte 6, Parte 7

---------------------------

Sinais e Portentos

Uma das habilidades mais impressionantes doeGRRM como escritor, em minha opni√£o, √© sua capacidade de ocultar pren√ļncios [foreshadows] em cenas aparentemente irrelevantes a serem revisitadas pelo leitor, que maravilhar√° com elas. Por exemplo:
Quando Podrick quis saber o nome da estalagem onde esperavam passar a noite, Septão Meribald apegou-se avidamente à pergunta [...].
‚Äď Alguns a chamam Velha Estalagem. Ali existe uma estalagem h√° muitas centenas de anos, embora esta s√≥ tenha sido constru√≠da durante o reinado do primeiro Jaehaerys [‚Ķ].
Mais tarde, passou para um cavaleiro aleijado chamado Jon Comprido Heddle, que se dedicou a trabalhar o ferro quando ficou idoso demais para combater. Ele forjou um novo sinal para o pátio, um dragão de três cabeças em ferro negro que pendurou em um poste de madeira. [...]
‚Äď O sinal do drag√£o ainda est√° l√°? ‚Äď Podrick qui saber tamb√©m.
‚Äď N√£o ‚Äď Sept√£o Meribald respondeu. ‚Äď Quando o filho do ferreiro era j√° um velho, um filho bastardo do quarto Aegon ergueu-se em rebeli√£o contra seu irm√£o leg√≠timo e escolheu como s√≠mbolo um drag√£o negro. Estas terras pertenciam ent√£o a Lorde Darry, e sua senhoria era ferozmente leal ao rei. Ver o drag√£o de ferro negro o deixou furioso, e por isso derrubou o poste, fez o sinal em peda√ßos e os atirou ao rio. Uma das cabe√ßas do drag√£o foi dar √† costa na Ilha Quieta muitos anos mais tarde, embora nessa √©poca estivesse vermelha de ferrugem. O estalajadeiro n√£o voltou a pendurar outro sinal, e os homens esqueceram-se do drag√£o.
(AFFC, Brienne VII)
Aqui est√° a ess√™ncia da teoria de que Aegriff √© um pretendente de Blackfyre explicada por meio de bras√Ķes. O drag√£o negro retornando a Westeros via mar disfar√ßado de vermelho. Existem in√ļmeros pequenas recompensa nos livros para os f√£s desenterrarem e, geralmente, quanto mais importante √© a hist√≥ria, mais difusas s√£o as dicas. R + L = J √© provavelmente o atual campe√£o disso, com alus√Ķes a ela freq√ľentemente despontando em di√°logos casuais sobre Jon ou envolvendo-o. Como por exemplo, esta conversa de quando ele soltar Val na Floresta Assombrada para encontrar Tormund:
[Jon:] Você voltará. Pelo menino, se não por outra razão. [...]
[Val:] Assegure-se de que esteja protegido e aquecido. Pelo bem da mãe dele, e pelo meu. E o mantenha longe da mulher vermelha. Ela sabe quem ele é. Ela vê coisas nas chamas.
Arya, ele pensou, esperando que fosse assim.
‚Äď Cinzas e brasas.
‚Äď Reis e drag√Ķes.
Drag√Ķes novamente. Por um momento, Jon quase os viu tamb√©m, serpenteando na noite, suas sombras escuras delineadas contra um mar de chamas.
(ADWD, Jon VIII)
Muito ir√īnico que, mais cedo, em seu pr√≥prio cap√≠tulo, Melisandre olhe para as chamas e veja Jon, como ela faz h√° algum tempo. Jon, que √© √© rei e drag√£o (se R+L=J for verdade).
Portanto, a questão agora é se o GRRM deixou pistas que levem à Grande Conspiração Nortenha.
Mais homens de neve haviam sido erguidos no p√°tio quando Theon Greyjoy voltou. Para comandar as sentinelas de neve nas muralhas, os escudeiros haviam erigido uma d√ļzia de senhores de neve. Um claramente pretendia ser Lorde Manderly; era o homem de neve mais gordo que Theon j√° vira. O senhor de um bra√ßo s√≥ podia ser Harwood Stout, a boneca de neve, Barbrey Dustin. E um que estava mais perto da porta com a barba feita de pingentes de gelo devia ser o velho Terror-das-Rameiras Umber.
(ADWD, O vira-casaca)
Que escolha interessante de bonecos de neve para citar e assim chamar √† aten√ß√£o. No mesmo cap√≠tulo, especula-se que Manderly, Terror-das-Rameiras, Stout e a Senhora Dustin formam uma esp√©cie de corrente humana para transmitir informa√ß√Ķes sobre os Starks (a sobreviv√™ncia de Bran e Rickon, com certeza) com o fim derradeiro de trazer a Senhora Dustin e os Ryswells para a secreta liga anti-Bolton.
Ainda mais intrigante √© o fato de que isso tamb√©m pode ser lido como um jogo de palavras que sugerem o apoio norte de Jon. Assim como Wylla Manderly proclama sua lealdade aos Starks durante a audi√™ncia de seu av√ī com Davos, dizendo que os Manderlys juravam ser sempre ‚Äúhomens Stark‚ÄĚ, se Lord Wyman e seus co-conspiradores decidissem apoiar o decreto de Robb de nomear Jon seu herdeiro, eles seriam "homens de neve" [Snow men].
Outro conjunto de pistas em potencial est√° na escolha de m√ļsicas de Manderly durante a festa do casamento (ADWD, O pr√≠ncipe de Winterfell). Por que Manderly quer que Abel contemple os Freys com uma m√ļsica sobre o Rato Cozinheiro j√° foi discutido, mas qual das outras duas m√ļsicas ele pede pelo nome? Os tristes contos de Danny Flint e "A Noite que Terminou".
Fortenoite surgia em algumas das hist√≥rias mais assustadoras da Velha Ama. Tinha sido ali que o Rei da Noite reinou, antes de seu nome ter sido varrido da mem√≥ria dos homens. Foi ali que o Cozinheiro Ratazana serviu ao rei √Ęndalo seu empad√£o de pr√≠ncipe e bacon, que as setenta e nove sentinelas mantiveram-se de vigia, que o bravo jovem Danny Flint foi violado e assassinado.
(ASOS, Bran IV)
---------------------------------------
[Jon:] Mance alguma vez cantou Bravo Danny Flint?
[Tormund:] N√£o que eu me lembre. Quem era ele?
‚Äď Uma garota que se vestiu de menino para tomar o negro. Sua can√ß√£o √© triste e bonita. O que aconteceu com ela n√£o foi. ‚Äď Em algumas vers√Ķes da can√ß√£o, seu fantasma ainda caminhava pelo Fortenoite.
(ADWD, Jon XII)
Já foi teorizado que o elemento chave da história de Danny Flint que Manderly tem em mente é a farsa por meio de uma identidade falsa. Jeyne Poole é outra garota que finge ser alguém que não é e, embora o faça sob coação, seu destino é tão terrível quanto o de Danny Flint.
Manderly pode ter desvendado a falsa Arya? Como? Na verdade, duas falsas Aryas s√£o analisadas e julgadas n√£o convincentes - primeiro Jeyne por Theon (ADWD, Fedor II), depois Alys Karstark por Jon (ADWD, Jon IX). Theon percebe imediatamente que os olhos de Jeyne s√£o castanhos, n√£o cinza. Jon tamb√©m verifica o cabelo e a cor dos olhos de Alys, que combinam com os de Arya, mas percebe que ela √© velha demais para ser sua irm√£ mais nova. O mesmo vale para Jeyne, que era a melhor amiga de Sansa e, portanto, provavelmente da mesma idade dela, alguns anos mais velha que Arya. A quest√£o √© que o estratagema dos Bolton n√£o √© perfeito, e uma pessoa familiarizada com Arya pode identificar as discrep√Ęncias. Existe algu√©m assim em Winterfell al√©m de Theon?
Os Cerwyns são bons candidatos, em minha opinião. Eles moram a apenas meio dia de viagem de Winterfell (ACOK, Bran II) e pode-se esperar que tenham visitado os Starks com frequência suficiente para observar Arya de perto. O próprio Mance Rayder é outro, tendo supostamente aparecido em Winterfell durante o festim real em A Guerra dos Tronos com o propósito declarado de espiar. Harwin, se ele é realmente o misterioso homem encapuzado que Theon encontra. Outros senhores do Norte talvez também suspeitem, pois se interessariam em Arya pelas perspectivas de seu casamento.
Por fim, ‚ÄúA Noite que Terminou‚ÄĚ √© aparentemente uma m√ļsica que comemora a √ļltima Longa Noite e a vit√≥ria da humanidade sobre os Outros.
Muito mais tarde, depois de todos os doces terem sido servidos e empurrados para baixo com gal√Ķes de vinho de ver√£o, a comida foi levada e as mesas encostadas √†s paredes para abrir espa√ßo para a dan√ßa. A m√ļsica tornou-se mais animada, os tambores juntaram-se a ela, e Hother Umber apresentou um enorme corno de guerra encurvado com faixas de prata. Quando o cantor chegou √† parte de A Noite que Terminou, em que a Patrulha da Noite avan√ßava ao encontro dos Outros na Batalha da Madrugada, deu um sopro t√£o forte que fez todos os c√£es latirem.
(ACOK, Bran III)
Em conjunto, a playlist de Manderly no casamento diz √†queles inteligentes o suficiente para ouvir que ele n√£o est√° se deixando enganar pelas mentiras dos Bolton, ele j√° derramou sangue Frey √†s escondidas e seu lado ser√° o vencedor no final. H√° outra singularidade em sua sele√ß√£o de m√ļsicas, no entanto. Uma que sugere novamente uma conex√£o com Jon. Todos as tr√™s can√ßoes s√£o sobre a Patrulha da Noite.
O Rato Cozinheiro era um irm√£o negro que se vingou, e Danny Flint queria ser um. " A Noite que Terminou " apresenta a Patrulha em glorioso triunfo sobre os Outros, salvando o reino no processo. Certamente, h√° outras m√ļsicas sobre garotas bonitas disfar√ßadas e mentirosas recebendo sua puni√ß√£o, ou sobre vit√≥rias Stark sobre os √Ęndalos, selvagens ou homens de ferro que Manderly poderia ter pedido. A menos que ele (ou GRRM!) esteja, de fato, inserindo outro ponto muito sutil com isso: que Jon Snow n√£o tenha sido esquecido pelos vassalos leais de seu falecido pai e irm√£o.
E h√° uma terceira refer√™ncia a Jon! Quais s√£o os nomes das duas garotas que t√£o comovente e retumbantemente falam do amor do Norte pelos Starks? Wylla Manderly e Lyanna Mormont. Pode ser simples coincid√™ncia que uma compartilhe um nome com a ama de leite de Jon (que Ned afirmou ser sua m√£e) e a outro tenha o nome da verdadeira m√£e biol√≥gica de Jon (assumindo R + L = J como verdadeiro). Uma vez que estamos falando das Cr√īnicas de Gelo e Fogo , no entanto, eu digo que provavelmente n√£o √© coincid√™ncia.
Um √ļltimo potencial pren√ļncio tem a ver com Stannis e sua campanha para ganhar o Norte.
Stannis estendeu uma m√£o, e seus dedos fecharam-se emvolta de uma das sanguessugas.
‚Äď Diga o nome ‚Äď ordenou Melisandre.
A sanguessuga retorcia-se na m√£o do rei, tentando se prender a umde seus dedos.
‚Äď O usurpador ‚Äď disse ele. ‚Äď Joffrey Baratheon. ‚Äď Quando atirou a sanguessuga no fogo, ela enrolou-se entre os carv√Ķes como uma folha de outono e incendiou-se.
Stannis agarrou a segunda.
‚Äď O usurpador ‚Äď declarou, dessa vez mais alto. ‚Äď Balon Greyjoy. ‚Äď Deu-lhe um piparote ligeiro para dentro do braseiro [‚Ķ]
A √ļltima sanguessuga estava na m√£o do rei. Estudou aquela por ummomento, enquanto se contorcia entre seus dedos.
‚Äď O usurpador ‚Äď disse por fim. ‚Äď Robb Stark. ‚Äď E atirou-a para as chamas.
(ASOS, Davos IV)
Joffrey, Balon e Robb morrem nas m√£os de homens, cujos planos est√£o em andamento muito antes de Stannis realizar qualquer ritual, n√£o porque sejam amaldi√ßoados magicamente ou porque R'hllor quer que seja assim. Para que serve Stannis queimando as sanguessugas? Em seu cap√≠tulo em A Dan√ßa dos Drag√Ķes, vimos Melisandre apostar pesado nas apar√™ncias como uma maneira de conservar sua influ√™ncia, mantendo os homens admirados por sua aura de misticismo. Uma demonstra√ß√£o de poder, a fim de recuperar a confian√ßa de Stannis, n√£o seria ruim ap√≥s a derrota desastrosa no √Ägua Negra e, por mais ris√≠veis que tenham sido suas interpreta√ß√Ķes sobre Azor Ahai, Melisandre consegue prever eventos de import√Ęncia pol√≠tica em suas chamas, √†s vezes com detalhes e precis√£o impressionantes.
[Jon:] Outros senhores se declararam por Bolton também?
A sacerdotisa vermelha deslizou para mais perto do rei.
‚Äď Vi uma cidade com muralhas de madeira, ruas de madeira, cheia de homens. Estandartes se agitavam sobre suas muralhas: um alce, um machado de batalha, tr√™s pinheiros, machados de cabos longos cruzados sob uma coroa, uma cabe√ßa de cavalo com olhos flamejantes.
‚Äď Hornwood, Cerwy n, Tallhart, Ryswell e Dustin ‚Äď informou Sor Clayton Suggs. ‚Äď Traidores, todos. C√£ezinhos de estima√ß√£o dos Lannister.
(ADWD, Jon IV)
Melisandre v√™ nas chamas que Joffrey, Balon e Robb n√£o demorar√£o muito no mundo dos vivos e orquestra uma pequena farsa para Stannis; portanto, quando a not√≠cia de suas mortes chegar at√© ele, sua cren√ßa nela e em suas habilidades ser√° refor√ßada. Como tudo isso √© relevante para a Grande Conspira√ß√£o Nortenha? Lorde Bolton √© chamado por alguns de Senhor Sanguessuga pelas sanguessugas que frequentemente usa para tratamentos de sa√ļde.
[Roose:] Tem medo de sanguessugas, filha?
[Arya:] São só sanguessugas. Senhor.
‚Äď Meu escudeiro poderia aprender alguma coisa com voc√™, ao que parece. Sangramentos frequentes s√£o o segredo de uma vida longa. Um homem tem de se purgar do sangue ruim.
(ACOK, Arya IX)
------------------------------
O quarto do senhor estava cheio de gente quando [Arya] entrou. Qyburn encontrava-se presente, bem como o severo Walton com seu camis√£o e grevas, al√©m de uma d√ļzia de Frey, todos eles irm√£os, meios-irm√£os e primos. Roose Bolton estava na cama, nu. Sanguessugas aderiam √† parte de dentro de seus bra√ßos e pernas e espalhavam-se por seu peito p√°lido, longas coisas transl√ļcidas que se tornavam de um cor-de-rosa cintilante quando se alimentavam. Bolton n√£o prestava mais aten√ß√£o nelas do que em Arya.
(ACOK, Arya X)
-----------------------------
‚Äď O que voc√™ quer agora? ‚Äď Gendry perguntou numa voz baixa e zangada.
[Arya:] Uma espada.
‚Äď O Polegar Preto mant√©m todas as l√Ęminas trancadas, j√° lhe disse mais de cem vezes. √Č para o Senhor Sanguessuga?
(ACOK, Arya X)
------------------------------
Os olhos de Harwin desceramdo rosto de Arya para o homem esfolado que trazia no gib√£o.
‚Äď Como √© que me conhece? ‚Äď disse, franzindo a testa, desconfiado. ‚Äď O homem esfolado... quem √© voc√™, algum criado do Lorde Sanguessuga?
(Arya II, ASOS)
Qyburn, Jaime e a Senhora Dustin tamb√©m observam a associa√ß√£o de Roose com sanguessugas (ASOS, Jaime IV / ADWD, O Pr√≠ncipe de Winterfell). Figurativamente falando, Stannis est√° novamente queimando sanguessugas para se exibir em sua guerra contra os Boltons, esperando convencer os nortenhos a apoiarem sua tentativa pelo Trono de Ferro. Mas, assim como o teatro de Melisandre n√£o resulta em nada al√©m de aprofundar a confian√ßa de Stannis nela, os experimentos de Stannis em A Dan√ßa dos Drag√Ķes podem ser in√ļteis caso outro Stark seja proclamado rei no norte. E h√° uma dica de que isso acontecer√°.
A voz de Melisandre era suave. ‚Äď Lamento, Vossa Gra√ßa. Isso n√£o √© um fim. Mais falsos reis ir√£o se erguer em breve para tomar a coroa daqueles que morreram.
‚Äď Mais? ‚Äď Stannis parecia comvontade de esgan√°-la. ‚Äď Mais usurpadores? Mais traidores?
‚Äď Vi nas chamas.
(ASOS, Davos V)
Em A Dan√ßa dos Drag√Ķes, mais reis falsos parecem ter substitu√≠do os que morreram, como profetiza Melisandre. Tommen assume a coroa de Joffrey e Euron a de Balon. E a coroa de Robb? Quem √© o novo rei do norte?
Roose pode ter algumas ambi√ß√Ķes por l√° (ADWD, O Pr√≠ncipe de Winterfell), mas ele ainda n√£o desafiou o Trono de Ferro ou os Lannisters, que o nomearam Protetor do Norte. De qualquer forma, √© improv√°vel que ele pudesse ganhar o apoio dos nortenhos, que prefeririam que um Stark os governasse. Pessoalmente, acho que a op√ß√£o mais dram√°tica para o pr√≥ximo usurpador e traidor √© Jon, que ganhou o respeito relutante de Stannis por um conselho honesto e pode continuar tendo discuss√Ķes tensas (leia-se: divertidas!) com ele, de uma maneira que Rickon, de cinco anos de idade, bem, realmente n√£o conseguiria.

Um tempo para lobos

Uma objeção comum à Grande Conspiração Nortenha é que, por mais persuasivo que seja, é otimista demais acreditar que GRRM permitirá que os Starks e seus aliados triunfem. Afinal, ele ganhou reputação por subverter clichês de fantasia de bem vs. Mal, e por matar ou mutilar personagens amados enquanto saboreia as lágrimas amargas de seus leitores.
GRRM √© realmente t√£o pouco convencional? A morte de Ned Stark em A Guerra dos Tronos √© frequentemente citada como o momento em que a ASOIAF rompe com as tradi√ß√Ķes de g√™nero, transcendendo a tend√™ncia juvenil da fantasia por finais de contos de fadas cortando a cabe√ßa do protagonista. No entanto , eu argumentaria que n√£o apenas os cr√≠ticos da fantasia s√£o os culpados por estereotipar e simplificar outros trabalhos como Senhor dos An√©is a ponto de n√£o fazer sentido, em uma demonstra√ß√£o de mem√≥ria seletiva. A pr√≥pria estrutura narrativa da ASOIAF disfar√ßa o fato de que Ned nunca foi o her√≥i da hist√≥ria de GRRM, para come√ßo de conversa.
Ned √© uma figura paterna, um mentor protetor e guia do tipo que quase sempre morre, √†s vezes antes de o primeiro ato de uma fantasia √©pica terminar (vide Obi-wan Kenobi). As crian√ßas Stark nunca se desenvolveriam de verdade por si mesmas, a menos que o ‚Äúporto seguro‚ÄĚ Ned fosse removido, assim como Harry Potter n√£o p√īde depender de Dumbledore em seu confronto final com Voldemort. Dadas as habilidades de vidente verde de Bran, Ned pode at√© aparecer do al√©m-t√ļmulo para transmitir sabedoria ou divulgar segredos como fizeram Obi-wan e Dumbledore. Tudo isso √© bastante convencional. GRRM √© simplesmente um mestre da desorienta√ß√£o, e sua manipula√ß√£o √© evidente em muitas das grandes reviravoltas de ASOIAF.
Robb? Nunca teve um ponto de vista. Contos da carochinha sobre reinos perdidos por coisas pequenas são tão comuns quanto as sagas de reis guerreiros heróicos vitoriosos em conquista. As lendas arturianas, por exemplo, contam sobre a fundação da utópica Camelot e a morte de Arthur nas mãos de seu filho bastardo com sua meia-irmã, e sua rainha fugindo com um de seus cavaleiros.
GRRM explora inteligentemente o desejo do leitor de ver Ned vingado. Os Starks se re√ļnem para distrair os leitores para o pren√ļncio da morte de Robb no sonho de Theon (com um banquete de mortos em Winterfell) e as vis√Ķes de Dany na Casa dos Imortais, ambos em A F√ļria dos Reis.
Portanto, se a previsibilidade no desdobramento de um enredo não serve como teste para teoria dos fãs, em quais critérios os leitores da ASOIAF podem confiar? Penso que a questão-chave que deve ser colocada em qualquer especulação é: "como isso faz a história avançar?"
A Guerra dos Cinco Reis est√° marcada pelas mortes de Ned e Robb, a primeira instigando o conflito e a segunda efetivamente encerrando-o ‚Äď ou pelo menos limpando a lousa para a pr√≥xima rodada. Por outro lado, em minha opini√£o, √© narrativamente fraca a ideia de que Jon Snow est√° permanentemente morto e que seu assassinato levar√° √† queda da Muralha, pensando-se que o atentado sozinho seja capaz de trazer caos a Castelo Negro, pois assim tamb√©m perderemos Jon como personagem pelo resto da s√©rie, tornando in√ļteis todas aquelas p√°ginas gastas em fazer dele indiv√≠duo e n√£o um simples instrumento do enredo.
Voltando finalmente à Grande Conspiração Nortenha, o que vejo como um dos principais problemas de GRRM em Os Ventos do Inverno é que, depois de cinco livros e quase duas décadas, os Outros ainda não causaram muito impacto. O apocalipse dos zumbis de gelo prometido no prólogo de A Guerra dos Tronos é bom acontecer em breve ou GRRM pode ser justamente acusado de deixar sua história inchar até ficar anticlimática.
Al√©m disso, quando os Outros invadirem inevitavelmente Westeros, eles devem faz√™-lo com poder devastador, a fim de estabelecer sua credibilidade como uma amea√ßa ao reino. No entanto, como pode o Norte, nas condi√ß√Ķes em que se encontra em A Dan√ßa dos Drag√Ķes ‚Äď j√° devastado pela guerra e pelo inverno, dividido pela pol√≠tica e pelos conflitos de sangue, al√©m de amplamente ignorante do perigo para-l√°-da-Muralha ‚Äď, suportaria realisticamente esse ataque? E as casas do norte, assim como os homens, devem sobreviver em n√ļmero significativo.
Caso contr√°rio, a tarefa de vencer a Batalha da Alvorada recair√° inteiramente sobre Dany, seus drag√Ķes, quaisquer for√ßas que a acompanhem de Essos e quaisquer senhores do sul que possam ser convencidos a prestar aten√ß√£o nela. Acho essa uma perspectiva bastante desagrad√°vel, sem mencionar tematicamente inconsistente com o t√≠tulo da s√©rie, em que apenas os seres inumano feitos de gelo desempenham pap√©is principais.
Se for verdade, a Grande Conspiração Nortenha tem o benefício de rapidamente unificar o Norte novamente sob o comando dos Starks, que provavelmente serão liderados por Jon como o mais velho e com mais experiência militar aparente. Isso não recupera magicamente as baixas sofridas pelo Norte durante a guerra, nem produz colheitas para alimentar seu povo faminto e com frio (a menos que Sansa conquiste o Vale), mas garante que as Casas do norte viverão para, em minha opinião, participar do objetivo final de ASOIAF.
As bases para um ressurgimento Stark foram lan√ßadas durante Festim e Dan√ßa. Os senhores do rio derrotados est√£o descontentes e os nortenhos mant√™m f√© nos Stark. Os Frey s√£o p√°rias para inimigos e aliados, enquanto os Lannisters est√£o em decl√≠nio ignominioso; O legado de Tywin compara-se pejorativamente ao de Ned, apesar da conveni√™ncia pol√≠tica do primeiro ser elogiada em detrimento do idealismo r√≠gido do √ļltimo. Parece que a honra muitas vezes ridicularizada de Ned alcan√ßou uma vit√≥ria p√≥stuma, o amor misturado com um respeito saud√°vel provando ser uma influ√™ncia muito mais duradoura sobre as pessoas do que um reino garantido pelo medo e pela for√ßa, que n√£o apenas morre com voc√™, mas tamb√©m transforma seus filhos em herdeiros inadequados .
Al√©m disso, a mera exist√™ncia de um compl√ī para coroar Jon n√£o significa que ele ser√° rei no norte. Por acaso, acho que o maior problema nos planos que especula-se que os nortenhos t√™m √© que, ap√≥s a devida considera√ß√£o, Jon recusar√° categoricamente a legitima√ß√£o e os t√≠tulos oferecidos. Considerando que ele seja filho de Lyanna e Rhaegar e que isso o p√Ķe como o herdeiro Targaryen do trono de ferro antes mesmo de Dany, seria bastante estranho Jon ser formalmente reconhecido como o rei Stark do norte separatista; Um imperativo dram√°tico exige que Jon seja livre para aceitar o governo de todos os Westeros, quer ele o fa√ßa ou n√£o. Jon ouvir a inten√ß√£o de Robb de reconhec√™-lo um verdadeiro filho de seu pai √© suficiente para completar o arco de personagens discutido na Parte 1, e os Starks sobreviventes se aliariam a Jon, independentemente de como ele fosse estilizado, por ainda serem um alcat√©ia.
N√£o h√° necessidade de provar o v√≠nculo de afeto de Jon e Arya. Ao resolver a disputa pelas terras de Hornwood, Bran prefere nomear herdeiro bastardo de Lorde Hornwood tendo Jon em mente (ACOK, Bran II). Enquanto isso, Sansa ficou completamente desiludida com o futuro como rainha e quer apenas ir para casa em Winterfell, a salvo de homens que desejam seu dote. √Č ir√īnico, ent√£o, que Jon √© um cavaleiro direto das can√ß√Ķes outrora queridas de Sansa, pois √© um pr√≠ncipe oculto, cavalheiresco e verdadeiro, seu papel confirmado pela execu√ß√£o que fez de Janos Slynt. N√£o importa as maldades infantis que Sansa fez a Jon para agradar sua m√£e e decorrentes de um senso de adequa√ß√£o, ela pensa com carinho nele agora e entende melhor como ser um bastardo o afeta.
Lorde Slynt, o da cara de sapo, sentava-se ao fundo da mesa do conselho, usando um gibão de veludo negro e uma reluzente capa de pano de ouro, acenando com aprovação cada vez que o rei pronunciava uma sentença. Sansa fitou duramente aquele rosto feio, lembrando-se de como o homem atirara o pai ao chão para que Sor Ilyn o decapitasse, desejando poder feri-lo, desejando que algum herói lhe atirasse ao chão e lhe cortasse a cabeça. Mas uma voz em seu interior sussurrou: Não há heróis.
(AGOT, Sansa VI)
-------------------------
[Sansa] havia s√©culos que n√£o pensava em Jon. Era apenas seu meio-irm√£o, mesmo assim... Com Robb, Bran e Rickon mortos, Jon Snow era o √ļnico irm√£o que lhe restava. Agora tamb√©m sou bastarda, como ele. Oh, seria t√£o bom voltar a v√™-lo. Mas estava claro que isso nunca poderia acontecer. Alayne Stone n√£o tinha irm√£os, ileg√≠timos ou n√£o.
(AFFC, Alayne II)
E Rickon?
A procissão passara a não mais de um pé do local que lhe fora atribuído no banco, e Jon lançara um intenso e demorado olhar para todos eles. O senhor seu pai viera à frente, acompanhando a rainha. [...]Em seguida, veio o próprio Rei Robert, trazendo a Senhora Stark pelo braço. [...] Depois vieram os filhos. Primeiro o pequeno Rickon, dominando a longa caminhada com toda a dignidade que um garotinho de três anos é capaz de reunir. Jon teve de incentivá-lo a seguir, quando Rickon parou ao seu lado.
(AGOT, Jon I)
-----------------------------
Bran bebeu da ta√ßa do pai outro gole do vinho com mel e especiarias, [...] e se lembrou da √ļltima vez que tinha visto o senhor seu pai beber daquela ta√ßa.
Havia sido na noite do banquete de boas-vindas, quando o Rei Robert trouxera a corte a Winterfell. Ent√£o, ainda reinava o ver√£o. Seus pais tinham dividido o estrado com Robert e sua rainha, com os irm√£os dela a seu lado. Tio Benjen tamb√©m estivera l√°, todo vestido de preto. Bran e os irm√£os e irm√£s tinham se sentado com os filhos do rei, Joffrey, Tommen e a Princesa Myrcella, que passou a refei√ß√£o inteira olhando Robb com olhos de adora√ß√£o. Arya fazia caretas do outro lado da mesa quando ningu√©m estava olhando; Sansa escutava, em √™xtase, as can√ß√Ķes de cavalaria que o grande harpista do rei cantava, e Rickon n√£o parava de perguntar por que motivo Jon n√£o estava com eles.
‚Äď Porque √© um bastardo ‚Äď Bran teve de segredar-lhe por fim.
(ACOK, Bran III)
Jon tem duas vantagens adicionais sobre qualquer pessoa de fora para conseguir que Rickon o obedeça: 1) Fantasma, que pode subjugar Cão Felpudo. 2) Sua semelhança com Ned, de quem Rickon provavelmente se lembra como seu pai de tempos mais felizes. Assim como a semelhança de Sansa com Catelyn leva Mindinho a uma falsa sensação de segurança, a aparência de Jon pode reforçar sua posição como uma figura de autoridade para Rickon.
Em resumo, sinto que h√° boas chances de que o primeiro ato do rei Bran ou Rickon, da rainha Sansa ou de Arya seja nomear Jon seu conselheiro, confi√°vel acima de todos os outros, e d√™ a ele o comando estrat√©gico de seus ex√©rcitos, ou se n√£o legitim√°-lo como um Stark conforme os √ļltimos desejos de Robb. E, francamente, a no√ß√£o de que Stannis, Mindinho ou Manderly possamem convencer os Starks a uma disputa de sucess√£o mesquinha quando Jon √© claramente o mais qualificado para liderar o Norte em uma segunda Longa Noite me parece implaus√≠vel, contradizendo a caracteriza√ß√£o estabelecida e a din√Ęmica familiar.
O que me leva √† outra obje√ß√£o comum a todas as varia√ß√Ķes de Jon como rei. Jon √© honrado demais para quebrar seus votos, certo? Tamb√©m usurpar os lugares de direito de seus irm√£os enquanto eles est√£o vivos!
Lembremos a li√ß√£o que Qhorin Meia-m√£o ensina a Jon: "Nossa honra n√£o significa mais que nossas vidas, desde que o reino esteja seguro". (ACOK, Jon VII) No final de Dan√ßa dos Drag√Ķes, Jon resolveu fazer o que considerava certo e condenar o que as pessoas dizem sobre ele.
‚Äď Tem minha palavra, Lorde Snow. Retornarei com Tormund ou sem ele. ‚Äď Val olhou o c√©u. A lua estava meio cheia. ‚Äď Procure por mim no primeiro dia da lua cheia.
‚Äď Procurarei. ‚Äď N√£o falhe comigo, pensou, ou Stannis ter√° minha cabe√ßa. ‚ÄúTenho sua palavra de que manter√° nossa princesa por perto?‚ÄĚ, o rei dissera, e Jon prometera que sim. Mas Val n√£o √© nenhuma princesa. Disse isso a ele meia centena de vezes. Era uma desculpa fraca, um triste farrapo enrolado em sua palavra quebrada. Seu pai nunca teria aprovado aquilo. Sou a espada que guarda os reinos dos homens, Jon recordou-se, no fim, isso deve valer mais do que a honra de um homem.
(Jon VIII, ADWD)
Apesar de sua apar√™ncia essencialmente Stark, Jon n√£o √© um clone de Ned, o qual, de todo modo, confessou uma trai√ß√£o que n√£o cometeu, a fim de poupar a vida de Sansa e quase completsmente s√≥ sustenta a maior mentira da s√©rie em nome de Jon (supondo que R+L=J), por muitos anos antes disso. O entendimento de Jon sobre obriga√ß√Ķes, juradas ou n√£o, sempre foi flex√≠vel, porque sua pr√≥pria exist√™ncia √© a prova de que o mais honroso dos homens pode falhar em seu dever. Se Ned, seu modelo de comportamento, n√£o pode cumprir seus votos de casamento, como Jon pode esperar ser melhor, j√° que √© um bastardo?
Depois de seu per√≠odo com Meia-m√£o e Ygritte, a tarefa s√≠sifa original de Jon, de alcan√ßar padr√Ķes de honra impossivelmente altos, transformou-se em uma dedica√ß√£o firme ao mais alto mandamento da Patrulha da Noite ‚Äď ou seja, defender o reino contra os Outros. Existem ineg√°veis complica√ß√Ķes emocionais por parte de Jon ao lidar com o Norte, j√° que ele n√£o pode reprimir totalmente suas preocupa√ß√Ķes com a fam√≠lia e o lar, mas assumir o comando de nortenhos que n√£o querem dobrar os joelhos para Stannis garantir√° que o Muralha receba refor√ßos e suprimentos necess√°rios. Jon consideraria sua honra pessoal mais importante do que isso? Eu duvido.
Isso tudo, √© claro, pressup√Ķe que a Patrulha da Noite continue a existir de alguma forma ap√≥s o fiasco do assassinato de Bowen Marsh, o que de maneira alguma √© certo que ocorrer√°.
Que a √ļltima cena de Jon em Dan√ßa dos Drag√Ķes faz paralelo com a morte de J√ļlio C√©sar √© uma ideia amplamente aceita. Agora, considere que os senadores que mataram C√©sar, em vez de salvar a rep√ļblica romana de um tirano, precipitaram sua queda, descobrindo, para seu choque, que o povo n√£o estava particularmente agradecido pelo assassinato de um l√≠der popular, embora cometido em seu nome.
Guerras civis se seguiram, um imp√©rio surgindo das ru√≠nas. Ainda n√£o se sabe se Jon √© Otaviano / Augusto nesta reconstitui√ß√£o na fantasia. Ele tem √† sua disposi√ß√£o um ex√©rcito pessoal ‚Äď depois de inconscientemente se tornar rei dos selvagens na aus√™ncia de Mance Rayder ‚Äďe um contrato com o Banco de Ferro (ao que tudo indica).
Concluindo, passo a proibir que discuss√Ķes posteriores a esta teoria de argumentem que uma conspira√ß√£o para coroar Jon Rei do Norte esteja fora do m√£o para os (hipot√©ticos) conspiradores e os pretendentes Stark para Winterfell ou para GRRM, devido a sua avers√£o cr√īnica a clich√™s. Ambas as afirma√ß√Ķes foram usadas para descartar a teoria sem abordar as evid√™ncias que sustentariam a falta de subst√Ęncia, especialmente tendo em vista a maleabilidade de personagens e tropes nas m√£os de um bom escritor (o que eu acredito que a maioria dos f√£s da ASOIAF confia que o GRRM seja). Todo mundo deseja a ele boa sorte com Os Ventos do Inverno!
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2020.03.09 02:32 altovaliriano Jon Snow (Parte 1)

Jon Snow (Parte 1)
Sabendo que eu n√£o conseguirei escrever o texto sobre Jon Snow para o "Domingo de Personagens" de hoje, resolvi compartilhar um texto que eu j√° havia escrito h√° algum tempo em meu blog.
Por outro lado, como eu estarei longe nos próximos dois domingos, muito provavelmente a Parte 2 sobre Jon Snow vai ficar para o dia 29/03.
--------------------------------------------------------

Paralelos e press√°gios: Aegon V e Jon Snow

Este artigo foi elaborado com base no excelente texto Hidden Dragons: Parallels between Aegon V and Jon Snow de autoria da usuária dornishdame, do fórum do site Westeros.org.
Tudo aqui pressup√Ķe que Jon Snow √© filho de Rhaegar e Lyanna.
(Legendas: GRRM = o autor, George R. R. Martin; DC = Depois da Conquista de Aegon)
Egg (Aegon V) e Jon Snow s√£o trisav√ī e trineto e nunca se conheceram, pois Egg morreu em Solarestival em 259 DC enquanto o pai de Jon (Rhaegar) nascia. Ocorre, por√©m, que suas hist√≥rias s√£o t√£o semelhantes que poderiam ser contadas em paralelo.
Dessa forma, analisarei a seguir essas semelhanças e demonstrarei que por meio delas somos capazes de confabular sobre o futuro dos contos de Dunk & Egg. E já que GRRM mencionou que ainda podem vir até mais nove histórias dessas, um pouco de reflexão premonitória pode vir a calhar.
1. Criação e juventude
Aegon era o quarto filho de Maekar I, que por sua vez tamb√©m era o quarto filho do Rei Daeron II, e passou sua inf√Ęncia em pal√°cios reais como um improv√°vel herdeiro ao trono, enquanto que Jon foi criado em Winterfell como filho bastardo de Eddard, fazendo parte de sua fam√≠lia apenas informalmente, sem nenhuma perspectiva de entrar legalmente para a linha heredit√°ria dos Stark.
Contudo, ainda que por raz√Ķes distintas, a ambos a oculta√ß√£o da identidade √© um tema comum ‚Äď com a pequena diferen√ßa de que Aegon V, ao contr√°rio de Jon, sabia quem era desde que nasceu e havia vivido de acordo com sua posi√ß√£o social a maior parte da vida (uma quest√£o que, no que se refere a Jon, ainda permanece em aberto).
Aegon se disfar√ßa de Egg, um simples escudeiro de um reles cavaleiro andante, para poder viajar inc√≥gnito por Westeros e poder amadurecer em contato com pessoas comuns que o tratam como se ele fosse apenas um deles. O amadurecimento de Jon tamb√©m acontece em raz√£o das pessoas n√£o o enxergarem como algu√©m de import√Ęncia, mas ele, ao contr√°rio de Aegon, √© absolutamente ignorante de suas origens. E a farsa de seu parentesco n√£o s√≥ o condiciona a encarar Eddard como seu modelo parental (ao inv√©s de Rhaegar), como tamb√©m afeta as expectativas que os outros t√™m dele, em raz√£o de ser um descendente de Ned.
De todo modo, tanto Egg quanto Jon cresceram sabendo que eram figuras pouco importantes nas cortes que habitavam, e talvez em raz√£o de disso sejam ambos marcadamente observadores. Deveras, logo em seu primeiro cap√≠tulo em ‚ÄúA Guerra dos Tronos‚ÄĚ, Jon demonstra habilidade para decodificar as cortesias vazias de Eddard e Cersei e vaticina ‚Äúum bastardo tinha de aprender a reparar nas coisas, a ler a verdade que as pessoas escondiam por tr√°s dos olhos‚Äú. Egg, por sua vez, rapidamente percebe que h√° algo errado no Torneio de Alvasparedes em ‚ÄúO Cavaleiro Misterioso‚ÄĚ e desvenda antes de Sor Duncan que o evento √© apenas um palco para uma rebeli√£o Blackfyre.
No entanto, essa natureza observadora com costume cede à miopia inerente à juventude. Por essa razão que há um paralelo entre a afirmação de Egg no sentido de que preferiria ser um cavaleiro da Guarda Real do que se casar com uma garota com a também irrefletida afirmação de Jon de que não se arrependeria de não ter tido uma mulher antes de entrar para a Patrulha da Noite.
Ainda assim, nenhum dos dois √© imune √†s pr√≥prias aspira√ß√Ķes e s√£o impulsionados pelo desejo de crescer em import√Ęncia, apesar de que n√£o sem uma boa dose de esnobismo. De fato, Egg repetidamente sugere a Dunk para usarem a ‚Äúbota‚ÄĚ (onde se esconde o anel com o bras√£o de seu pai) e deixarem que o nome de sua fam√≠lia facilite seu caminho, assim como Jon acha que os la√ßos familiares com Benjen ser√£o sua porta de entrada para as patrulhas de seu tio logo que chega a Castelo Negro.

Bras√£o de armas pessoal de Maekar. A \"bota\" de Egg.
O sentimento de superioridade e prerrogativa, decorrente da crença de que seu sangue deveria ser suficiente para conseguir o que querem, é um reflexo comum a Egg e Jon quando se trata do primeiro contato com pessoas que não desfrutaram das mesmas vantagens que eles.
De fato, a princ√≠pio Aegon fica horrorizado quando √© requisitado a servir os aprendizes em ‚ÄúA Espada Juramentada‚ÄĚ, e Jon inicialmente se acha melhor do que os recrutas com quem ele treina em ‚ÄúA Guerra dos Tronos‚ÄĚ. Por√©m, l√° estavam Sor Duncan, o Alto, e Donal Noye, respectivamente, para lhes relembrar das vantagens advindas da cria√ß√£o de um membro da nobreza. Felizmente, tanto Egg quanto Jon s√£o r√°pidos em absorver essa li√ß√£o: Aegon fala da troca de conhecimento com os plebeus, e Jon faz as pazes com seus novos irm√£os, oferecendo-se para ajud√°-los a treinar.
2. Em posição de comando
Meistre Aemon, o √ļnico Targaryen que conheceu bem os dois homem, sem mesmo saber que Jon era parente dele e de Aegon, os conectou por meio de um conselho: ‚Äúmate o menino e deixe o homem nascer‚ÄĚ. Aemon deu este conselho a ambos antes de deix√°-los (primeiro de Vilavelha para a Muralha, depois da Muralha para Vilavelha). e sabemos que ao menos Jon foi marcado por ele.
O modo como Aegon e Jon são alçados ao poder também os une. Aegon foi aclamado rei em um Grande Conselho e Jon foi eleito Lorde Comandante por seus irmãos juramentados. Eles foram escolhidos para a liderança, mesmo diante da existência de outros candidatos mais velhos. Isso não quer dizer que nenhum dos homens possuísse habilidades de liderança (claramente não possuíam), mas simplesmente que o papel que assumiram não era aquele que a princípio acreditavam que assumiriam.
Com efeito, enquanto que a possibilidade de Egg assumir o trono somente surgiu diante da recusa de seu irm√£o mais velho, Aemon, tudo que Jon tencionava em ‚ÄúA Guerra dos Tronos‚ÄĚ ao se juntar √† Patrulha da Noite era se tornar um patrulheiro. A ideia de chegar a Lorde Comandante nunca ocorreu a Jon at√© Sam sugerir que essa seria a raz√£o pela qual Jeor Mormont o escolheu para ser seu intendente.
Como governantes, nenhum dos dois favoreceu a hipocrisia, pois ambos sabiam que n√£o deveriam esperar daqueles por quem eram respons√°veis algo que nem mesmo eles conseguiram fazer. Assim, por ter se casado por amor, Aegon permitiu que seus filhos seguissem seus cora√ß√Ķes e rompessem os compromissos que ele havia arranjado, sem reneg√°-los por isso (salvo a remo√ß√£o do Pr√≠ncipe das Lib√©lulas da ordem de sucess√£o).
Por outro lado, por n√£o ter mantido seu voto de celibato, Jon reconhece em ‚ÄúA Dan√ßa dos Drag√Ķes‚ÄĚ que n√£o poder√° exigir o mesmo de seus irm√£os juramentados e entrev√™ o perigo que a Torre de Hardin (onde as esposas de lan√ßa selvagens est√£o estabelecidas) representa em Castelo Negro.
Assim, ambos podem ser considerados líderes conscientes das fraquezas humanas, próprias e alheias, especialmente no que diz respeito à família, haja vista que Jon comete atos impensados na tentativa de resgatar a garota que ele acredita ser Arya, e que Aegon, apesar de ter punido um dos filhos, não tentou desfazer seu relacionamento ou o exilou da Corte.
O reinado político de Aegon foi caracterizado por reformas que favoreciam os comuns ao invés dos grandes senhores de Westeros, razão pela qual esses atos foram objeto de controvérsia e resultaram na perda de apoio do Rei, o que, no fim, lhe impediu de implementar as verdadeiras mudanças que tanto desejava.
Da mesma forma, o mandato de Jon Snow como Lorde Comandante da Patrulha da Noite est√° repleto de conflitos conforme ele tenta instituir pol√≠ticas controversas que acabam dividindo a organiza√ß√£o que ele lidera. Suas decis√Ķes de permitir que os selvagens passem pela Muralha e de nomear Couros para Mestre de Armas s√£o recebidas com horror por parte da classe de oficiais.
Um paralelo tamb√©m pode ser feito aqui. Jon e Aegon foram educados em ambientes de contraposi√ß√£o aos interesses dos Selvagens e Plebeus, respectivamente. E, no entanto, o tempo em que Aegon passou como escudeiro para um Cavaleiro Andante e o tempo de Jon como agente disfar√ßado nas terras al√©m da Muralha, serviram para que ambos respeitassem e valorizassem esses grupos e passassem a v√™-los como pessoas que merecem prote√ß√£o. E esse respeito √© escarnecidos e usado contra eles, pois, mais de uma vez, Aegon √© dito ‚Äúmeio campon√™s‚ÄĚ e Jon ‚Äúmeio selvagem‚ÄĚ.
Mesmo em situa√ß√Ķes de maior apelo humanit√°rio, em que suas a√ß√Ķes s√£o baseadas na l√≥gica fria, a cr√≠tica n√£o cessa. Aegon √© criticado quando, durante um longo e duro inverno, envia suprimentos vitais para o norte a fim de ajudar os plebeus daquela regi√£o a sobreviver. Jon tem que lidar com o ressentimento dos irm√£os da Patrulha da Noite por cada peda√ßo de comida que ele manda entregar aos selvagens, especialmente por parte de Bowen Marsh.
Porém, essas experiências de inserção na realidade do outro são tão transformadoras para Egg e Jon que fazem florescer neles a tendência de avaliar as pessoas por seus méritos e não por nascimento. De fato, isso leva Aegon a ascender um simples cavaleiro andante a Lorde Comandante da Guarda Real (Sor Duncan, o Alto) e Jon escolhe assistentes com base em sua habilidade e potencial, e não em seu nascimento (Gigante e Cetim).
E essa deferência coloca Aegon e Jon sob o fogo de seus adversários políticos, ainda mais quando ambos os homens demonstram tanto inabilidade para lidar com eles quanto tendência a deixar velhas queixas se acumularem às novas. Por exemplo, Jon não levou Chett em conta quando designou Sam para a posição de intendente do Meistre Aemon; bem como ignorou a erosão da boa vontade de seus homens conforme dirigia políticas em benefício dos Selvagens. Os senhores de Westeros tentaram convencer Aemon a renunciar seus votos como meistre para não permitir que Aegon assumisse como Rei, mas Aegon não fez nada para aplacar tais homens quando subiu ao trono.
3. Press√°gios
Existem, portanto, paralelos claros entre Aegon V Targaryen e Jon Snow em termos de tema, personalidade e caráter, apesar de que não sabemos que papel essas semelhanças irão desempenhar na trama. Dornishdame pondera que eles poderiam ser apenas mais uma indicação da herança paterna de Jon, ou chegar ao ponto de prenunciar seu reinado como um rei muito improvável.
Contudo, enquanto que todos os paralelos analisados versam sobre fatos que acompanhamos em primeira mão nos capítulos de Jon, os eventos ocorridos com Egg são, em sua maioria, retirados de relatos históricos, e não provenientes dos contos de Dunk e Egg.
Com isso quero afirmar que os paralelos analisados provavelmente pouco nos ajudar√£o a entender o futuro da hist√≥ria de Jon em ‚ÄúOs Ventos do Inverno‚ÄĚ ou ‚ÄúUm Sonho de Primavera‚ÄĚ. Por√©m, talvez sejam bastante √ļteis para entender o que aconteceu durante o reinado de Aegon V e, especialmente, o que levou √† trag√©dia em Solarestival.
Com efeito, s√£o os problemas causados por suas reformas e pelos noivados rompidos que levam Aegon a ponderar que as coisas seriam diferentes se tivesse Drag√Ķes. Essas reflex√Ķes acabariam contribuindo para a trag√©dia de Solarestival, na qual Aegon tentava fazer eclodir drag√Ķes dos ovos de pedra que a fam√≠lia Targaryen ainda possu√≠a.
Jon Snow foi morto por quebrar novamente seus votos, estar se isolando em Castelo Negro e por se envolver no sequestro da nora do novo Protetor do Norte (o qual é uma importante fonte de apoio para a Patrulha da Noite). Jon, portanto, esvaziou-se de aliados ao sul da Muralha e deu azo ao surgimento de um motim.
Este comportamento espelha tanto aquele adotado por Aegon V em decorr√™ncia de suas reformas e das decis√Ķes conjugais de seus filhos que parece haver aqui outro paralelo: de que a trag√©dia de Solarestival n√£o foi um acidente, mas fruto de uma conspira√ß√£o.
Os príncipes e princesas reais estavam prometidos a Tully (Celia), Baratheon (desconhecida), Tyrrel (Luthor) e Redwyne (Olenna) e ainda que os Baratheons tenham ficado com Rhaelle, isso só ocorreu depois de uma curta rebelião da Casa, que terminou com a morte de Lorde Lyonel (autoproclamado Rei da Tempestade durante a Rebelião) pelas mãos de Sor Duncan, em um julgamento por combate.
Dessa forma, podemos imaginar que todos esses eventos devem ter lançado as sementes para que fosse criada uma aliança informal entre diversas das maiores Casas de Westeros, que culminou no plano para se livrar de Aegon e seus parentes com apenas um golpe.
Mas para saber mais sobre isso teremos que, como GRRM gosta de dizer, ‚Äúcontinuar lendo‚ÄĚ (keep reading, em ingl√™s).
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2020.03.07 15:48 MoreOne Explica√ß√Ķes da Bolsa de Valores, ou: Como n√£o parecer idiota falando dela

T√ī pedindo pra parecer idiota com esse t√≠tulo, ainda mais considerando que n√£o sou especialista. Mas est√£o feias algumas postagens no sub, n√£o sei se por ironia ou desconhecimento, ent√£o achei necess√°rio um post. Se tem algum erro no texto, por favor, me corrijam.
Como que Bolsa afeta empresas? Bem, com ela em baixa, elimina-se uma forma de captar dinheiro pra investir, com novas aberturas de capital e emiss√Ķes de novas a√ß√Ķes. Bolsa baixa tamb√©m faz as empresas come√ßarem a recomprar as pr√≥prias a√ß√Ķes, porque se elas confiam no pr√≥prio neg√≥cio (O que √© esperado), elas podem voltar a controlar uma parte maior do seu capital. Ou seja: ao inv√©s de investir em produ√ß√£o, investem em controle da empresa. Os s√≥cios majorit√°rios tamb√©m n√£o gostam de ter seu capital dilu√≠do, mas normalmente a cota√ß√£o n√£o √© t√£o relevante assim. Em resumo: a cota√ß√£o √© afetada pela empresa, n√£o o contr√°rio.
Por que tem tanto estrangeiro saindo do Brasil? Primeiro, temos que entender: Bovespa √© uma das mais potencialmente lucrativas do mundo, com a instabilidade que ela gera. Pegando um exemplo de queda, da Petrobras contra a British Petroleum, que n√£o s√£o exatamente equivalentes mas est√£o no mesmo setor. Com a falta de acordo com a R√ļssia, o barril do petr√≥leo caiu ~9%, imediatamente. A Petrobras caiu 10%, a BP caiu 5%. Tem muito capital especulativo por aqui, not√≠cias pequenas geram grandes varia√ß√Ķes, not√≠cias grandes geram desesperos e euforias, e por a√≠ vai. J√° ganhei muito com an√°lises de corretoras grandes colocando o pre√ßo justo de empresas muito acima da realidade, que gera uma euforia imediata e, em uma semana, cai de volta ao patamar anterior (Ou at√© abaixo). Com o come√ßo do governo, apenas por ser come√ßo do governo, o ibov subiu de 85 mil pra 97 mil. Essas varia√ß√Ķes n√£o acontecem dessa maneira em bolsas mais consolidadas, e geram oportunidades grandes pra quem trabalha com a√ß√Ķes.
Mas temos uma possível epidemia mundial, que vai reduzir produção de muitas empresas, e todo mundo trabalha na bolsa, hoje, com potencial de crescimento em cima dos lucros gerados. Pegando um exemplo extremo, WEG é negociada por 10,6 vezes o seu valor de empresa, porque levam em conta a reaplicação dos lucros e o crescimento contínuo. Quando uma empresa tem esse padrão e de repente não consegue crescer mais (Tipo Droga Raia), a cotação costuma dar uma abaixada violenta, porque muda o cenário. E no cenário "Ebola mundial" que estão divulgando, o desespero está alto, tem muita gente tirando dinheiro que está "arriscado" e deixando disponível pra quem é dono. Muita gente está comprando papéis de dívida americana, que está com uma taxa de retorno cada vez menor, ou seja: aversão completa a risco.
Combina isso com uma suspeita de que est√°vamos numa pr√©-crise mundial, que basta um baque econ√īmico pra entrar numa espiral de longo prazo, e tem gente arrancando os cabelos no mundo todo. Sem fundamento com a realidade, porque que nem em 2008, o dinheiro nunca nem existiu de fato.
J√° um par√™nteses aqui, a cota√ß√£o do D√≥lar √© diretamente afetado pelo dinheiro estrangeiro saindo do pa√≠s. As reservas de dinheiro √† vista n√£o s√£o t√£o relevantes pra cota√ß√£o. Cota√ß√£o √© afetada principalmente pela for√ßa real da moeda, que no caso do Real, nunca foi grande coisa. O √ļnico motivo pro d√≥lar ter ficado t√£o baixo entre 2008 e 2012 √© a desconfian√ßa com a economia americana, que fez investidores buscarem colocar seu dinheiro em outros lugares, e a aparente prosperidade brasileira na mesma √©poca. Apenas pra entender: infla√ß√£o americana entre 1995 e 2020 foi de ~70%, enquanto seu PIB (Em d√≥lares) cresceu 150%. A infla√ß√£o brasileira no mesmo per√≠odo acumula 605% pra um crescimento de PIB de 68,7%. O assunto √Č MUITO MAIS COMPLEXO DO QUE ISSO, mas d√° um indicativo de que uma pessoa com um certo valor em real tem muito menos disponibilidade de compra do que uma pessoa com um valor equivalente em d√≥lares.
E o governo brasileiro, nisso tudo? Bom, a situa√ß√£o global est√° bem inst√°vel. Independente do governo, essas varia√ß√Ķes iriam ocorrer. Caso deteriore pra afetar a vida de pessoas comuns, um outro governo optaria por intervir aquecendo a economia (Cen√°rio de 2008, mas sem d√≥lar despencando porque a falta de confian√ßa √© global, n√£o na economia americana). O governo atual √© orientado por quem quer menor n√≠vel de intera√ß√£o entre governo e economia, ent√£o a popula√ß√£o vai ter que absorver por conta. Se √© bom ou ruim, n√£o vou nem entrar no m√©rito. Mas √© ilus√£o imaginar que os resultados n√£o estariam muito diferentes com um governo diferente.
Se tem uma coisa que √© interessante, ent√£o, √© a maneira como todos acreditaram nas promessas econ√īmicas pr√©-elei√ß√£o. Infelizmente, muitos acreditam, porque n√£o entendem que nenhuma mudan√ßa econ√īmica ocorre do dia pra noite. Mesmo quando o governo interv√©m diretamente, os resultados aparecem um, dois anos depois. A bolsa de valores, em seu cerne para aplica√ß√Ķes de fundos de investimento, opera com previs√£o de resultados pra 10 anos ou mais. O governo do Trump, por exemplo, pegou a boa onda do governo Obama, que resolveu a merda que ocorreu durante o governo Bush, que pegou uma era de otimismo dos anos 90. No governo brasileiro, tivemos uma continua√ß√£o das pol√≠ticas do FHC no governo Lula, uma quebra de expectativas em 2013 quando a economia americana come√ßou a retomar, outra quebra quando as commodities baixaram de pre√ßo, mais uma quando a Petrobras fez controle de pre√ßos por imposi√ß√£o governamental e criou uma d√≠vida imensa... Tudo isso com um crescimento de PIB (Que significa um crescimento de arrecada√ß√£o) que n√£o atendeu √†s expectativas do que foi investido. Culminou no impeachment, que gerou ainda mais instabilidade, um governo Temer que apenas segurou, e uma euforia popular com um governo Bolsonaro que nunca ia atender √†s expectativas e que fez reformas m√≠nimas pro governo n√£o quebrar de vez, porque a economia brasileira ainda est√° no mesmo regime de sempre e n√£o deve apresentar crescimento t√£o cedo.
TL;DR: Por favor, se informem melhor acerca de economia. Falar que bolsa caindo e dólar subindo é coisa de governo, é muito desinformação. E todo governo vai fazer cortina de fumaça no assunto, assumindo responsabilidade sobre ganhos e jogando pros outros as perdas, mesmo governos sendo uma parcela reduzida da economia global.
submitted by MoreOne to brasil [link] [comments]


2020.03.07 15:05 ChesshireShai Guia do Subreddit

GUIA DO SUBREDDIT

PARA O QUE ELE SERVE?
Sabe aquele meme criado entre a sua rodinha de amigos? Bem, este subreddit foi feito para ele! Aqui você posta os seus memes internos, as suas histórias internas engraçadas e muito mais.

GUIA DE FLAIRS

AVISOS:
INTERNO:
EXTERNO:
NÃO-ORIGINAIS:
ARTE:

DICAS

CONTEXTO - DEVO DIZER O CONTEXTO NOS MEMES?
Isso depende, h√° situa√ß√Ķes em que o meme fica mais engra√ßado sem o contexto, e a outras situa√ß√Ķes em que o meme n√£o √© entend√≠vel sem o contexto, voc√™ deve prestar aten√ß√£o nisso e ver se o contexto melhora o meme ou o piora para assim decidir se voc√™ vai dar contexto ou n√£o vai dar o contexto. Por exemplo, as pessoas podem entender melhor a hist√≥ria engra√ßa que aconteceu envolvendo voc√™ e a sua gata se voc√™ explicar que "Luana" √© o nome da sua gata.
Nota: Isso vale para a categoria Internos, Externos e N√£o-Originais
COMO VOU CONTAR MEU MEME INTERNO? V√ćDEO, IMAGEM OU TEXTO?
Você que escolhe o formato que mais se adequar ao que quiser mostrar, por exemplo, se o meme interno for uma história um pouco longa que aconteceu com você, você provavelmente não conseguirá contar ela usando uma imagem.
outro exemplo, se: Um dos seus amigos pegou a sua mochila na escola e começou a bate-la na mesa e você disse "PARA! Tem coisa aí! vai quebrar!" pode ter sido engraçado na hora mas não muito engraçado contando então envés de você fazer um post explicando essa história, você pode ir em algum post (por exemplo, com alguém usando algo pra bater em algo) e comentar essa frase sem nenhum contexto. Usando bem até um comentário pequeno pode ser uma forma mais engraçado de mostrar um meme interno
Nota: Sim, tem um motivo pra isso ser t√£o especifico :)

Bem vindos ao MemesInternosVazados e podem usar esse post para qualquer pregunta.
submitted by ChesshireShai to MemesInternosVazados [link] [comments]


2020.02.07 22:01 richardtrle Apesar da sua curta duração as sequelas que este governo causará serão mais graves que as dos governos antecedentes

Bolsonaro em sua curto mandato est√° conseguindo fazer estragos nas mais diversas √°reas, que v√£o desde educa√ß√£o, sa√ļde, meio ambiente. O estrago √© t√£o grande, que eu nem sei descrever ou mensurar. O pior de tudo √© que essas pol√≠ticas ir√£o afetar diversas √°reas a longo prazo, enfim vamos ao assunto.
No que tange ao meio ambiente, o afrouxamento das leis de prote√ß√£o e fiscaliza√ß√£o ambiental, lei de preserva√ß√£o da Amaz√īnia, al√©m das leis de regula√ß√£o de extra√ß√£o de min√©rios e compostos qu√≠micos, conseguiu incentivar o garimpo ilegal, agravou o desflorestamento e as queimadas, permitiu pesca nas zonas de preserva√ß√£o da vida mar√≠tima, dentre outros. Uma cultura extrativista como essa n√£o tem a tend√™ncia a melhorar, muito contr√°rio, nos pr√≥ximos 10 anos ainda vamos ter mais problemas, eu s√≥ vejo a qualidade de vida diminuindo, o aumento de doen√ßas e defeitos cong√™nitos aumentando.
Na agricultura/agropecuária/agronegocio existem três problemas, a grilagem e o desmatamento que são relacionados ao problema anterior, sem fiscalização donos de fazendas ou pessoas que querem investir no negócio vão querer expansão extensiva. O terceiro problema é relacionado aos agrotóxicos, foi liberado uma quantidade absurda de agrotóxicos que nem sequer foram testados, e grande parte deles foram proibidos em outros países, vários estudos já linkam a morte das abelhas com o uso demasiado dos agrotóxicos.
Na ci√™ncias de dados e de informa√ß√£o, atualmente o governo criou um buraco negro nos mais variados setores em rela√ß√£o a gest√£o de dados e de informa√ß√£o, isso gerou um grande problema por exemplo agora tanto no resultado do ENEM quanto no SISU, mas n√£o para por ai. Os dados relacionados a seguridade social, previd√™ncia, SUS, processos jur√≠dicos/judiciais, econ√īmicos, est√£o sem quaisquer tratamento, por que o governo demitiu ou cancelou diversas concess√Ķes dos governos anteriores, v√°rias pastas tiveram seus processos ou parcialmente ou totalmente parados. E quando algu√©m fala isso pra Bolsonaro, ele diz que n√£o √© problema dele e prefere nem ver, como foi o caso do ENEM. Cruzamento, gerenciamento e tratamento de dados, poder√° gerar uma crise nos pr√≥ximos anos, caso os dados sejam perdidos ou haja m√° gest√£o. Existe uma estimativa que haver√° uma crise no INSS por conta da falta da m√° ger√™ncia dos dados dos contribuintes.
Isso nos leva ao problema da tecnologia e da comunidade cient√≠fica, o governo tamb√©m est√° incitando uma onda de ignor√Ęncia e de acultura√ß√£o, se voc√™ acha que Roberto Alvim foi o cumulo, voc√™ est√° completamente enganado, h√° uma onda crescente no governo de press√£o feita por parte do clero crist√£o/conservador para que sejam descontinuadas series de pesquisas cient√≠ficas que v√£o de encontra a real vontade do senhor ou da na√ß√£o. Isso faz com que tanto a comunidade cient√≠fica se afaste da popula√ß√£o, quanto ao incentivo ao vandalismo contra ci√™ncia, atos como ataques de coquetel molotov n√£o se restringir√£o apenas a porta dos fundos, e sim ser√£o atacados grandes centros de pesquisa, ou poder√° haver destrui√ß√£o por sabotagem, como cortes de luz ou quebrar equipamentos. A luz da ci√™ncia vem sido contestada dia ap√≥s dia, com ministros antivaxx, terraplanistas e que acreditam em conspira√ß√Ķes mundiais.
Tem tamb√©m o problema cultural, existe um movimento de retrocesso crescendo, j√° est√° havendo censura por parte da policia, do estado, obras liter√°rias, espet√°culos, filmes est√£o sendo recha√ßados ou est√£o sendo proibidos. A degrada√ß√£o da diversidade cultural est√° gerando menos intelecto e mais conservadorismo, est√° se tornando comum voc√™ ver algu√©m defender algo que considere absurdo, por que tanto a classe evangelica/crist√£ quanto os politicos est√£o incentivando isto, a intoler√Ęncia cultural ao rock por exemplo, onde o presidente da funarte fez uma s√©rie de analogias que muita gente concordou, isso far√° com que menos estilos, bandas, livros, pe√ßas, programas sejam criados, e sua diversidade tamb√©m ser√° pouca.
Sobre as minorias, racismo, sempre aconteceu, sempre esteve ai, s√≥ n√£o tinha evid√™ncia, por√©m tanto racismo √©tnico e contra LGBTs est√° crescendo, a segrega√ß√£o est√° aumentando, meus amigos negros n√£o gostam ou preferem n√£o sair comigo, citando palmitagem, o que √© ridiculo, isso tem um reflexo tanto do governo anterior, como est√° sendo intensificado pelo governo atual. Fora o aumento de viol√™ncia contra minorias. H√° uma onda de intoler√Ęncia religiosa, isso foi promovido pelo governo atual, santuarios religiosos de umbanda, candombl√™, quimbanda, at√© mesmo cat√≥licos est√£o sendo destruidos ou vandalizados. Toda essa onda de intoler√Ęncia e √≥dio so tende a aumentar, n√£o h√° um dia que eu n√£o entre na p√°gina da Marina Silva e n√£o encontre mensagens de √≥dio contra ela.
Eu n√£o quero densificar mais esse texto, afinal existem varias outras √°reas que est√£o sofrendo econ√īmica, da moeda, das rela√ß√Ķes internacionais ou fronteiri√ßas, seguran√ßa e pol√≠ticas publicas. Portanto por √ļltimo, mas n√£o o √ļltimo real, vem a sa√ļde, o governo atual est√° fazendo uma p√©ssima gest√£o dos servi√ßos publicas para que medidas de privatiza√ß√£o sejam adotadas, fora a ignor√Ęncia em si que est√° sendo pregada pelo governo com v√°rios t√≥picos, como dengues, aids, gravidez precoce, sarampo, rub√©ola, existe uma onda vinda do governo sobre anti-vaxx muito forte. A pr√≥pria ministra Damares promove um programa de abstin√™ncia sexual, s√≥ que isso √© muito pior do que educa√ß√£o sexual. O que far√° que tenhamos uma nova leva de pessoas que sejam iguais as de agora, criadas sob a luz da ignor√Ęncia.
submitted by richardtrle to brasil [link] [comments]


2020.01.10 08:23 Hugoebesta A Natureza do Errado, por Lennado

A Natureza do Errado


Em tempos complexos como os nossos, cabem constantemente constata√ß√Ķes sobre nossas atitudes. Como saber qual o melhor curso de a√ß√£o pra qualquer decis√£o que tomamos? O que √© algo Certo? O que √© algo Errado? A seguir estar√£o algumas edifica√ß√Ķes do fil√≥sofo urbano conhecido como Lennado. Tal como S√≥crates, Lennado transmite suas ideias atrav√©s de ret√≥rica, preferendo estabelecer discuss√Ķes com quem as quer ouvir a registrar suas ideias em texto. Sou um dos seus alunos, e c√° venho relatar seus pensamentos.

A história começou, como tantas de hoje em dia, com um debate sobre um videogame. A questão era decidir qual de dois designs era melhor. Lennado afirmou que um dos designs era melhor, e outro membro afirmou que a opinião dele estava errada. Lennado rapidamente expressou sua confusão e respondeu, parafraseado:
N√£o tem como eu estar errado por preferir algo.
Outro membro apresentou um contra-argumento. Se Lennado estiver certo, não implicaria que não é errado, por exemplo, preferir sexualmente crianças a adultos?
Desde que ele não tenha relação sexual com criança, sim. Não estou falando de um pedófilo, estou falando de uma pessoa normal. Se ela prefere sexo com criança, mas não faz sexo com criança, não tem problema.
Lennado apresentou uma nova definição do conceito de pedofilia, mostrando um ecleticismo filosófico admirável. Para ele, um indivíduo adulto que sente atração sexual exclusiva por crianças mas não age sobre elas não é pedófilo. Também afirmou que, embora seja legalmente errado, é natural que adultos sintam atração sexual por adolescentes menores de idade. Ele não apresentou fontes, mas dada sua honestidade intelectual é provável que até mesmo tenha feito pesquisas e experimentos independentes sobre o assunto.
Lennado constantemente apresentou desconforto sobre a discussão, querendo voltar a jogar um de seus videogames. Como um filósofo tradicional, a internet não soa como seu meio favorito de compartilhamento de ideias. Quando pressionado, ele expressou o cerne de sua teoria de relativismo moral:
Se é uma opinião, até que alguém fale que você está errado e faça você mudar de ideia, para você ela é 100% correta. Certo e errado são relativos. Na sociedade, uma opinião pode ser errada mas, para você, sua opinião é sempre a mais correta.
‚ÄĒ Lennado, circa 2020
Lennado esclareceu:
Pense. Existe algo certo e errado para uma pedra? Não, a pedra não tem consciência. Os conceitos de Certo e Errado são dependentes da consciência. Não existe nada inerentemente certo ou errado. Esses conceitos dependem de cada um.

Lennado edificou duas defini√ß√Ķes para Errado: O Errado Social e o Errado pessoal.
Errado Social é algo que é maleficial a você mesmo ou a outro(s) membros da sociedade.

Eu dei a definição Pessoal de Errado. Uma definição propriamente sua, sem intervenção da sociedade. Um cara que decapita uma mulher, fode o pescoço dela e depois joga ela num rio não acha que fazer isso é errado, normalmente.
Lennado retomou o t√≥pico da pedofilia para mostrar situa√ß√Ķes onde as duas condizem:
Antigamente você podia gozar em criança a qualquer hora. 10 mil antes de cristo? "Ooga booga, criança, me chupa". A sociedade não achava isso errado, nem você, nem a criança, provavelmente.
Lennado também explorou o paradoxo. Ao afirmar que a definição de errado varia de cada um, não está dando uma definição de errado?
São perguntas que não têm resposta certa. Se eu responder com um "sim" ou com um "não" eu vou usar minha opinião na definição de errado.
Isso deixou a discussão num impasse. Um membro de uma sociedade pode mesmo dar uma opinião imparcial sobre ela? Lennado sabiamente sentiu que a discussão andava em círculos. Como um homem dependente da lógica, isso o deixou transtornado.
N√£o consigo pensar mais. Sofri um AVC. Quando eu penso por muito tempo, minha mente morre.
Posteriormente, ele retomou a discussão. Reestabeleceu o seu ponto da interdependência entre humanidade e moral:
O errado n√£o pode existir sem defini√ß√Ķes pro errado. O errado n√£o pode existir sem existir algu√©m que ache o "errado" errado.
Lennado então introduziu um conceito novo para avaliar o valor moral de uma ação. Tomar o quão negativa/positiva ela é pra todos que são afetados por ela, e fazer a média aritmética.

Um gradiente de certo e errado pode indicar o quão certo ou errado alguma coisa é, mas se tu envolve duas pessoas, um ato pode ter diferentes graus certo-errado para uma quanto para outra, em dois pontos diferentes num suposto gradiente. Você pode ter a média das duas em um ponto só.
Com isso, Lennado afirma solucionar sozinho o problema filosófico que coça a cabeça de filósofos há milênios. Realmente, um cara excepcional.
Muitos de seus estudantes apresentam surpresa quando expostos a suas ideias, mas isso é a marca de um grande filósofo: Fazer alguém se cogitar sobre coisas que tinha como certa. Seguem relatos de pessoas, estudantes ou não, ao terem as mentes abertas com esses novos conceitos de Lennado.



Eu acredito que essa teoria muito provavelmente é proveniente de um otaku, considerando que otakus são os seres da cultura atual que mais veem pessoas gozando em crianças, e como todo bom seguidor de nosso amigo esqueleto, a gente tem que quebrar otaku a pau. Então a sensação em ouvir que tal ideia realmente existe em pleno século 2020 [sic], correto, é que a gente precisa quebrar alguns otakus na porrada, e é por aí mesmo.
‚ÄĒ Brandon, ao ser provado por Lennado que todo mundo achava que era certo gozar em crian√ßas na antiguidade

Bem, acredito que isso √© uma interessante teoria filos√≥fica. Diretamente contradiz o teorema do imperativo categ√≥rico, mas tem um embasamento filos√≥fico em outros "anci√Ķes" da filosofia. Acredito que essa teoria deve ser levada mais a s√©rio, pois como Lennado mesmo disse, uma coisa pode ser certa pra um e errado pra outro. Por exemplo, o genoc√≠dio racial. √Č relativo. ‚ÄĒ Pedro, ao ser demonstrado que nenhuma a√ß√£o √© inerentemente errada, pois pedras e afins n√£o acham que nada √© certo ou errado

Olha cara, essa teoria do lennado me deixou assim, triste por dentro, tá ligado, porque tipo, cara, não faz sentido essa merda, tá ligado? Aí fico pensando, como que um humano assim existe, tá ligado? Aí fica um bagulho meio esquisito.
‚ÄĒ Henr, ao ser mostrado que um adulto sentir atra√ß√£o sexual exclusivamente por crian√ßas n√£o √© errado, desde que ele n√£o as estupre

Olha, na minha opini√£o, eu acho isso muito triste. Lennado √© uma pessoa que poderia ser muito boa pra sociedade, mas acho que as ideias dele s√£o muito erradas. Acho que √© moralmente errado voc√™ fazer, por exemplo, o genoc√≠dio arm√™nio dois, mas segundo ele n√£o seria errado, por mais que isso n√£o seja realmente uma verdade. Eu tenho certeza que ningu√©m realmente ia achar isso certo. Em geral, cara, Lennado √© um cara que tem umas ideias muito estranhas, e se essas ideias fossem aplicadas em nossa sociedade, ela n√£o ia ser t√£o boa quanto ela √© hoje em dia. √Č, o Lennado √© um cara muito estranho.
‚ÄĒ Gabs, ao aprender que toda a√ß√£o √© ao mesmo tempo certa e errada

Assim fecho mais um registro das ideias do filósofo que provoca todos com conceitos inovadores. Certamente um homem à frente do seu tempo.
submitted by Hugoebesta to Lennado [link] [comments]


2019.09.11 16:22 Guigzzt Minha História (Noob) com RPG de Mesa

Opa galera, como est√£o, tudo na paz?
Pessoas, eu decidi compartilhar com voc√™s como est√° sendo minha experi√™ncia/hist√≥ria com RPG de mesa porque eu acredito que isso possa inspirar novos jogadores, buscar respostas para algumas d√ļvidas e aproveitar para passar algumas dicas do que eu aprendi nesses √ļltimos meses como o mestre noob de um grupo mais noob ainda.
Eu tenho 27 anos e atualmente jogo com outros 4 jogadores, todos da mesma faixa de idade. Somos amigos desde a época de escola e sempre jogamos mmos juntos, principalmente se tratando de Tibia. Ao longo de todo esse tempo sempre ouvimos falar sobre RPG de mesa mas nunca resolvemos jogar de fato. Para falar bem a verdade esse tipo de jogo nunca nos despertou tanto o interesse, parecia algo ultrapassado ou defasado (pra que jogar faz de conta se hoje em dia temos computadores e consoles com jogos de RPG como Witcher ou Skyrim, não fazia o menor sentido).
Lá por fevereiro deste ano fui com esses amigos em uma loja de produtos nerds em Porto Alegre atrás de um jogo de tabuleiro e o vendedor nos apresentou o manual básico de Tormenta. Ele nos deu uma breve explicação de como funciona o jogo, as regras, o papel do jogador e do mestre e como fazer as fichas. Todos ficamos um pouco animados com aquilo, principalmente eu. Sou amante de literatura desde criança e histórias de fantasia sempre foram uma fascinação. Folheei o livro por alguns minutos e decidi comprar o pacote completo. Manual, jogos de dados e fichas impressas. Tínhamos tudo o que precisávamos pra jogar e já combinamos uma noitada de RPG pro mesmo dia.
Ser o mestre n√£o foi minha escolha pr√≥pria, jogaram no meu colo porque era o √ļnico do grupo que gostava de leitura e sinceramente eu fiquei bem frustrado na hora porque minha empolga√ß√£o era jogar e n√£o ter que fazer o jogo. Mesmo assim, matei no peito e quando cheguei em casa comecei a ler o livro. Passei algumas horas entendendo as regras mais b√°sicas e depois desse tempo eu me convenci que era imposs√≠vel eu fazer uma aventura naquele espa√ßo de tempo. Foi frustrante ter tudo aquilo e n√£o poder jogar mas pelo menos usamos parte da noite pra criar as fichas (acho que levamos umas 3 horas pra terminar kkk). Me prontifiquei a criar uma aventura durante a semana que se seguia e j√° deixamos marcado para o outro s√°bado a jogatina. Eu fiz o download de uma vers√£o em PDF do manual que me permitia ler durante os espa√ßos de tempo livre durante o trabalho e no per√≠odo da noite focava em criar a aventura.
Depois que comecei a ler o manual, peguei interesse pelo universo do Tormenta e seus personagens. N√£o demorou muito pra eu baixar todos os outros livros. Isso me deu uma enorme empolga√ß√£o e comecei a esbo√ßar o que viria a se tornar a jornada dos jogadores. Eu pensei grande logo de cara, decidi criar uma campanha ao inv√©s de algo mais epis√≥dico porque assim eles poderiam evoluir seus personagens e avan√ßar pela hist√≥ria √† partir do n√≠vel 1. Tamb√©m resolvi n√£o usar o universo de tormenta de maneira fiel porque teria que gastar muito tempo lendo pra entender toda a hist√≥ria do cen√°rio e no final das contas n√£o daria para fazer tudo no prazo curto que eu tinha. Sendo assim, utilizei elementos do Tormenta, como mapas, cidades, personagens, mas criando uma hist√≥ria pr√≥pria porque ao meu ver seria mais f√°cil do que estudar tudo isso logo de in√≠cio. Fiquei os 5 dias da semana focado nessa aventura e 1 dia antes de jogarmos eu sentia que ainda faltava um monte de coisa. Virei a noite de sexta pra s√°bado trabalhando para deixar tudo pronto e a conclus√£o que eu tirei no fim disso tudo era que mestrar n√£o era s√≥ alegria, dava um trabalho monstruoso. Mas tudo bem, trabalho feito, tava tudo perfeito, partiu pra sess√£o. Peguei manual, dados, mochila, caf√© e muita vontade de botar em pr√°tica toda aquela m√£o de obra absurda e n√£o remunerada da √ļltima semana.
Sentamos na mesa, todo mundo com fichas em mão e comecei a narrativa. De início expliquei o background de cada personagem porque dos 4 aventureiros na mesa, 3 não quiseram sequer inventar de quem eram filhos, o que comiam e de onde vieram. Aliás, essa foi a primeira coisa que aprendi logo de cara. Existem tipos de jogadores. E cada tipo de jogador tem um perfil na mesa de jogo. Um dos meus amigos passou a semana escrevendo a história do Elfo ladino dele, chamado Amarash, que daria facilmente um livro inteiro só pra biografia do indivíduo. Os outros 3 só queriam uma coisa. Sangue e morte. Definiram que eram caóticos e malignos e isso era o suficiente pra eles.
Em seguida, dei uma breve introdu√ß√£o e comecei a narrar o jogo em si. Aqui, meus amigos, entra a segunda li√ß√£o importante que voc√™ que est√° come√ßando a mestrar nunca deve esquecer. Lembrar disso serve para evitar que voc√™ perca uma semana de sua vida em quest√£o de minutos. Sim, √© isso mesmo, o grupo levou MINUTOS para acabar com minha hist√≥ria e quando menos percebi estava improvisando TUDO! No desespero eu comecei a criar barreiras e reduzir a liberdade de escolha dos jogadores para que eles se mantivessem no caminho certo e mesmo assim nada saiu como o planejado. √Č l√≥gico que todos notaram e isso reduziu demais a divers√£o. Durante o jogo eu fiz naturalmente esses "ajustes", s√≥ que l√° no final da noite quando terminamos eles me criticaram nesse ponto quando perguntei o que estavam achando. Isso foi um choque √© claro, mas tive que concordar. Com isso eu aprendi que √© primordial n√£o reprimir os jogadores, n√£o retirar da mesa a sensa√ß√£o de liberdade de escolhas, porque essa √© a gra√ßa do RPG, voc√™ inventar estrat√©gias mirabolantes para resolver os problemas que surgem.
Na semana seguinte eu resolvi me adequar e fazer as coisas de outra forma. Eu sabia que tinham coisas muito erradas no modo como estava criando a aventura. Eu escrevi roteiros imensos com falas de PDMs e definia até as condicionais pra cada escolha. Quando parei pra pensar eu vi o exagero daquilo e que não tinha como dar certo de forma alguma justamente porque era impossível saber de fato o que os jogadores iam decidir a todo o instante.
Nesse momento eu percebi que não deveria criar um roteiro pro jogo, mas sim um cenário. Desta maneira, independente do que os jogadores escolhessem fazer eu estaria pronto, eles estariam dentro do espaço da minha aventura. Em um roteiro eu determinava uma sequencia para os eventos que muitas vezes eram necessários para o avanço correto da história, e se os jogadores pulassem esses eventos quebravam tudo e eu partia pro improviso ou reprimia a liberdade para mantê-los no eixo.
Em um cenário as coisas não acontecem assim. Nesse caso eu defino quem os NPCs mais importantes são, sejam amigos ou inimigos e a liberdade é dada aos jogadores para resolverem o problema da maneira que bem entenderem. A regra principal que eu aprendi é NUNCA depender da escolha dos jogadores para que o gancho na história aconteça. Faça o que os aventureiros fizerem a história precisa avançar e é criando o cenário pra aventura que eu aprendi a controlar isso de maneira bem eficiente. Agora tenho muito menos trabalho ao criar a aventura e o jogo ficou muito mais divertido porque a liberdade é total e não existe nenhum tipo de repressão das escolhas.
Se tratando de mestrar, eu tamb√©m aprendi outra coisa importante que demorou mais do que deveria pra entrar na cabe√ßa e tamb√©m s√≥ fui corrigir quando os jogadores resolveram reclamar. No in√≠cio eu era o tipo de mestre inimigo dos jogadores. Eu n√£o me importava com nada a n√£o ser a completa derrota deles. A minha ideia era de que os aventureiros eram meus inimigos e eu deveria fazer com que fossem derrotados. Essa ficha caiu quando um dos aventureiros morreu por conta de um inimigo absurdamente mais forte que eu coloquei sem a menor chance deles enfrentarem. O √ļnico bom senso que eu tinha era relacionado √† continuidade da hist√≥ria e eu n√£o aliviava a barra de maneira alguma independente do que acontecesse.
Quando a gente come√ßa a mestrar √© muito legal a sensa√ß√£o de controlar o jogo, o que acontece em seguida, qual inimigo vai aparecer, como o universo vai reagir ao redor dos personagens. √Č muito f√°cil voc√™ perder o controle diante disso e esquecer o foco principal do jogo que √© a divers√£o m√ļtua. Na atualidade eu j√° aprendi a dosar muito bem as situa√ß√Ķes e colocar tudo na balan√ßa. Por diversas vezes eu salvei os jogadores pela divers√£o ou como recompensa por boas condutas em outras sess√Ķes. Em contrapartida, condutas ruins na mesa tamb√©m ficam registradas e s√£o cobradas mais tarde com menos flexibilidade em situa√ß√Ķes dif√≠ceis. Eu acredito que esse balan√ßo seja fundamental para o bom andamento do jogo e para garantir a divers√£o de todos.
No geral já fazem 8 meses que estou mestrando essa campanha pra eles e finalmente está chegando próxima do fim (pelo menos da história que eu tinha programado). Nós acertamos em fazer uma sessão por final de semana. Nem sempre é possível porque alguns trabalham, mas normalmente dá certo (o maior tempo que ficamos sem jogar foi de 15 dias).
Eu ainda me considero muito iniciante quanto √† mestrar e ainda tenho um mar de d√ļvidas em rela√ß√£o √† isso. Uma coisa que me intriga de verdade √© se realmente mestres mais experientes conhecem a fundo todas as regras, magias, talentos e habilidades. Apesar de ler e reler tudo o tempo todo ainda tenho muita dificuldade de gravar tudo isso, principalmente magias, talentos e et√ß. Ainda preciso parar bastante o jogo pra procurar no manual a defini√ß√£o dessas coisas e sinto que essas paradas em momentos mais empolgantes cortam completamente a emo√ß√£o do momento. Sendo bem sincero, eu invento regras as vezes s√≥ para que a situa√ß√£o que est√° muito legal n√£o seja interrompida por uma eterna busca no livro.
O saldo no final das contas está muito positivo e como eu sei que meus amigos são sinceros (até demais) eu tenho confiança que estão achando muito legal até agora. Eu inseri na campanha elementos de tudo que eu já absorvi na vida envolvendo filmes, livros, games, séries e etç. Um elemento que fez sucesso uns tempos atrás foi retirado de Chapolin, acredite.
Só pra terminar, gostaria de compartilhar com vocês o evento mais lendário de nossa campanha até o momento, até pra colaborar com o outro post do sub que pede justamente pra galera compartilhar esse tipo de coisa.
Eu gosto muito de inventar itens para dar de recompensa em momentos mais importantes. Certa vez eu pisei na bola ao criar um item que se mostrou absolutamente problemático. Parte da minha história consistia em encontrar a tumba de um arcanjo que foi sepultado junto da sua espada (o item em questão).
Essa espada continha um poder abismal, ela matava instantaneamente qualquer coisa que fosse tocada pela sua l√Ęmina (SIM EU FIZ ISSO KKK). L√≥gico que eu n√£o era louco de simplesmente entregar um item assim pra ser usado sem controle. Quando os jogadores encontram a espada eles descobrem que ela n√£o est√° intacta, mas que antes de morrer o arcanjo, prevendo o perigo que ela representava gra√ßas ao poder que ela continha, tentou usar suas √ļltimas for√ßas para quebr√°-la em peda√ßos. Ele n√£o foi feliz nisso, o m√°ximo que ele conseguiu foi deixar a l√Ęmina com rachaduras e acabou morrendo em seguida.
As regras para usar o item eram as seguintes: O jogador era obrigado a ter talento para manipular espadas de duas m√£os e sempre que usasse a espada deveria rolar 1d% para tirar na sorte se a espada iria quebrar ou n√£o com o ataque. A chance de quebra que eu defini foi de 50%, ou seja, se tirassem abaixo disso ela se despeda√ßaria. Por √ļltimo, utilizar o item consumiria toda a energia do personagem. Isso significa que sempre que utilizassem a espada independente do resultado o jogador cairia desacordado por 24h.
A cria√ß√£o deste item foi planejada para que os jogadores pudessem derrotar um inimigo espec√≠fico que era muito mais forte e que iria aparecer no futuro. O problema √© que at√© isso acontecer eles come√ßaram a usar a espada para qualquer inimigo mais poderoso que surgisse. A√≠ junta isso aos pontos de a√ß√£o que eu ia distribuindo por conta de boas condutas, jogadas brilhantes e tal, ent√£o basicamente, sempre que a espada quebrava eles tinham como rolar o dado novamente. Isso come√ßou a ficar chato demais e depois de um tempo eu decidi destruir essa espada. Em determinada masmorra do jogo eles estavam enfrentando um oponente bem desafiador que tinha dois guardi√Ķes para proteg√™-lo. Era uma luta 4 x 3 que estava realmente dif√≠cil e dois dos jogadores j√° estavam para cair a qualquer momento.
Nessas alturas eu j√° tinha consci√™ncia de que n√£o podia interferir diretamente na quest√£o da espada, se eu dei ela pro jogador e defini as regras tinha que lidar com isso da maneira correta, sem interferir diretamente no assunto. Nesse caso, era essencial que o jogador soubesse que perdeu o item por conta pr√≥pria e n√£o por minha causa. Quando o combate estava quase perdido, o portador resolveu por um fim na luta usando a l√Ęmina angelical, o problema √© que eles ainda n√£o haviam descoberto o segredo envolvendo o boss desta masmorra. A inten√ß√£o n√£o era matar o inimigo porque ele era indestrut√≠vel. Existia um puzzle que eles vinham tentando desvendar desde que a luta come√ßou, e que quando resolvido seria a solu√ß√£o para derrotar o chefe. Era bem simples na verdade, bastava que eles largassem as armas em sinal de rendi√ß√£o. Durante toda a masmorra existiam mensagens, pinturas, livros e outros ind√≠cios de que o templo onde estavam reagiria mal √† viol√™ncia ou atos profanos. O pr√≥prio boss falava constantemente sobre isso s√≥ que os jogadores n√£o conseguiram entender a tempo.
Quando o jogador que portava a espada desferiu o golpe o inimigo foi destru√≠do por um instante, s√≥ que alguns segundos depois ele ressurgiu mais forte do que antes (isso j√° estava previsto nas defini√ß√Ķes da masmorra). O portador da l√Ęmina como consequ√™ncia do uso da espada acabou caindo desacordado deixando ela cair no ch√£o. Essa foi minha deixa para que fizesse o boss usar o turno dele para ir at√© a espada e quebr√°-la em mil peda√ßos. No final das contas, eles demoraram muito mais tempo depois disso para desvendar o segredo de como derrotar esse inimigo. E at√© l√°, tivemos um minotauro guerreiro covarde que foi derrotado enquanto fugia como um cachorro (n√£o foi perdoado por isso at√© hoje), um druida an√£o que teve a cabe√ßa arrancada pelo boss gra√ßas ao minotauro fuj√£o e eles s√≥ conseguiram resolver o puzzle porque o ladino elfo se viu encurralado, sem PVs e convencido de que n√£o sabia mais o que fazer. Ele achou que seria legal dar um tom um pouco mais dram√°tico pro que seria o fim da campanha e decidiu se render e se ajoelhar. Esse √© sem d√ļvida o momento mais memor√°vel dessa nossa campanha noob de RPG. O dia que os her√≥is venceram porque foram miseravelmente derrotados.
Concluindo, eu s√≥ gostaria de salientar o quanto eu gostaria de ter descoberto esse universo mais cedo. Eu e meus amigos ainda somos muito iniciantes, comecei a ler sobre D&D por exemplo somente algumas semanas atr√°s e ainda tenho muito o que aprender como jogador e principalmente como mestre. Eu acredito que as gera√ß√Ķes que est√£o vindo acabam n√£o conhecendo esse jogo justamente por causa dos mesmos motivos que eu e meus amigos nunca jogamos, nem quando √©ramos mais novos. Eu espero que esse texto possa despertar essa vontade, mostrar que n√£o precisa uma tela 4k com um hardware de 5 mil reais pra ter uma experi√™ncia de jogo completa e incrivelmente divertida.
Aceito dicas, críticas e tudo que vier aí, o importante é continuar aprendendo.
Obrigado a quem leu, um grande abraço!
submitted by Guigzzt to rpg_brasil [link] [comments]


2019.05.08 01:26 JamesHouser42 BRASIL: A ESCOLHA √Č SUA!

Pessoal... no alerta que eu postei hoje mais cedo, eu prometi que postaria um texto sobre o que acontecerá com esse país (na minha visão) caso aconteça um hipótese totalmente oposta a que foi abordada. Pois bem, aqui estou eu cumprindo com o prometido.
(aqui está o link do alerta, mas caso não estejam suficientemente preparados psicologicamente(principalmente se você tiver depressão ou ansiedade), NÃO leiam!(https://www.reddit.com/brasilivre/comments/blsn87/para_ontem_caso_n%C3%A3o_esteja_preparado_por_favo))
AVISO: eu posso estar enganado em algum aspecto, obviamente voc√™s poder√£o expressar suas opini√Ķes nos coment√°rios. Essas s√£o minhas expectativas sobre o Brasil ap√≥s a aprova√ß√£o da reforma da previd√™ncia, mas se eu estiver errado em alguma coisa, podem comentar. Voc√™s poderiam compartilhar suas vis√Ķes nos coment√°rios tamb√©m, gostaria muito de ver isso acontecendo.
Pois bem,vamos lá. Hoje mais cedo, falei sobre o que pode acontecer nesse país caso a reforma previdenciária NÃO seja aprovada, mas agora vou falar sobre o que vai acontecer caso a reforma SEJA aprovada.
Vejamos... depois da reforma previdenci√°ria, obviamente a conta da previd√™ncia estar√° adaptada √† pir√Ęmide et√°ria da na√ß√£o (o projeto de capitaliza√ß√£o vai vir separado e em um outro momento) e a conta fechar√°, mas a coisa vai muito al√©m disso!
Sabe a galera que ganha superaposentadorias (EX: deputados, senadores, a galera do judiciário (STF incluso)) ???? Enfim,todos eles passarão a se tornarem sujeitos ao INSS e poderão ganhar no máximo até o teto (Um pouco mais que 5 mil reais) . Serão submetidos ao mesmo sistema que o povão! Sabe quando vem aquela pessoa falar que a reforma protege os políticos e as pessoas das mais altas esferas do poder?? Essa informação é para esse tipo de pessoa!
Os investidores est√£o com dinheiro pronto para entrar no Brasil, que √© um pa√≠s de grande potencial! Com o equil√≠brio das contas p√ļblicas, os investidores ter√£o mais seguran√ßa para vir aqui, pois ser√° mais seguro investir num pa√≠s economicamente est√°vel, sem todas as amea√ßas que citei no post anterior. √ďbvio que ap√≥s a reforma previdenci√°ria, teremos outras reformas, como o pacote anticrime de S√©rgio Moro e a reforma tribut√°ria, porque a reforma da previd√™ncia √© uma porta de entrada, mas n√£o √© a √ļnica reforma necess√°ria. Sem falar que com a reforma, quem ganha menos contribuir√° menos e quem ganha mais contribuir√° mais.
Com o aumento do empreendedorismo no Brasil, mais vagas de trabalho ser√£o abertas, o que resultar√° em emprego. A abertura de novas empresas resultar√° em mais concorr√™ncia. Todo mundo sabe o que acontece quando a concorr√™ncia √© presente: produtos de boa qualidade por pre√ßos acess√≠veis ser√£o vendidos a popula√ß√£o. Como toda empresa, precisa-se de colaboradores. A concorr√™ncia estar√° presente at√© mesmo na hora de contratar (isso ficar√° mais evidente ap√≥s a entrada em vigor do pacote anticrime e da reforma tribut√°ria)! Quando um colaborador qualificado procura a sua t√£o sonhada vaga de trabalho,ele ter√° mais op√ß√Ķes. √Č obvio que ele escolher√° aquela que paga mais. Tamb√©m em consequ√™ncia da concorr√™ncia, um empregador que seja um cara autorit√°rio ter√° que aprender a valorizar o colaborador, pois se o colaborador desprezado for, existir√£o mais empresas procurando pessoas como ele (quanto mais qualificado, melhor!), ent√£o ele poder√° atender aos anseios da concorr√™ncia!
Com todos os investimentos a serem feitos, a moeda pode também passar por um processo de valorização, isso significa que todos os brasileiros terão um aumento no seu poder de compra (com o fator da concorrência citado anteriormente, o colaborador será mais valorizado e poderá comprar mais com menos (Exemplo: o que você compra hoje com R$100,00 ganhando um salário de R$1000,00, você poderá comprar com R$50,00 ganhando um salário R$1500,00))
Ressalto aqui que tudo isso que falei ficar√° mais evidente ap√≥s a reforma tribut√°ria e o pacote anticrime do S√©rgio Moro. A reforma da previd√™ncia √© uma esp√©cie de porta de entrada. √Č vital, mas n√£o √© a √ļnica reforma necess√°ria.
Pois bem, imaginem um Brasil assim... um verdadeiro sonho, não é verdade?
Nós temos as redes sociais para nos manifestarmos à favor do Brasil e para divulgar a ideia e cobrar nossos políticos. Também podemos cobrar os deputados de uma forma mais direta além do seguinte link:
https://www2.camara.leg.bdeputados/pesquisa/fale-com-o-deputado/fale_conosco_form_deputado
Estão vendo? Temos oportunidades de fazer nossa parte e ajudar o Brasil. Eu estou fazendo minha parte, te convido a fazer a sua também.
AJUDAR na decolagem do Brasil ou deixar esse país QUEBRAR de vez?
Faça sua escolha!
Att, u/JamesHouser42
07/05/2019
submitted by JamesHouser42 to brasilivre [link] [comments]


2019.03.14 02:32 jumalinverni Sou professor de escola e publiquei essa semana um vídeo (em parceria com outro professor) que fala sobre adolescentes e violência. Queria compartilhar com vocês meus dois centavos sobre o caso trágico de Suzano.

Isac Ness e eu publicamos nessa semana um v√≠deo sobre adolesc√™ncia e viol√™ncia. Puxamos a discuss√£o a partir de Deadpool (um filme que n√≥s dois gostamos) e tentamos entender os adolescentes que se encantam com o canto da sereia da viol√™ncia. Os tiroteios de hoje transformam tristemente o significado nosso v√≠deo. Tanto eu quanto Isac somos professores. Sabemos o que √© estar dentro de uma escola v√°rias horas por dia. Sabemos o que √© lidar com os alunos, com suas fam√≠lias, seus problemas, suas limita√ß√Ķes.
N√£o posso falar pelo Isac, ent√£o agora falo somente por mim, embora ele talvez pense parecido.
A maior parte das escolas é insalubre. Faltam recursos materiais, faltam recursos humanos. Felizmente, minha realidade atual não é exatamente essa, mas pelas escolas em que já trabalhei e que já visitei, pude perceber que falta muita coisa.
Falta perspectiva para a maior parte dos alunos, que tem dificuldade para aprender os conte√ļdos de forma significativa para suas vidas. Que tem dificuldade de ver no ensino a possibilidade de construir uma realidade melhor pra si e para a sociedade que os cerca. E se dermos uma olhada no n√ļmero de alunos de escolas p√ļblicas que passa no ENEM e no Vestibular, pode parecer que muitas vezes tem um fundo de raz√£o. Vou colocar no final do texto alguns links a respeito.
Faltam perspectivas para os professores, que precisam trabalhar muito mais do que √© saud√°vel. 40% dos professores desenvolvem depress√£o, a maioria sem acesso a tratamento. A maioria desenvolve ansiedade. Transtornos psicol√≥gicos s√£o a maior causa de afastamento da nossa profiss√£o. Nosso conhecimento √© vilipendiado por terraplanistas e afins, que desvalorizam o estudo em virtude de correntes de whattsapp e manipula√ß√Ķes pol√≠ticas da pior esp√©cie (como o Escola sem Partido). Autoridades pol√≠ticas ocupam-se mais em jogar alunos e fam√≠lias contra os professores do que de trabalhar para aumentar os recursos dispon√≠veis e melhorar sua aplica√ß√£o.
Estamos todos no mesmo barco, mas não remamos juntos. Usamos nossos remos para bater uns nos outros enquanto seguimos à deriva, e os capitães do navio aproveitam os privilégios da primeira classe.

O v√≠deo que eu e Isac fizemos demonstra como √†s vezes a viol√™ncia est√° associada com a necessidade de pertencimento a um grupo. Durante os √ļltimos anos, as crian√ßas viram nos alunos exemplos dolorosos de discursos e atitudes violentas motivadas por pertencimento a grupos. Gestos e palavras que cultuam o √≥dio aos inimigos. As crian√ßas imitam os adultos. N√£o acho que o epis√≥dio do tiroteio de hoje seja causado diretamente por isso, mas √© fato que atitudes abjetas como essas encontram solo f√©rtil em um pa√≠s tomado pela cultura do √≥dio ao outro.

Discordar é ótimo, desrespeitar é inaceitável no espaço do meu canal. No vídeo que fiz sobre "Como dar um voto consciente", tive que pedir para que os autores de alguns comentários modificassem ou apagassem trechos que estavam sendo desrespeitosos aos outros. Os comentários são geralmente muito civilizados, então mal posso imaginar o que passar os mods aqui do sub. Um comentário particularmente marcante: um opositor de Bolsonaro estava agredindo verbalmente os seus eleitores. Pedi que ele reformulasse seu comentário de maneira mais respeitosa. Ele ficou indignado comigo e passou a me hostilizar em outros canais em que eventualmente comento. Sua justificativa: Bolsonaro prega a violência, e por isso ele se sentiu justificado a me hostilizar, uma vez que eu não permiti que ele fosse hostil com eleitores do Bolsonaro no meu vídeo.

Eu sei que é piegas, eu sei que é clichê, eu sei que é até um pouco óbvio, mas às vezes o é necessário lembrar do óbvio. O Brasil elegeu um presidente cujo gesto repetido ao longo da campanha consiste em fazer uma arma com as mãos. O fato de que esse gesto fez tanto sucesso é sintomático de algo muito sério. De parte a parte. Precisamos remar juntos. Precisamos de paz e amor. Violência gera violência e alguém precisa quebrar esse ciclo. Desigualdade gera violência, e nós temos muita desigualdade. Fingir que a desigualdade não existe gera mais desigualdade. E desigualdade gera violência, que gera...

√Č praticamente um consenso que o acesso a educa√ß√£o e a oportunidades s√£o duas das melhores formas de combater a desigualdade e a viol√™ncia. O fato de que uma viol√™ncia t√£o grande ocorre nos espa√ßos dedicados √† educa√ß√£o √© um alerta que precisa ser ouvido. Os professores est√£o doentes. Os alunos, sem muitas perspectivas. Se quisermos come√ßar a romper o ciclo de viol√™ncia e de desigualdade, esses s√£o dois √≥timos pontos para se come√ßar.ÔĽŅ


Alguns links sobre os professores estarem doentes: http://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/2012/10/40-dos-professores-afastados-por-saude-tem-depressao-aponta-estudo.html
https://novaescola.org.bconteudo/3373/burnout-depressao-ansiedade-como-desatar-esses-nos
http://www.apeoesp.org.bnoticias/noticias-2017/transtornos-emocionais-sao-as-principais-causas-de-afastamento-de-professores/

Alguns links sobre a desigualdade nas escolas:
https://exame.abril.com.bbrasil/o-abismo-entre-escolas-publicas-e-privadas/
https://g1.globo.com/educacao/noticia/das-100-escolas-com-maior-nota-media-no-enem-2015-97-sao-privadas.ghtml
https://www1.folha.uol.com.beducacao/2018/07/matematica-agrava-abismo-entre-escolas-publicas-e-privadas-no-enem.shtml
https://jornal.usp.batualidades/resultados-do-enem-aprofundam-diferencas-entre-escolas-publicas-e-privadas-diz-especialista/
(N√£o sei qual a flair mais adequada, "desabafo", "pol√≠tica", "conte√ļdo original", "ei, brasil". Coloquei essa √ļltima, mas pe√ßo aos mods que se acharem adequado, mudem para outra.)
submitted by jumalinverni to brasil [link] [comments]


2018.12.02 16:21 Acujl Como ser an√≥nimo na Internet ‚Äď [TUTORIAL COMPLETO]

Antes de mais, não sou um especialista, apenas alguém interessado em segurança e comunicação e este tutorial é apenas direccionado à educação :D

1) HTTPS ou TOR?

1.1) Intrudução

Ao navegarmos a Internet convencional ou a ‚Äúsurface web‚ÄĚ usamos protocolos. Tudo come√ßou com o HTTP (HyperText Transfer Protocol), foi um dos primeiros protocolos quando tentamos aceder a um site mas √© bastante f√°cil para um ‚Äúhacker‚ÄĚ ver o que fazemos e por onde navegamos isto porque n√£o h√° qualquer tipo de encripta√ß√£o entre o servidor web e a vossa m√°quina ou seja, basta algu√©m estar estar na mesma rede do que voc√™s, por exemplo a mesma rede wifi, e executar um MITM (man in the midle atack). Onde o hacker redireciona o tr√°fego da m√°quina alvo para o seu servidor e ele literalmente l√™ os pacotes de dados (informa√ß√£o trocada ou seja, passwords, utilizadores, etc) com um simples ‚Äúsniff‚ÄĚ no wireshark (programa que nos permite ver pacotes de dados (TPC, UDP, etc)). Forma bastante eficaz de roubar informa√ß√Ķes a algu√©m em servidores desprotegidos.
Felizmente e a nosso favor a maioria dos sites hoje em dia usa HTTPS (HTTP + SSL), muitas pessoas convencionam o ‚ÄúS‚ÄĚ no final do HTTPS como ‚Äúsecure‚ÄĚ, da√≠ o cadeado verde que vemos quando acedemos a esses websites.
O processo (SSL) come√ßa quando nos tentamos conectar a um site e ele manda-nos uma c√≥pia do seu certificado SSL (Chave p√ļblica), o navegador verifica se o certificado est√° expirado, em vigor, valido, etc (uma grande treta de acredita√ß√£o). Se o navegador confiar no certificado, ele cria e envia de volta uma chave de sess√£o sim√©trica utilizando a chave p√ļblica do servidor. O servidor da decrypt da chave de sess√£o sim√©trica usando a sua chave privada e envia de volta uma confirma√ß√£o criptografada com a chave de sess√£o para iniciar a sess√£o segura e agora o servidor e o navegador comunicam com, supostamente, seguran√ßa. S√£o assim realizados os primeiros momentos de conex√£o quando acedemos a um website com HTTPS.
P.S: Pensem em chaves publica como algo que transforma x em alguma coisa que só pode ser aberto com a chave privada, y. Mais sobre isso a frente.

1.2) Se HTTPS é assim tão seguro, porque usar tor?

Bom, mesmo com esse tipo de segurança há várias formas de ver ou atacar alguém. Sempre podemos fazer phishing, ainda usar MITM (fazermo-nos passar por o servidor verdadeiro, é difícil AF mas possível) entre muitas outras coisas..
Com o Tor deixamos de ter esses problemas. Mais ou menos.

1.3) Mas o que é Tor?

Tor é uma comunidade, uma rede de computadores muitas vezes referida como Dark Web ou Deep Web.
A rede Tor d√°-nos um n√≠vel de seguran√ßa com 128-bit AES (Advanced Encryption Standard) end-to-end (De computadores para computadores, n√£o da nossa m√°quina at√© ao website). No final das contas √© uma rede que sobrep√Ķe ‚ÄúIP‚ÄôS‚ÄĚ em v√°rias camadas e deve ser tratada como tal.
O melhor √© usar HTTPS e Onions (Tor), HTTPS protege os nossos dados a n√≠vel de navegadores (n√≥s)<=>(WEBSITE) e a rede Onion refor√ßa o anonimato com ‚Äúloops‚ÄĚ pela internet de modo a escondemos a nossa identidade (IP). Mas esse n√≠vel de seguran√ßa depende do pr√≥prio website/servidor com que estamos a tentar comunicar. Para os nerds que desconheciam esta tecnologia, aqui t√™m um ‚ÄúLet‚Äôs Encrypt‚ÄĚ para onions (here)
A rede tor funciona a partir de nodes, qualquer um pode fazer um relay, node de saida, etc. Uma autentica rede de computadores que comunicam entre si anonimamente.

1.3.1) Um aparte do funcionamento dos nodes…

Utilizando este modelo de 3 ou mais nodes fica mais difícil, mas não impossível de correlacionar o vosso pedido inicial com o vosso IP original. Também queria frisar que a maior parte destes nodes são universidades (fun fact)
O problema vem quando escrevemos ‚Äúplain text‚ÄĚ num site que acessamos via Tor, imaginemos que o meu exit node √© o FBI ou a NSA. Se tivermos introduzido dados sens√≠veis apenas rezem que quem estiver a manteoperacional o exit node n√£o tenha poder computacional suficiente para desencriptar a vossa liga√ß√£o.

1.4) Let’s get REAL

Depois disto não parece nada seguro usar tor né? O bom é que é praticamente e impossível quebrar 128-bit AES. Toda a rede de bitcoin (hash rate atual é de 60M) demoraria 2.158 x 10^12 anos para quebrar 1 só chave. E para além do mais, sempre podemos configurar os nossos nodes, mais aqui.
Apenas não coloquem nada que não gostariam que se tornasse publico pois a segurança nunca é garantida! O que é (praticamente) garantido é o anonimato com o tor :)(Eu diria até que o vosso anonimato é garantido, todos os websites na deepweb que foram fechados até o dia de hoje por exemplo, não teve nada a ver com uma falha na rede tor mas sim foi um descuido dos administradores)
E para comunicação na web (chat) usem sempre PGP (Pretty Good Privacy), vamos falar mais a frente.

2) Que sistema operativo usar / Como Operar

Pretty bit topic here..

2.1) Sistemas Operativos

Querem anonimato? Usem um sistema operativo ao vivo (Live Operating System / Live CD). √Č um sistema operativo contido num dispositivo de armazenamento m√≥vel, podem usar em qualquer lado com um computador (motherboard n√£o desbloqueada) n√£o deixando qualquer rasto no pc da sua exist√™ncia (kinda, mais a frente).Caso n√£o queiram ser t√£o hardcores sempre podem usar linux muito bom tamb√©m, updates constantes da comunidade ;)Para o t√≠pico utilizador windows.. sabiam que o windows envia tudo o que voc√™s escrevem e falam para a Microsoft? Aqui t√™m tools que removem a telemetria and stuff (here)
Se s√£o uns completos noobs e nunca instalaram nenhum OS (operating system) podem usar uma coisa chamada Virtual Box que emula um sistema operativo dentro de outro. Pesquisem.

Recomendo o uso do Tails (Live), Link here.

P.S: No que toca √† Apple n√£o tenho experi√™ncia portanto, n√£o comento.P.S2: D√™m uma vista de olhos no ‚Äúqubes‚ÄĚ, sistema operativo hardcore para seguran√ßa.

2.2) PGP, Como Operar & Related

2.2.1) Mini Introdução

Temos de assumir sempre o pior, qualquer agência de inteligência ou governamental interceptou e desencriptou os nossos dados. O que eles podem usar contra nós?
Temos sempre de agiter o cuidado de nunca compartilhar dados pessoais, NUNCA. Ter uma boa password sem nada que nos identifique (Tenho uma boa password?) e diferentes passwords e entidades para cada servi√ßo/website que usemos. Lembrem-se, basta ‚Äúdeslizar-mos‚ÄĚ uma vez e somos comprometidos. Caso usem o mesmo utilizadopass qualquer organiza√ß√£o/pessoa com inten√ß√Ķes pode ‚Äúligar os pontos‚ÄĚ e identificar-te.

2.2.1) PGP (Pretty Good Privacy)

Outro passo que devem tomar é comunicar apenas usando PGP. Lembram-se das chaves publico e privadas? Vou salientar novamente esse tópico.Tomem em conta que nem sempre é possível comunicar com PGP, quando estamos a preencher informação num website ou wtv essa informação pode estar comprometida.
Side Note: H√° uns open sorce code para usar o Proton Mail com PGP com alguma facilidade, pesquisem nerds.

O processo PGP:

GUARDEM BEM A VOSSA CHAVE PRIVADA, GUARDEM NUM LOCAL OFF-GRID, fisicamente escondida. Caso comprometida, fudeu. E j√° agora, se a perderem n√£o h√° nenhuma forma de a recuperar.
No tails a √°rea onde podem mexer com o PGP fica no canto superior direito, uma que parece uma prancheta, v√£o a ‚Äúmanage keys‚ÄĚ.
Por exemplo, uma das raz√Ķes que o Silk Road falhou foi que Ross (um dos administradores) nem sempre comunicava atrav√©s de encripta√ß√£o PGP e depois de ser apanhado (meteu informa√ß√Ķes pessoais na net no inicio da sua jornada) as autoridades tiveram acesso a tudo o que n√£o estava encriptado.
Sugiro sempre que guardem as suas chaves privadas num cartão SD ou melhor num microSD para que se um dia forem apanhados e alguém for-vos bater à porta podem simplesmente parti lo e os vossos dados ficam seguros x)

2.2.2) Tails e resíduos

(assumindo que têm o tails a funfar..)
Tails √© um excelente sistema operativo para privacidade, quando ligado e ‚Äúbootado‚ÄĚ no PC ele cria um drive virtual e quando √© fechado tal √© apagado, mas n√£o permanentemente.
Como deve ser conhecimento geral, armazenamento na mem√≥ria de um computador (no seu disco r√≠gido) funciona a base de 0‚Äôs e 1‚Äôs. Vamos supor que crio uma pasta chamada ‚Äúteste‚ÄĚ. O disco r√≠gido ser√° desempenhado de designar os respetivos 0‚Äôs e 1‚Äôs a uma sec√ß√£o do disco e saber onde est√° tal sec√ß√£o.
Temos 2 dados importantes aqui, os dados da pasta ‚Äúteste‚ÄĚ (0‚Äôs e 1‚Äôs) e a sua localiza√ß√£o na respectiva sec√ß√£o do disco, chamam-se ‚Äúpointers‚ÄĚ. Pointers apontam o local do disco onde est√£o armazenados os dados (0‚Äôs e 1‚Äôs).Quando apagamos algo (tradicionalmente) apenas apagamos os pointers e os 0‚Äôs e 1‚Äôs anteriormente designados √† pasta teste estar√£o agora labled como livres, esperando serem rescritos por novos 0‚Äôs e 1‚Äôs de novos dados. Espero ter sido claro.
Portanto, algu√©m com habilidades pode pesquisar no disco 0 e 1‚Äôs designados como ‚Äúespa√ßo livre‚ÄĚ que, organizados ‚Äúfa√ßam sentido‚ÄĚ e recuperar os nossos dados privados.
Temos 2 op√ß√Ķes:

2.2.3) Encriptação do disco inteiro & destruição segura de ficheiros & RAM

No que toca a encripta√ß√£o do disco tails tem uma funcionalidade incorporada chamada FDE (Full Disk Encryption) ou seja, formata-vos a pen (ou o quer que seja que est√£o a usar) e rescreve-a com o seu conte√ļdo encriptado sendo apenas poss√≠vel ganhar-lhe acesso com uma palavra-passe. E como sempre, guardem a password num local seguro ou memorizem-na.
Tutorial de como encriptar o disco (here)
E no que toca a destruição segura dos ficheiros há vários programas para o fazer, apenas recomendo que o faças no mínimo 3x (para garantir aleatoriedade). Duck it.
Mesmo com o disco encriptado e os dados limpados ainda podemos extrair-te informa√ß√Ķes pela tua RAM ūüď∑
Chamam-se de ‚ÄúCold Boot‚ÄĚ esses tipos de ataques.

Primeiro, RAM (random acess memory), quesamerda?

RAM √© o local onde o computador armazena dados que apenas s√£o necess√°rios temporariamente e isso acontece milh√Ķes de vezes por segundo. Pensem na RAM como uma memoria onde pode ser escrita e rescrita os 0‚Äôs e 1‚Äôs extremamente rapido.
Imaginemos que estão a trabalhar num documento de texto, enquanto trabalham tal está a ser guardado na RAM (armazenamento de curto prazo) até que clicam em salvar e o documento é armazenado no disco rígido em si (armazenamento de longo prazo).
Nesse per√≠odo de tempo os dados s√£o armazenados na RAM sem qualquer tipo de encripta√ß√£o. Quando desligamos o computador normalmente ele passa por um ciclo onde limpa os dados armazenados na RAM mas se ele perder energia abruptamente os dados ficam ‚Äúleaked‚ÄĚ na RAM e √© onde s√£o realizados os Cold Boot Atacks. A √ļnica medida que podemos implementar contra este tipos de ataques √© usar RAM DDR3 (isto porque ela necessita de eletricidade para manter dados, passado x tempo os dados s√£o apagado) e desligar o PC normalmente, sempre.

2.2.3) Inimigo? Javascript.

Imaginemos que corro servidores maliciosos tendo em conta que tenho uma grande comunidade a alimentar-se dos meus serviços e sou apanhado. O que as autoridades podem fazer para os apanhar?
Um dos métodos mais comuns usado pelas autoridades é injetar javascript ou seja, todos os utilizadores iriam acessar uma página web alterada que tinha como intenção correr javascript que transmitia o IP da pessoa e a sua localização (visto que tal código era apenas descodificado e corrido no pc da pessoa).
Dito isto, aconselho desativarem a execução de javascript nos vossos navegadores (browsers). Tanto no iceweasel (tails) ou no firefox (tor) podemos desativar a execução de javascript com o seguinte procedimento:
(se usam tails, cada vez que o iniciam poder√£o de ter de fazer isto)

2.2.4) Dados EXIF

Tiramos tantas fotografias com os nossos telemóveis né? Sabiam que provavelmente a vossa localização está incorporada nelas?
Quase todos os formatos de fotos podem ter as cordeadas incorporadas menos o formato .PNG portanto √© imperativo para um criador de um website apenas permitir formatos PNG e tamb√©m para nos porque a nossa informa√ß√£o pode dar ‚Äúleak‚ÄĚ por um erro t√£o simples como este.
Felizmente o Tails tem uma solu√ß√£o, basta irmos a Applications -> Accessories -> Metadata Anonymisation Toolkit, mais info ‚Äď> (here)

2.2.5) VPN + TOR = PERFECTION?

Bem, n√£o.
VPN‚Äôs n√£o s√£o de confian√ßa. A famosa ‚ÄúHideMyAss‚ÄĚ que supostamente tinha uma carrada de implementa√ß√Ķes de seguran√ßa que nem eles pr√≥prios conseguiriam ver o que o utilizador fazia abriu a boca quando questionada pelo governo da Inglaterra sobre o caso LulzSec.Mas se tentarem a vossa sorte escolham uma que no m√≠nimo tenha 128 bits ou at√© mesmo 256 bits de encripta√ß√£o.
Se querem ainda mais segurança do que já têm, comprem umas raspberryPi, disfarçam-nas e coloquem-nas em um sitio que tenha uma rede Wifi Publica escondidas e com eletricidade, façam uns servidores OpenVPN, uns proxies da treta e GG (Como criar uma rede tor mas caseira). Fiz um tutorial de como fazer uma VPN numa raspberry, depois é só fazer uns loops.
P.S: DNSQueries, n√£o confiem na vossa rede.

2.2.6) Cuidado com downloads

Por vezes numa comunidade da deepweb recebemos PM (private messages) que nos dizem que a nova atualização do tor tem uma falha de segurança e aqui está o link X para dar patch. Treta, nunca confiem e façam sempre o download do website oficial (cuidado com o phishing) mas podemos sempre verificar a autenticidade dos nossos downloads.
Recomendo o uso do GnuPG. Pesquisem, muito importante! Voltamos a usar o nosso amigo PGP ;)
P.S: Não só downloads, também podem assinar mensagens encriptadas (quase como encriptado 2x)

2.2.7) Simples e eficaz, adeus monitorização da treta

Podem-nos identificar de v√°rias maneiras, uma delas √© pelos nossos padr√Ķes habituais que podem ser usados contra n√≥s em tribunal.
Uma forma f√°cil de acabar com isso √© desabilitar ‚Äúmostrar o meu status online‚ÄĚ, muito comum em f√≥runs e comunidades.

2.2.8) Usem bridges!

Mesmo com esta segurança quando ligados ao tor o vosso ISP (Internet Service Provider) pode ver que vocês estão a usar o Tor, para tal sempre podemos usar bridges. Lista de bridges (here) captcha é hard mesmo.. (ataques de correlação)
Depois de entrarem v√£o ter acesso a uma lista de bridges que s√£o publicamente disponiveis pelo Tor, talvez n√£o seja a melhor op√ß√£o mas sempre tens a op√ß√£o de mandar diretamente um email para [[email protected]](mailto:[email protected]) com o body da mensagem sendo ‚Äúget bridges‚ÄĚ, infelizmente s√≥ funciona para Gmail e Yahoo (anti bots)
Para usa-las no boot do tails aparecem 2 op√ß√Ķes: Live e Live (Fail Safe), neste menu cliquem em Tab , Espa√ßo e escrevam ‚Äúbridge‚ÄĚ e depois enter. Modo bridge ativado. Ao entrarem no tails basta adicionar as vossas bridges numa tab que vos vai aparecer neste formato-> IP:PORTA e gg.
Visto que √© muito menos prov√°vel que o vosso ISP conhe√ßa estas liga√ß√Ķes. Tamb√©m podem especificar o pais assim: XXX.XXX.XXX.XXX ‚Äď COUNTRY: X
De qualquer das formas bridges é um assunto complexo, do your homework. Coisas bonitas para vocês (here)

3) Governo e polícia

3.1) Os seus limites

Bom, n√£o t√™m, pelo menos os americanos (casos mais conhecidos). Eles chegaram ao ponto de ter uma conta no silk road como vendedores onde seriam vendidas fake ID‚ÄôS (durante 7 anos), ap√≥s esse per√≠odo come√ßaram de apreens√Ķes. E no servi√ßo postal dos US, qualquer encomenda ‚Äúilegal‚ÄĚ n√£o eram apreendida mas sim colocavam-lhe um tracker.
Tenham sempre em mente que se eles vos querem apanhar mesmo, eles farã tudo no seu alcance para vos capturar. Tenham sempre em mente que se vocês estão a fazer qualquer tipo de actividade considerada ilegal têm sempre de ter em conta o pior cenário possível. Vocês até podem ter uns PC’s, uns servidores e algumas skills mas não é nada comparado com o poder deles.
Lembrem-se, basta escorregarem uma vez e acabou, sejam prudentes.

3.2) O que fazer quando se é apanhado

Errar é humano. Provavelmente vamos todos cometer um erro e se o governo achar que somos um peixe suficientemente grande ele vem a trás de nós.
√Č sempre melhor prevenir do que remediar, temos de ter j√° um advogado pago 50k + extra (caso sejam ilegais, mesmo.) isto porque o governo pode congelar-nos as contas/apreender o dinheiro.
Sabiam que o silencio é um direito? Mantenham a boca fechada. Eles vão tentar usar todas as táticas para nos fazer admitir que somos culpados dos crimes de que somos acusados.
Provavelmente a primeira coisa que eles vos vão dizer é que nos querem ajudar e estão a trás do maior peixe do cardume, ignorem, treta.
Eles v√£o dizer ‚Äúent√£o n√£o queres cooperar? Estava a tentar ajudar-te mas agora s√≥ vais dar problemas‚ÄĚ ou ‚ÄúTens alguma no√ß√£o dos crimes de que √©s acusado?‚ÄĚ. Mais uma vez, mantenham-se calados e continem a pedir por um advogado.
Nunca falem sem o vosso advogado presente e nunca façam nada que não seja exigido legalmente. Vocês têm o DIREITO de estar calados.
N√£o discutam com os policias sobre se eles t√™m ou n√£o alguma coisa contra ti, s√™ chill nesse assunto. Age assustado, ansioso e confuso. Como se n√£o soubesses o que se passa e apenas queres o teu advogado. Diz aos policias: ‚ÄúVoc√™s est√£o-me a assustar, apenas quero o meu advogado‚Ä̂Ķ como eu amo engenharia social.
Com o vosso advogado é o basico, sejam honestos com ele e trabalhem como uma equipa. Privilegio Cliente-advogado.

4) Cool Stuff

4.1) TorChat

TorChat funciona da mesma forma que o tor funciona com todas a features que todos gostamos, cria links .onion da mesma forma que o tor mas usa-o para identificar um ID de uma pessoa em particular sendo que esse ID pode comunicar com outros ID.
P.S: Não recomendo, ideia bonita mas não sabemos o nível de anonimato ou as vulnerabilidades que tal implica visto que funciona da mesma forma do que se como tivéssemos criado um HiddenService (um site tor) no nosso PC. Isso pode levar a problemas sérios.
Fica à vossa mercê, de qualquer das formas a sua comunicação eu<=>parceiro teria o mesmo nível de segurança do que o tor.

4.2) Como utilizadores do Tor foram apanhados

https://www.youtube.com/watch?v=7G1LjQSYM5Q

4.3) Email anónimo, História & Tor

https://www.youtube.com/watch?v=_Tj6c2Ikq_E

5) Recomenda√ß√Ķes

submitted by Acujl to chapeubranco [link] [comments]


2018.11.05 17:42 SteinsEater Vocês poderiam me ajudar apontando os erros nesta redação que fiz?

Dissertei recentemente sobre o tema "Devem existir limites para a arte?" no Descomplica e tirei uma nota 91 em 100.
Minha dissertação:

O Limite da Arte
A arte tem se transformado com o transcorrer da hist√≥ria. Assim como uma lagarta se transforma em borboleta, a arte tamb√©m se transforma, de acordo com o per√≠odo, cultura, l√≠ngua, etnia, cren√ßas e diversos outros fatores relacionados a quem a produz. √Č poss√≠vel observar v√°rios tipos de arte em diferentes per√≠odos da hist√≥ria. No entanto, nos dias atuais h√° uma grande discuss√£o sobre quais s√£o os limites da arte, ou se a arte deve ao menos ter um limite. Afinal, qual √© o limite da arte?
Atualmente, surgiu uma discussão sobre quais são os limites da arte. A discussão surgiu após alguns artistas produzirem obras que chocaram as pessoas, causando certo desconforto e até revolta. Um exemplo é a exposição artística "Queermuseu - Cartografias da Diferença na Arte Brasileira", ocorrida desde o dia 15 de agosto de 2017. Essa exposição causou revolta de certa parte da população ao retratar temas considerados "tabus" pela sociedade em geral, como a religião e a sexualização das crianças. Os críticos da exposição protestaram contra esse tipo de arte, alegando que ela feria suas crenças e que passava dos limites da liberdade de expressão. Os simpatizantes apoiaram, alegando que a arte não deve ter limites, sendo assim totalmente livre.
A arte, no entanto, nunca foi totalmente livre. A arte se adequa ao per√≠odo em que √© feita. Se fossem feitas esculturas exaltando os afrodescentes no per√≠odo em que havia escravid√£o, por exemplo, essas obras seriam recha√ßadas pelo p√ļblico, que mostraria descontentamento com as mesmas por ir contra os valores e ideias da √©poca. O mesmo acontece atualmente. √Č um processo natural e totalmente compreens√≠vel da sociedade negar aquilo que a fere, que vai contra seus ideais e valores.
A arte deve, acima de tudo, respeitar os valores morais da sociedade. Quebrar esse protocolo irá certamente causar revolta popular. Ela pode e deve criticar o mundo ao seu redor, mas respeitando as diferenças e valores sociais. Criticar sem ofender, com respeito e dignidade, distingue os bons artistas dos maus.

Com a correção do professor, ele apontou onde eu errei:

ONDE VOCÊ PERDEU MAIS PONTOS:
  1. Planejamento e progress√£o textual
COMO MELHORAR?
Seu texto apresenta boas ideias, mas você precisaria cuidar a correta organização de todas as frases. Também, seria importante não finalizar um parágrafo com um questionamento não respondido. No geral, você deve fazer frases diretas e objetivas.
Planejamento e progress√£o textual
Este quesito avalia a defesa do ponto de vista com base no planejamento, na progressão e na qualidade da argumentação apresentada. Aqui se verifica o emprego do raciocínio lógico e de estratégias de argumentação na organização do texto.
  1. Coes√£o intra e inter frases
COMO MELHORAR?
A coes√£o textual est√° comprometida, em alguns casos, por erros de pontua√ß√£o e concord√Ęncia. Exemplos: - ‚Äúnos dias atuais h√°‚ÄĚ; - ‚Äúsendo assim totalmente‚ÄĚ.
Coes√£o intra e inter frases
Este quesito avalia a qualidade da articula√ß√£o entre frases e ora√ß√Ķes dentro dos per√≠odos, por meio do uso correto da pontua√ß√£o e dos recursos coesivos (conectivos, pronomes anaf√≥ricos, sin√īnimos, hiper√īnimos e express√Ķes de coes√£o seuqencial). Problemas de sintaxe tamb√©m afetam este quesito.
  1. Pontuação
COMO MELHORAR?
Quanto à pontuação, você deve cuidar para colocar entre vírgulas advérbios em meio de frase.
Pontuação
Este quesito avalia se a pontua√ß√£o est√° de acordo com as regras gramaticais e conve√ß√Ķes de escrita, assim como se a pontua√ß√£o foi bem utilizada como um recurso para organizar as ideias.

Eu não entendi o que ele quis dizer com "você precisaria cuidar a correta organização de todas as frases" (o que ele quis dizer com isso?) e sobre colocar, entre vírgulas, advérbios de meio de frase (nem sei o que é isso).

Se voc√™s puderem me dar uma for√ßa, me explicando essas d√ļvidas que tenho e apontando onde mais eu posso melhorar, serei grato.

submitted by SteinsEater to brasil [link] [comments]